Projeto de mineração urbana defende que metais valiosos podem ser obtidos através da reciclagem

Leia em: 2 minutos

“Quais materiais são mais propensos a virarem lixo eletrônico e por que as pessoas realizam o descarte indevido?”. Essas são algumas questões que a pesquisadora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Tatiane Benvenuti, quer entender para criar medidas que possam diminuir esses resíduos na região Sul da Bahia.

A partir dessas informações, Tatiane vai buscar técnicas para a reciclagem e recuperação de materiais valiosos. “Com a necessidade de equipamentos eletrônicos, tanto para trabalho, quanto para conforto, somado ao constante surgimento de novas tecnologias que surgem diariamente, tivemos um aumento enorme de resíduos de equipamentos eletroeletrônicos, os REEE. Dentro dessa realidade, o Brasil encontra-se entre os países que mais produzem REEE, somente em 2014, foram cerca de 14 milhões de toneladas”, alerta a pesquisadora.

Ao justificar a importância do projeto, realizado em parceria com pesquisadores da Uesc e da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Tatiane explica como funciona a dinâmica de reciclagem de produtos eletrônicos.

“No Brasil, existe a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) de 2010, que, ao ressaltar o perigo para à saúde e o meio ambiente, alerta que tais materiais devem ser reciclados. Entretanto, este tipo de resíduo não pode ser enviado para aterros e lixões, ele deve passar pelo processo chamado logística reversa, que ocorre quando o consumidor devolve o aparelho inutilizado na mesma loja onde o comprou. Nesse sentido, a loja devolve as peças aos fornecedores que reutilizam os materiais ou providenciam a reciclagem. Acontece que, no nosso país, as lojas ficam com muitas peças para descartar e nem sempre recebem o equipamento vendido de volta. Some isso ao fato de no Brasil não existir a reciclagem de todos estes materiais, limitando-se somente à desmontagem, então, a parte mais valiosa do material que não vai parar nas cooperativas de reciclagem e sucateiros, acaba indo para fora do país, onde é melhor aproveitada”.

A pesquisadora afirma que através do anseio de fazer com que esses metais valiosos permaneçam em território brasileiro, ela busca entender como esses resíduos são administrados no Sul da Bahia, a fim de apontar possíveis medidas para realizar a reciclagem adequada localmente. “Com o tempo, ampliando a atuação, poderemos conhecer os dados destes resíduos em todo o estado, na região Nordeste e em todo o país. Em nossa pesquisa, buscamos conhecer o panorama local e fornecer informações, como a cartilha, para educar a população em relação aos perigos e à necessidade de descartar esses resíduos de forma adequada”, disse Tatiane, que destacou os comércios que recebem os resíduos eletrônicos, lojas de consertos, empresas fabricantes de equipamentos como os principais integrantes de seu público-alvo.

A equipe também defende que a composição destes resíduos indica possibilidades de mineração urbana para obter metais, a partir de volumes inferiores de REEE em comparação com o volume de minério na mineração convencional.

“Recursos minerais são finitos e as minas vêm se esgotando cada vez mais rápido, logo, a ideia é que haja menor demanda de matéria-prima virgem, através da recuperação dos metais dos resíduos. O impacto social poderá se refletir na criação de pontos de coleta e triagem de resíduos, além do desenvolvimento de novos empreendimentos de reciclagem, com geração de emprego e renda na região”, concluiu.

//

Leia em: 4 minutos

O título acima diz respeito aos Palácios do Planalto e Ondina, obviamente se referindo ao processo sucessório do presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido) e do governador Rui Costa (PT).

No retrato do momento, ambas sucessões estão polarizadas. Todas as pesquisas de intenções de voto apontam Lula e Bolsonaro, ACM Neto e Jaques Wagner, com o ex-presidente e o ex-alcaide soteropolitano na frente.

No tocante a chamada “terceira via”, a sucessão estadual é bem diferente da nacional. Na Boa Terra, ou ganha o ex-prefeito de Salvador ACM Neto, presidente nacional do Partido do Democratas (DEM), ou o petista Jaques Wagner, senador e ex-governador do Estado. A possibilidade do próximo mandatário-mor da Bahia ser outro é remotíssima. É mais fácil achar uma pequena agulha em um grande palheiro.

Em relação a disputa pela presidência da República, o “já ganhou”, tanto do lulopetismo como do bolsonarismo, pode ter uma surpresa. Ainda é cedo para dizer que o segundo turno entre Lula e Bolsonaro é favas contadas.

Vale lembrar que mais de 55% do eleitorado, com tendência a chegar a 60%, não estão dispostos a votar nem no “mito” da direita e, muito menos, no “mito” da esquerda. Não querem os extremos, o radicalismo, cuja consequência é um Brasil cada vez mais enterrado.

A consolidação de uma alternativa eleitoralmente viável, que possa oxigenar o movimento “Nem Lula, Nem Bolsonaro”, enfrenta obstáculos. Essa dificuldade termina fortalecendo a polarização, com o processo sucessório caminhando para uma disputa carregada de ódio, quando o país precisa de paz, entendimento e harmonia entre os Poderes da República.

Um dos problemas da terceira via, talvez o mais preocupante, o que pode causar maior estrago político e um inevitável constrangimento, são determinadas “lideranças” políticas que querem integrar o movimento. O ex-presidente Michel Temer andou insinuando que toparia ser uma espécie de orientador, de timoneiro. A presença de Temer seria um desastre, o enterro definitivo da terceira via sem direito a velório e missa de sétimo dia. Pelo andar da carruagem, teremos outras “terceiras vias”, versões 2 e 3, o que significa a certeza de uma disputa de segundo turno entre Lula e Bolsonaro.

Já disse aqui que a maioria esmagadora do eleitorado de Lula não liga para os conchavos e o pragmatismo avermelhado do lulopetismo. São eleitores beneficiários dos programas sociais dos governos do PT. A parcela dos intelectuais que forma a ala ideológica da sigla, deixando de fora as honrosas exceções, só critica as conversas e os acordos dos adversários. Adora ficar de olho no quintal dos outros e, sorrateiramente, na calada da noite, jogar entulho nele.

E aqui cito o exemplo da Bahia, sem dúvida o mais simbólico e didático quando o assunto é a soberba, o cinismo e a esperteza do lulopetismo. Bastou Ciro Gomes, presidenciável do PDT, ter uma conversa com ACM Neto para ser taxado de “direita”. Enquanto isso, o senador Renan Calheiros, respondendo a vários processos envolvendo o dinheiro público, é convidado a ser um dos coordenadores da campanha de Lula no nordeste.

E mais (1): o candidato do lulopetismo no Ceará é Eunício Oliveira.
E mais (2): qualquer reaproximação é bem vinda, de Eduardo Cunha a Sérgio Cabral.
E mais (3): se o “companheiro” Palocci quiser integrar o projeto do terceiro mandato, as portas do diálogo estarão abertas.
E mais (4): já há um segmento na legenda defendendo a participação mais intensa de José Dirceu na campanha.

Vale lembrar que Cunha, Oliveira e Calheiros foram os principais protagonistas do impeachment da então presidente Dilma Vana Rousseff.

Abrindo um parêntese para Dilma, que foi apulhalada pelas costas pelo então vice-presidente Michel Temer, é lamentável seu silêncio diante do chamego do ex-presidente Lula com seus algozes. É como estivesse aceitando que merecia mesmo o impeachment, uma punição pelo seu desastroso segundo mandato.

A viabilização da terceira via na sucessão do Palácio do Planalto é um desafio gigantesco. Se acontecer, Bolsonaro é quem fica fora do segundo round eleitoral, para o desespero do lulopetismo, que pretende ter o antibolsonarismo como seu principal “cabo eleitoral”. O mesmo raciocínio vale para o bolsonarismo, que quer o antipetismo como maior parceiro. Tanto Lula como Bolsonaro têm pesadelo com a hipótese de enfrentar Ciro no final do pleito.

Outro ponto interessante, que chama atenção, que parece combinado, são as rotulações de “direitona” e “comunista”, respectivamente para quem critica o lulopetismo e o bolsonarismo. O ex-juiz Sérgio Moro, ex-todo poderoso comandante da Lava Jato, operação que acabou sendo desmoralizada pela atuação parcial e com viés político do então magistrado, é hoje um “comunista”, e daqueles que comem criancinhas, como pregavam os defensores do golpe de 64.

A terceira via quer o antipetismo e o antibolsonarismo como indispensáveis alavancas para colocar seu representante na segunda etapa eleitoral.

Concluo reafirmando que o “já ganhou” que toma conta dos bolsominions e dos lulominions, além de ser prematuro, é desaconselhável. 


Marco Wense é Analista Político

*A análise do colunista não reflete, necessariamente, a opinião de Pauta.blog.br

//

Mário Alexandre e Alisson Mendonça

Leia em: 3 minutos

Campanha política de 2010 para eleger presidente, senadores, deputados federais e estaduais e governador. Em Ilhéus, a base aliada de Dilma Rousseff e Jaques Wagner transbordava de adesões, mas como política é uma arte que requer muita astúcia, algumas lideranças, para garantir prestígio, seja qual for o resultado das urnas, dão uma no cravo e outra na ferradura.

Bastante precavida, a deputada estadual Ângela Sousa formou dobradinha com alguns deputados federais – alternando as cidades –, sendo que em Ilhéus o acordo foi fechado com o deputado federal Geraldo Simões e, apesar do seu partido pertencer à coligação que tinha como candidato a governador Geddel Vieira Lima, fez campanha para Dilma e Jaques Wagner.

Já o vice-prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, filiado ao PSDB, “armou seu barraco” na campanha de José Serra e Paulo Souto, pulando a cerca – por motivo justo – quando se tratava dos votos que teria que dar à mãe, Ângela Sousa, e a Geraldo Simões, além dos candidatos a senadores Lídice da Mata e Walter Pinheiro. Tudo era permitido legalmente, embora não recomendado pela ética.

Mesmo com os candidatos diferenciados, o vice-prefeito Marão não contava conversa e, com a mesma disposição que organizava e participava das caminhadas de Serra e Souto, não dispensava os “arrastões” de Dilma e Wagner que tinha a participação de Ângela Sousa. Para ele, o principal era mostrar serviço e ficar bem com todas as coligações, num sinal de esperteza eleitoral.

Médico dos mais conhecidos e conceituados, Mário Alexandre, pela disposição que sempre apresentava, entusiasmava tanto os participantes das caminhadas quanto os moradores ou transeuntes, tratando todos pelos nomes. Pródigos nos abraços, perguntava pela família e pedia o voto para a coligação de sua mãe, a deputada Ângela Sousa, e depois para os candidatos da coligação tucana.

E com essa profusão de coligações, em que adversários políticos e coligados se misturam, o barco navegou bem durante toda a campanha eleitoral, fazendo com que todos se juntassem na hora de trabalhar a população de determinado bairro. Uma turma descobria a tendência eleitoral dos moradores de determinadas casas, que eram visitadas primeiro pelos cabos eleitorais ligados aos candidatos daquela família.

E foi uma tática que deu certo. Na reta final da campanha, numa dessas caminhadas realizada no bairro do Pontal, tudo corria tranquilamente e a adesão dos moradores era praticamente total, para delírio das lideranças. Foi aí, então, que aconteceu um fato insperado, digno da esperteza política e que mereceria uma rigorosa apuração dos fatos praticados por uma das coligações.

Numa das turmas, o vereador petista licenciado e secretário da Indústria, Comércio e Planejamento Municipal, Alisson Mendonça, após ter se refrescado do sol quente com alguns goles de cerveja, sente vontade de ir ao banheiro e, passando em frente à casa de um amigo, pede licença para satisfazer suas necessidades fisiológicas. Ao sair, se depara com uma paisagem totalmente diferente da que deixou. Todas as propagandas da coligação petista, coladas anteriormente estavam cobertas pelos cartazes dos candidatos da coligação PSDB-DEM.

Atônito, Alisson, que tinha ficado pra trás, ligou ao celular para um “companheiro” que ia à frente comandando a colagem das propagandas da coligação petista para se inteirar da rápida mudança ocorrida:
➖ Nosso pessoal não está fazendo a “colagem”? – perguntou.
➖ Você está gozando de minha cara, claro que sim, qual é o problema – retrucou.

Foi aí que a turma que ia à frente parou de caminhar e Alisson, que ia atrás, se encontraram e presenciaram a turma da campanha de José Serra e Paulo Souto, coordenados por Mário Alexandre, colando os cartazes de sua coligação, justamente em cima dos cartazes da coligação petista. Se entreolharam encabulados como sinal de que estariam se entendendo bem e nada mais foi dito, apenas os sorrisos amarelos.

Na caminhada, a partir do dia seguinte, não mais foi visto o vice-prefeito Marão na caminhada da coligação petista. Os cuidados foram redobrados, com uma turma à frente colando os cartazes e uma turma tomando conta da retaguarda. 


Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado

*A análise do colunista não reflete, necessariamente, a opinião de Pauta.blog.br

Acidente próximo ao posto Cachoeira, em Itabuna

Leia em: < 1 minuto

Um veículo perdeu o controle e adentrou em duas residências na madrugada deste sábado (30.maio) por volta das 3h30mim.

O acidente ocorreu na saída de Itabuna para Ilhéus, próximo ao posto Cachoeira.

Segundo informações, não houve vítima, apenas danos materiais. 

O presidente do PDT na Bahia e deputado federal, Félix Mendonça Júnior

Leia em: 5 minutos

Em entrevista exclusiva ao Pauta.Blog o presidente do PDT na Bahia e deputado federal Félix Mendonça Júnior, fala de forma bombástica sobre o seu relacionamento político com o governador da Bahia, Rui Costa (PT), sobre a atuação do partido em Itabuna, e muito mais. Confira!

Como o deputado federal Félix Mendonça tem ajudado Itabuna e região?
Félix Mendonça Júnior – Eu nasci em Itabuna. Meu pai foi prefeito de Itabuna. E me sinto um representante de todo o sul da Bahia. Dessa forma, tenho trabalhado sempre para ajudar a região, seja na destinação de recursos via emendas parlamentares, projetos e a própria atuação política.

Recentemente nos empenhamos para aprovar na Câmara a renegociação das dívidas dos produtores de cacau, apresentando emendas ao relatório da Medida Provisória do Governo Federal que teve esse objetivo. Temos cobrado medidas contra a importação exagerada de cacau com incentivos fiscais, exigindo providências do Ministério da Economia e também junto ao Ministério Público do Trabalho, já que muitos países que exportam o produto utilizam mão de obra análoga à escravidão. Isso tudo visa defender o produtor local, este sim que deve ser incentivado.

No que se refere à pandemia, garantimos mais de R$8 milhões de emendas à saúde para o Governo da Bahia aplicar também na melhoria da estrutura de atendimentos do sul da Bahia.

Enfim, estamos atentos às demandas da região e meu gabinete está sempre aberto para a população de Itabuna e região.

Você convidou o Dr. Mangabeira para seguir à frente do Partido em Itabuna. Ele já confirmou que seguirá no comando?
Félix Mendonça Júnior – Ele disse que iria pensar. A gente não pode perder pessoas como Mangabeira na política. Quero que ele continue na política, de preferência no comando do PDT em Itabuna. É uma pessoa conceituada, ele e a esposa. Engrandecem a política, não só o PDT. Espero sinceramente que ele decida continuar na política e no nosso partido, defendendo bandeiras como a melhoria da saúde e da educação da população, além do trabalhismo.

Entenda mais ⤵️

Félix pede que Dr. Mangabeira continue à frente do PDT de Itabuna

Caso Dr. Mangabeira deixe o comando do partido em Itabuna, qual destes nomes assumiriam o posto: o vereador Dando Leone ou ex-vereador Glebão?
Félix Mendonça Júnior – Doutor Mangabeira, mesmo se não quiser permanecer na política, vai coordenar um processo transitório no PDT. Ele não deixaria o partido abruptamente. Meu pedido é que ele fique, mas se ele quiser ter uma vida apenas fora da política, ele vai seguir organizando o partido e é ele quem vai decidir o futuro do PDT em Itabuna.

Segundo o colunista Marco Wense ⤵️

Wense: Mangabeira vai dizer não ao pedido de Félix

Nos bastidores dizem que o ex-prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, lhe procurou para ser candidato a deputado federal pelo PDT. Foi batido o martelo?
Félix Mendonça Júnior – Não houve essa conversa.

Foi surpresa a saída do PDT da base do governador Rui Costa (PT), ou era algo já esperado e porque?
Félix Mendonça Júnior – Nós estávamos na base do governo porque fomos convidados e porque apoiamos Rui Costa em 2018. E estamos saindo da base por causa das eleições de 2020 em Salvador, quando indicamos a vice-prefeita Ana Paula Matos, e apoiamos a candidatura de Bruno Reis, ou seja, estamos saindo da base por ciúmes do governador (Rui Costa). Porque sempre honramos todos os nossos compromissos, apoiamos o governo Rui Costa e trabalhamos para ajudar a Bahia.

Veja o desempenho do agronegócio baiano mesmo durante a crise sanitária? Nos últimos dois anos o setor cresceu 17% no estado, e era comandado, nesse período, pelo pedetista Lucas Costa, indicado por nós. Na Junta Comercial da Bahia (Juceb), que comandamos, nunca foi feito tanto para simplificar a criação de empresas. Tanto que o número de empresas criadas bateu recorde mesmo durante a pandemia. A Juceb acabou com o papel, modernizou a estrutura num trabalho intenso feito por Andréa Mendonça, nossa indicada.

Estamos deixando o governo com a sensação do dever cumprido, pois ajudamos a melhorar a vida das pessoas.

Esta saída do PDT da base do governador tem ligação direta com à Prefeitura de Salvador, já que a vice-prefeita é do PDT?
Félix Mendonça Júnior – Sim, como falei acima. Ciúmes do governador Rui Costa. O acordo que fizemos em 2018 não envolvia a eleição de 2020. O governador sabe disso.

Podemos dizer que o PDT na Bahia está rachado, já que alguns deputados anunciaram que permanecerão na base do governador?
Félix Mendonça Júnior – O PDT não está rachado. O partido é como um trem e suas estações. Alguns entram e alguns
saem das estações, mas o partido continua. O PDT vai chegar forte nas eleições de 2020. É um excelente caminho para quem quer fazer uma política sem radicalismos, sem extremismos, a boa política do diálogo.

Analisando a atual conjuntura….o PDT estando fora da base e Ciro sinalizando para ACM Neto, o PDT poderá apoiar ACM Neto em 2022?
Félix Mendonça Júnior – Estamos conversando com ACM Neto e com outras lideranças. O PDT é independente, e não há alinhamento automático com ninguém. Reconhecemos que ACM Neto fez uma excelente administração em Salvador, e que é um nome bem colocado no tabuleiro de 2022. Mas ainda estamos conversando, e essa conversa foi iniciada pela Executiva nacional do PDT, que espera um apoio do ex-prefeito de Salvador à candidatura de Ciro Gomes à Presidência.

Na sua avaliação, o PDT sozinho, sem uma união dos partidos para uma terceira via, Ciro teria condições de ir para um segundo turno?
Félix Mendonça Júnior – No primeiro turno, todos os partidos deveriam indicar candidatos. O ideal era que o PDT pudesse ter candidato, inclusive. Se não houver essa possibilidade, iremos apoiar alguém. Já o segundo turno é outra eleição. Esperamos que Ciro esteja no segundo turno, e vamos trabalhar para isso, até porque ele é o nome mais capaz para governar o Brasil.

Como fica o PDT na Bahia em um eventual segundo turno entre Lula e Bolsonaro?
Félix Mendonça Júnior – Vamos estar com Ciro Gomes.

Em um eventual 2º turno entre Lula e Bolsonaro, em quem você votaria?
Félix Mendonça Júnior – Não temos dúvidas de que Ciro Gomes estará no segundo turno.

Leia em: 2 minutos

A Prefeitura de Itabuna divulgou nesta 6ª feira (28.maio), o resultado da Consulta Pública realizada pela Secretaria Municipal de Educação que aponta que um total de 65,4% disseram reprovar a ideia de retorno das aulas presenciais nas redes pública e particular de ensino. Foram ouvidos 3.437 participantes na pesquisa entre pais de alunos, profissionais da educação e gestores escolares e a população em geral.

A Consulta, efetuada por meio virtual, revelou ainda que 23,3% da comunidade em geral concordam que as aulas sejam ministradas no formato híbrido. Já no segmento dos professores que atuam nas escolas da Rede Pública Municipal, 86,6% reprovaram o retorno às aulas presenciais, bem como 89,8% deles disseram não se sentir seguros em lecionar com tal possibilidade.

Já entre os funcionários e gestores, tanto da rede pública como na rede particular, 74,5% dos que participaram foram contrários ao retorno às salas de aula neste ano.

Segundo a secretária municipal da Educação, Janaína Araújo, a ideia de realizar a Consulta Pública levou em conta a necessidade de democratizar uma decisão a ser tomada pela gestão municipal, considerando os diversos segmentos envolvidos no setor da educação, bem como o atual contexto vivenciado diante da pandemia da Covid-19.

Ela adiantou que, além do resultado da pesquisa, serão considerados os decretos e protocolos de segurança sanitária emitidos pela Organização Municipal da Saúde (OMS), Ministério da Educação e as esferas de governo – estadual e municipal.

“Os dados serão devidamente analisadas conforme as diversas peculiaridades, visto que o cruzamento de informações por segmento permitirá a elaboração de um plano conjunto de ações visando o bem de todos os envolvidos, a garantia do direito à educação e, principalmente, o maior de todos os objetivos que é garantir a vida”, afirmou Janaína.

A Consulta Pública sobre a possibilidade do retorno às aulas presenciais nas escolas urbanas e do campo das redes pública municipal e particular de Ensino em 2021 foi coordenada pelo Núcleo de Tecnologia Municipal (NTM), através de formulários de pesquisa eletrônica, no período de 24 a 27 de maio. Os links foram disponibilizados nos sites oficiais do NTM e da Prefeitura de Itabuna.

Leia em: 3 minutos

👀Aliança do Capitão Azevedo com o PDT?

Que o ex-prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, andou pela capital baiana nas últimas semanas é fato. Afinal, toda ‘fonte política’ tem que passar ou vir de Salvador.

Na rádio corredor, fala-se, que Azevedo havia procurado o PDT para sair candidato a deputado federal, mas segundo um membro do partido, disse: “não houve essa conversa”.

As ‘movimentações’ tem que ser rápidas. Mas pelo andar da carruagem, o Capitão seguirá mesmo é no PL. Tudo indica.

O “tempo tá voando” para a campanha de 2022, mas quem chega primeiro bebe água (mais) limpa.

Dobradinha de 🤜Fernando e Son Gomes🤛

Que começou a puxar o fio da meada na política itabunense, sabemos. Pois bem.

Vem quicando o zum-zum de que o ex-prefeito Fernando Gomes (PTC) sairá como pré-candidato a estadual e Son Gomes (REPUBLICANOS) como federal.

Vocalizam ainda que é ‘jogo de marcação’.

É isso mesmo, o entrevero de 2022 só está começando.

🃏 Carta nova no baralho

Para tentar embaralhar o jogo da política ilheense, o presidente da Câmara de Ilhéus, Jerbson Moraes, disse que poderá vir como pré-candidato a deputado.

Diga-se de passagem, Jerbson é do mesmo partido do prefeito Marão, PSD.

Segundo interlocutores, esse cenário é ruim para a primeira-dama Soane Galvão, que pretende concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa.

↗️ Coaraci em Alta

O deputado estadual Osni Cardoso estará neste domingo (30.maio), em Coaraci. Ele é líder da bancada do PT no legislativo baiano.

Osni já confirmou a sua pré-candidatura à reeleição de deputado estadual em 2022.

O deputado será acompanhado no município pelo jovem político Thallys Ribeiro e lideranças do partido.

Concurso no município de Arataca

Segundo consta no ‘Edital do Processo Seletivo Simplificado Nº 001/2021’ que a publicação do resultado parcial do concurso era para sair no dia 25 de maio. Mas até hoje nada, onde consultamos o Diário Oficial, às 13h15min desta sexta 28 de maio.

❌ O povo tá na bronca em Arataca.

Pegou mal para não dizer “desairoso”

O vereador de Vitória da Conquista, Chico Estrela (PTC), não mediu as palavras para falar de seus colegas edis que andam visitando o município de Itapetinga.

“O que aquela cidade vai trazer de ajuda para administrar Vitória da Conquista”, disse ele. E finalizou: “Itapetinga não está conseguindo resolver seus próprios problemas”.

Fica a pergunta: – será que o vereador não tinha algo mais importante a se preocupar?

Não passou de uma atitude “desairosa”. Assista!

Alta tensão: o deputado federal Félix Júnior, líder do PDT na Bahia, pegou ar com o governador Rui Costa e disse: “estamos saindo da base por ciúmes do governador”.

O porquê do ciúmes é que o PDT indicou Ana Paula Matos como vice-prefeita de Salvador nas eleições de 2020, onde ela ganhou com Bruno Reis (DEM).

Segundo o colunista Marco Wense, Geraldo Simões e Dr. Mangabeira estiveram tête-à-tête em uma pauta sobre a gestão do atual prefeito de Itabuna Augusto Castro.

Rejeição ao governo Bolsonaro volta ao recorde de 59% e a aprovação é de 35%.

Envie a sua sugestão de pauta: [email protected]

O encontro dessa dupla foi classificado como maduro pelo colunista Marco Wense

Leia em: < 1 minuto

Segundo o colunista Marco Wense, uma conversa entre Geraldo Simõe e Dr. Mangabeira mostra que eles deixaram as posições partidárias de lado e abriram o diálogo em torno de Itabuna.

O encontro aconteceu nesta 6ª feira (28.maio), entre Mangabeira, presidente do Diretório municipal do PDT e suplente de deputado federal, e Geraldo Simões, ex-prefeito da cidade por duas vezes, ex-deputado federal e um dos fundadores do PT em Itabuna.

Na pauta, o governo Augusto Castro (PSD), sendo a saúde a pauta principal entre os vários temas discutidos. Mangabeira e Geraldo conversaram por um bom tempo.

Manoel Porfírio cumpre promessa de campanha ao inaugurar escritório político

Leia em: < 1 minuto

Cumprindo uma promessa de campanha o vereador e líder da bancada do governo, Manoel Porfírio, inaugura nesta 6ª feira (28.maio), o seu escritório político no bairro Sarinha Alcântara. O ato contará com a presença de autoridades, entre elas, o deputado estadual e ex-prefeito de Serrinha por dois mandatos, Osni Cardoso (PT).

“A existência desse escritório foi uma das minhas bandeiras de campanha para estar mais perto do povo e agora estou cumprindo. Eu estarei sempre lá, junto com a minha equipe, atendendo os moradores do sarinha e bairros vizinhos”, comentou.

Ao avaliar esses quase 150 dias de mandato, Manoel Porfírio é enfático que se sente muito feliz porque está priorizando estar perto do povo e promover políticas públicas que fazem bem ao povo. “Sinto satisfeito por fazer parte de uma câmara que tem na veia a luta pelo povo. Também estou muito feliz em ser líder do governo em um momento em que a cidade começa a tomar um novo rumo”.

Ele aproveitou para falar da mudança para melhor no atendimento do Hospital de Base Luiz Eduardo Magalhães (Hblem), que tem possibilitado “recuperar a autoestima dos pacientes e humaniza a saúde em Itabuna”. Também citou que está muito atuante na área de infraestrutura, por conta do apoio recebido do prefeito Augusto Castro.

ACM Neto, ex-prefeito de Salvador e pré-candidato ao governo do Estado

Leia em: 2 minutos

O presidente nacional do Democratas, ACM Neto, disse hoje, 6ª feira (28.maio) que a educação pública estadual na Bahia parou no tempo nos quase 16 anos de governo do PT. Ele afirmou que o estado acumula os piores índices em relação ao ensino. “Esse é o maior exemplo de fracasso e descaso dos governos do PT, que demonstra não ter compromisso com o futuro dos baianos”, ressaltou, em entrevista ao programa Bahia no Ar, da Rádio Sucesso FM de Camaçari.

Neto afirmou que os indicadores que medem a qualidade da educação pública no país colocam a Bahia em situação ruim há anos, a exemplo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Isso vai no sentido oposto ao desempenho de alguns municípios, a exemplo de Salvador. “Em Camaçari, temos escolas municipais que estão recepcionando alunos da rede estadual. É um cenário ruim tanto do ponto de vista da infraestrutura (das escolas) quanto da qualidade”.

O democrata também apontou como outro problema da Bahia, inclusive da Região Metropolitana de Salvador (RMS), é a questão da violência. “Para virar esse jogo, o governador tem que chamar para si a responsabilidade para combater a violência e a insegurança. Não se pode ficar procurando culpados”.

INDUSTRIA E TURISMO
Na entrevista, ACM Neto lamentou a saída da Ford de Camaçari, e disse que faltou ação do governo da Bahia para tentar manter a fábrica, que foi instalada na cidade após uma intensa luta do senador Antonio Carlos Magalhães, em 2001.

“A saída da Ford é um sinal no sentido oposto do que a Bahia precisa. Não podemos assistir quietos indústrias fecharem as portas. Se estado tivesse um plano estratégico para fortalecer o parque industrial de Camaçari e da Região Metropolitana, talvez a Ford não tivesse fechado e estaríamos testemunhando uma expansão da indústria”, frisou.

ACM Neto cobrou ainda ações planejadas do governo do estado para o turismo na RMS, principalmente pensando na retomada após a pandemia. “Vemos as prefeituras fazendo sua parte para desenvolver o potencial turístico da região, como faz Camaçari e Mata de São João, por exemplo, mas falta um planejamento para uma ação integradora do estado, visando justamente atrair mais investimentos da iniciativa privada, estimulando o patrimônio imaterial e a riqueza natural dessa parte da Bahia”.

PALANQUE
O presidente nacional do Democratas afirmou ainda na entrevista que a RMS terá um papel estratégico em uma eventual candidatura dele ao governo da Bahia, que pode ser oficialmente confirmada no futuro.

“Na Região Metropolitana teremos palanques fortes em cada uma das cidades no ano que vem. Vai ser um importante cartão de visita para impulsionar a vitória do nosso grupo político, especialmente porque as pessoas conhecem mais de perto o trabalho que fizemos em Salvador, em Camaçari e em outras cidades da região, onde temos tantos prefeitos parceiros”.

Cotações desta 6ª feira, 28 de maio de 2021

Leia em: < 1 minuto

🍫 Cotação do Cacau 
Ilhéus > R$ 199,00 (comum > arroba)
Nova York > R$ 2.401,00 (futuro > tonelada)

☕ Cotação do Café Conillon (60 kg) 
Eunápolis > Café Tipo 7/8 > R$ 435,00
Eunápolis > Café Tipo 7 > R$ 440,00

🐂 Cotação do Boi Gordo @ arroba 
Jequié > sem contação
Barreiras > R$ 292,00
Feira de Santana > R$ 300,00
Santo Antônio de Jesus > R$ 300,00
Itapetinga > R$ 290,00
Salvador > R$ 301,00

Cada um dos 16 legisladores do PSL de Mato Grosso do Sul vão receber R$ 200 mil

Leia em: 2 minutos

Os 16 vereadores do PSL eleitos em Mato Grosso do Sul receberam R$ 200 mil de emendas cada um da senadora Soraya Thronicke (PSL). Ao todo serão R$ 3,2 milhões destinadas para a área da saúde para os municípios de Amambai, Batayporã, Campo Grande, Cassilândia, Corumbá, Douradina, Itaporã, Novo Horizonte do Sul, Paranaíba, Rio Brilhante, Rio Verde e Selvíria. –

A senadora explicou que a iniciativa foi o formato encontrado para distribuir os recursos na área da saúde para o maior número possível de municípios do Estado. Mas ela lamenta não poder destinar mais recursos para as demais cidades.

Os vereadores do PSL terão total liberdade para prospectar com os hospitais e demais unidades de saúde dos seus respectivos municípios as demandas para destinar a emenda de R$ 200 mil.

“O recurso da emenda só pode ser aplicado na área de saúde e o valor, apesar de não ser muito, é maior do que muitos deputados estaduais destinam para os municípios de Mato Grosso do Sul”, lembrou a senadora, comunicando que o Gabinete em Brasília vai oficiar todos os 16 vereadores.

Dos R$ 200 mil, R$ 100 mil serão para estruturação, ou seja, podem ser destinados para a compra de equipamentos ou investimentos, como construir uma sala em um posto de saúde ou comprar um raio-X, macas, ar-condicionado. Já os outros R$ 100 mil são de fundo a fundo, isto é, vão direto para os cofres das prefeituras dos 12 municípios contemplados para serem aplicados no custeio da saúde pública, ou seja, podem ser investidos para pagar contas do posto de saúde.

Feira de Santana: a CPI apura supostas irregularidades na distribuição de cestas básicas e de leite

Leia em: < 1 minuto

Cumprindo liminar expedida pela Vara da Fazenda Pública, a Câmara de Feira de Santana decidiu esta manhã suspender os trabalhos da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que apura supostas irregularidades na distribuição de cestas básicas e de leite, no período de campanha eleitoral no ano passado, pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social.

A medida foi adotada em consenso, pelos membros da CPI, após recomendação do presidente da Casa, Fernando Torres (PSD). Como a decisão impõe multa de R$ 100 mil por descumprimento, ele defendeu “zelar pelo dinheiro público”, orientando pela suspensão dos trabalhos.

A Câmara irá recorrer da decisão da Fazenda Pública. O presidente do Legislativo considerou estranho o fato de que a liminar tenha sido divulgada na imprensa antes mesmo de a Casa receber notificação. E anunciou que qualquer que seja o reparo proposto pela Justiça, será feito, para que os trabalhos possam ter continuidade.

A dupla foi encaminhada para DTE e autuada em flagrante por tráfico de drogas e associação ao tráfico

Leia em: < 1 minuto

Duzentos mil reais em drogas que abasteceriam a região de Irecê foram apreendidos nesta 6ª feira (28.maio), por policiais da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) daquele munícipio. Durante investigações da unidade, as equipes identificaram que um homem iria até Lapão buscar uma farta quantidade dos produtos ilícitos.

Uma campana foi montada na BA-432, e o homem e uma mulher foram presos em flagrante. Com eles, foram apreendidos 100 tabletes grandes de maconha, 120 gramas de cocaína, uma balança, três aparelhos celulares e um veículo modelo Gol.

“Ao perceberem a chegada da polícia, eles tentaram fugir, atirando contra nossa guarnição. Atiramos contra os pneus, obrigando-o a parar o carro. No veículo, encontramos os 100 pacotes de maconha”, relatou o titular da DTE de Irecê, delegado Alex Nunes Rocha.

O homem também informou que, em sua residência, ponto de armazenamento das drogas, havia mais entorpecentes. “Nos deslocamos até lá e encontramos a cocaína e uma balança. Ele é braço direito de um dos maiores traficantes da região, já acumulava passagem por receptação e a mulher já havia sido presa por tráfico de drogas no Mato Grosso do Sul”, explicou o delegado.

O veículo foi encaminhado ao plantão da Polícia Civil em Catalão e será restituído ao seu proprietário. O homem foi preso e responderá pelo crime de apropriação indébita de veículo

Leia em: < 1 minuto

Um homem foi flagrado dirigindo um carro com ocorrência de furto na noite desta 5ª feira (27.maio), em Catalão, Goiás. O veículo foi furtado no último dia 8 de maio, no interior de Minas Gerais.

Policiais rodoviários federais em fiscalização na unidade da PRF em Catalão, deram ordem de parada a um veículo de passeio VW/Saveiro, conduzido por um homem, de 42 anos. Ao ser solicitada a documentação o homem afirmou ser inabilitado e também não apresentou nenhuma documentação do carro.

Os PRFs, então, conseguiram entrar em contato com o proprietário da picape que informou ter tido o carro furtado há 19 dias na cidade de São Sebastião do Paraíso/MG e enviou imagens de câmeras de segurança aos policiais, que identificaram o condutor como sendo autor do furto.

O motorista confessou aos agentes que viu o carro estacionado com anúncio de vende-se no vidro, solicitou ao dono fazer um teste drive e não retornou para finalizar o negócio. De acordo com ele, pegou o veículo porque precisava trabalhar na zona rural de Catalão e posteriormente faria o devido pagamento ao proprietário, efetivando a compra do automóvel.

Laticínio seguiria do Pará para São Paulo sem refrigeração e sem nota fiscal

Leia em: < 1 minuto

A PRF apreendeu quase meia tonelada de queijo durante uma fiscalização na madrugada desta 5ª feira (28.maio) em Uruaçu, norte goiano. O produto era transportado em local abafado, sem a devida refrigeração, e percorreria mais de 2.400 quilômetros de distância.

Durante a fiscalização ao caminhão-baú, o motorista de 48 anos, informou que transportava apenas caixas vazias, mas os policiais resolveram fazer uma busca no interior do compartimento de carga, onde encontraram seis caixas de isopor carregadas com queijo escondidas embaixo das caixas vazias.

A carga de mais de 400 quilos de queijos saiu de Jacundá(PA) e seguiria para São Paulo, transportada de forma inadequada, já que o veículo não possuía refrigeração. Além disso, o produto não contava com documentação fiscal.

O produto foi apreendido e encaminhado para a Vigilância Sanitária.

Serão entregue um total de 95 kits // Foto de Daniel Thame

Leia em: < 1 minuto

A Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura de Itabuna vai entregar, neste fim de semana, mais kits de proteção e segurança aos feirantes cadastrados no programa “Feira Segura – Viva a Feira”. O material foi doado por meio de uma parceria entre o município e a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado (SDR). Os kits contêm avental, máscaras, álcool gel de 500 ml, 70 toucas padronizadas e folhetos com orientação sobre os protocolos de segurança.

A entrega está sendo feita nas feiras do Centro Comercial de Itabuna e dos bairros São Caetano e Fátima/Califórnia, num total de 95 kits. Até agora, já foram contemplados com o material da CAR os pequenos produtores rurais da Feira do Produtor, que trabalham às sextas-feiras, no centro, ao lado da UniFTC, e os que atuam na Feira de Produtos Orgânica, que ocorre todas as quintas-feiras, no estacionamento da Câmara Municipal de Vereadores.

A entrega será realizada com a presença dos técnicos e representantes das secretarias municipais de Agricultura e Meio Ambiente e de Ordem Pública, que vão orientar os feirantes sobre o cuidado com a comercialização e manuseio dos produtores, a importância do distanciamento social, do uso de máscaras e, principalmente, a higienização frequentes das mãos com álcool gel.

//

Sarah não resistiu à doença // Foto de Arquivo pessoal

Leia em: < 1 minuto

Uma bebê de apenas 5 meses, a Sarah Vitória Domingues, morreu vítima da Covid-19 nessa 5ª feira (27.maio). O caso ocorreu em Santos, no litoral de São Paulo. De acordo com o G1, a pequena estava intubada e com 80% dos pulmões comprometidos. Ela morreu um dia antes de completar seis meses de vida.

Segundo a mãe, Sameque Vitória Gois, que também havia contraído o vírus, na última semana o estado de saúde da bebê havia melhorado, mas houve uma piora no quadro.

Sameque afirma que desde que foi internada, a menina precisou fazer transfusões de sangue. Também foi necessário fazer uma traqueostomia, mas ela sofreu uma parada cardíaca e não resistiu.

“Eu acho muito importante as pessoas saberem, porque eu mesma não acreditava que [a Covid-19] poderia acometer as crianças, como acometeu a minha filha. Então, se vocês têm condições de ficar em casa, fiquem, porque nada se compara à dor de perder um filho para essa doença”, desabafou a mãe ao G1.

❌ A mãe pede que outros pais cuidem dos filhos e tomem as medidas de prevenção contra a Covid-19. Com informações do G1

//

Leia em: 4 minutos

Milhares brasileiros planejaram o nascimento de seus filhos no momento em que ninguém esperava o surgimento de um vírus capaz de modificar o modo de convivência no mundo. Entre as pessoas que realizaram o sonho da maternidade durante esta pandemia estão Deise Damásio, Isabella Fagundes e Fabiany Nascimento.

Em 2019, Deise Damásio, com apoio do marido, decidiu que tinha chegado a hora de ser mãe pela segunda vez. Ela afirma que tomaria a mesma decisão hoje. “Minha filha é um grande presente de Deus. Era um sonho da nossa família. Temos um desafio a mais porque ela nasceu prematura e precisou ficar internada”, conta.

Deise relata que o grande desafio não foi enfrentar a pandemia, mas acompanhar os primeiros dias de nascimento de Eloá. “Passei boa parte da gravidez trabalhando em home office (em casa) e tomei todos os cuidados, mas não fiquei assustada”, conta a moradora de Itapé, no sul da Bahia.

Eloá nasceu prematura, em julho de 2020, na 27ª semana, pesando 940 gramas (muito abaixo do peso considerado ideal). A bebê precisou ficar internada 53 dias em um leito da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Manoel Novaes. “Hoje, minha filha está bem, mas ainda fazemos acompanhamento com fisioterapeuta, pediatra e neurocirurgião”.

A PEQUENA LAURA
Quem também veio ao mundo em plena pandemia do novo coronavírus foi a pequena Laura. Ela nasceu quando Isabella Fagundes estava na 28ª semana de gestação. “Era o começo de uma pandemia, não sabíamos como lidar com o vírus ainda. O comércio estava fechado. Eu e meu marido ficávamos em casa imaginando nossa bebê conosco, mal sabíamos que isso ia acontecer o mais rápido possível”.

No dia 1º de maio de 2020, Isabella acordou perdendo muito líquido. “Fomos para o hospital já com dilatação. Não estava na hora ainda, pelo menos para mim. Mas para ela (Laura), era a hora certa. Ficamos quatro dias internadas e fazendo de tudo para certificar que ela estava bem e sendo preparada para vir ao mundo”.

Laura nasceu às 6h do dia 5 de maio, de parto normal, pesando 1,024kg. “Não pude tocá-la, tirar fotos e nem amamentá-la. Rapidamente eu a vi sem reação. Ela foi levada pela equipe para UTI Neonatal e lá intubaram. Quando fiquei naquela sala eu clamei a Deus pela vida da minha filha. Pedi com todo o meu coração e a ouvi chorar, foi ali que me encontrei novamente”.

A pequena Laura ficou 58 dias internada no Hospital Manoel Novaes. “Fui todos os dias visitar meu presente. Passei o Dia das Mães e meu aniversário com ela. Quanto foi difícil vir para casa e não tê-la em meus braços, sem receber visita de minha família. Quanto foi difícil imaginá-la naquela sala com infinitos bebês prematuros que tinham uma mamãe sofrendo e de coração grato como eu. Mas estava tranquila porque sempre confiei na equipe do hospital”, afirma.

Superado os momentos desafiadores, a mãe comemora a companhia da filha. “Passou um ano e hoje estamos aqui, felizes. Ela está com desenvolvimento perfeito e completo para idade. Esse ano passou voando. Quase como um flash, mas lembro de todos os momentos e sorrisos que conquistamos até aqui. Quero aprender e ensinar todos os dias. Obrigada, Laura, por ter me escolhido para ser sua mamãe e não desistir de lutar nenhum segundo pela sua vida. Amo-te!”, derrete-se Isabella.

ANA GABRIELA
Fabiany Nascimento também é mãe de um bebê prematuro, nascido com 32 duas semanas, com 1,3kg. O parto dela estava previsto para dezembro de 2020, mas Ana Gabriela Aguiar nasceu em outubro. Moradora de Camamu, no baixo sul da Bahia, ela teve dificuldade para fazer o pré-natal porque Itabuna já registrava um o número crescente de casos de Covid-19.

Mas, em um determinado momento, Fabiany passou a sofrer com pressão alta e, em setembro, estava no nível muito elevado. “Foi aí que descobriram que minha bebê estava tendo restrição de crescimento, com dificuldade de respiração. Durante uma consulta de acompanhamento, a médica percebeu que a situação tinha se complicado e que o parto deveria ser antecipado”, relata.

Após o nascimento, Ana Gabriela ficou 63 dias internada na UTI Neonatal. “No período em que ela estava hospitalizada, só a vi rapidamente quando nasceu. Foi um período muito difícil e só podia vê-la durante uma hora por dia. Revesava com meu marido, um dia eu, outro, ele. Meu coração ficava muito apertado porque era pouco tempo, mas sabia que minha filha estava sendo muito bem cuidada”, conta emocionada.

Fabiany afirma que, além do número de infectados e óbitos, a tristeza nessa pandemia é o isolamento, principalmente dos familiares. “Não sabemos por onde as pessoas andam. Quando planejávamos ter um bebê, imaginávamos que ele cresceria perto dos avós, bisavós, tios, de todo mundo da família. Mas logo percebemos que isso não seria possível, neste momento, por causa dessa pandemia. Isso vem sendo muito difícil”. Mesmo antes do início da pandemia da Covid-19, o Hospital Manoel Novaes já tinha adotado todos os protocolos para evitar a transmissão cruzada do vírus.

Notícias mais lidas

Outros assuntos