Edmar Luz é casado, pai de dois filhos e, em 2006, começou a discutir política na cidade ao atuar como presidente da CDL

Leia em: 6 minutos

O empresário, presidente do PP de Canavieiras e pré-candidato a prefeito, Edmar Luz, conversou com este Pauta Blog sobre o atual cenário político do município. Luz definiu a atual gestão como “pífia” e disse que a cidade vive “um caos administrativo há seis meses”.

Edmar chegou a Canavieiras há mais de 20 anos e se apaixonou pela região. É casado, pai de dois filhos e, em 2006, começou a discutir política na cidade ao atuar como presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). Em 2016, candidatou-se a prefeito pela primeira vez e teve 5.524 votos, alcançando o segundo lugar. Em 2020, também foi candidato, mas bateu na trave outra vez. Neste ano, espera obter sucesso nas urnas porque tem um propósito na vida pública: “Não estou na política por vaidade, mas porque tenho um projeto para a cidade e acredito nesse projeto”.

➡️ Confira a entrevista:

Pauta Blog // Como você avalia a gestão do prefeito Paulo Carvalho?
Edmar Luz // A pessoa de Paulo Carvalho, eu respeito muito, o filho dele eu também respeito muito. Gosto muito deles, mas a administração, hoje, é pífia. Nós temos, infelizmente, um município que é governado não só pelo prefeito, mas por um grupo de pessoas que têm autonomia plena para estar mandando nas secretarias e isso não é modelo. O papel de um vereador é legislar e fiscalizar, não é executar. Hoje, Canavieiras vive um caos administrativo, onde você tem um número de funcionários que ultrapassa qualquer índice, tem cerca de 80% de contratações indevidas. As pessoas estão em uma encruzilhada porque, provavelmente, elas não vão receber os salários em breve porque Paulo pegou o município em um momento de crescimento das receitas e, agora em março, as receitas caem. Como a prefeitura vai manter os salários em dia? Com certeza, vai haver demissões! Eu fico muito preocupado com essas atitudes que vêm sendo tomadas. A cidade parou! Não tem obra sendo executada em Canavieiras! Não temos nada sendo feito! As coisas que estavam ruins, ou estão do mesmo jeito ou estão piores. A gente vive um clima muito desconfortável e a cidade está tensa com a atual administração.

Pauta Blog // Por que o prefeito não consegue gerir nem ordenar?
Edmar Luz // Infelizmente, o quadro é de loteamento das secretarias. São secretários que não têm autonomia porque chega outro ente público e desmanda o que o secretário mandou fazer, então é algo nunca visto antes. Eu converso com os vereadores mais antigos e com algumas lideranças que dizem que nunca viram isso acontecer. São seis meses desse caos administrativo e a cidade não vai suportar mais quatro anos.

Pauta Blog // Quais são os principais problemas enfrentados pela população de Canavieiras e o que você faria para mudar esses cenários?
Edmar Luz // Em Canavieiras, nós temos três grandes problemas: a saúde pública, a geração de emprego e os problemas de infraestrutura.

➡️ SAÚDE

Edmar Luz // A saúde pública, eu falo de constituirmos uma equipe pra realizar um atendimento humanizado porque as pessoas precisam ser acolhidas nas unidades de saúde e ser tratadas com respeito. Temos, também, que informatizar a saúde pública para que o reconhecimento facial faça com que o cidadão não tenha, necessariamente, que levar a documentação pra ser atendido. Também temos que trazer mais especialidades para o município porque, hoje, por exemplo, não temos obstetra. Os filhos de Canavieiras têm que nascer em Ilhéus porque Canavieiras não tem um obstetra. Temos que pactuar com a Fundação de Camacã para que o atendimento seja feito lá e temos que fazer um investimento na saúde pública. Com os recursos próprios do município, que a gente destine 15% ou 20% a mais para a saúde pública porque é necessário.

➡️ GERAÇÃO DE EMPREGO

Edmar Luz // Na geração de emprego, nós precisamos iniciar o processo de agroindustrialização, que é a gente pegar uma área pública, fazer a desapropriação e fazer o nosso distrito industrial porque nós somos produtores de camarão, de lagosta e de piaçava. Nós temos que reorganizar o turismo de Canavieiras, o calendário turístico e sentar com o trade para discutir ações para promover Canavieiras porque a gente precisa estar na mídia. Precisamos incentivar a agricultura familiar para que o produtor tenha assistência técnica para produzir e incentivar o comércio a comprar o produto que é produzido pelo nosso produtor rural.

➡️ INFRAESTRUTURA

Edmar Luz // Na Infraestrutura, eu sigo o exemplo de Thiago porque, quando um amigo faz algo de bom, a gente precisa copiar dentro de casa, do comércio e também da prefeitura. Thiago implantou a fábrica de intertravado em Una e, hoje, consegue produzir em torno de 300 metros por dia com duas máquinas que ele comprou com um investimento de R$ 70 mil. Dessa forma, nós vamos poder calçar todos os bairros de Canavieiras, como Cidade Nova, João Fonfon, Jardim Burundanga, Jardim Primavera e Augusto Reis, que são bairros que não têm calçamento até hoje, além do interior do município.

Pauta Blog // Como está o andamento da sua pré-candidatura a prefeito?
Edmar Luz // Tem muito diálogo com as lideranças que, hoje, não estão fazendo parte da administração. É um clamor por união pra gente mudar o rumo que Canavieiras tem tomado nesse momento. É um momento pra todo mundo ter humildade, discutir o futuro da cidade. Tenho conversado com lideranças do MDB, com o ex-prefeito Dr. Almeida, com lideranças do PSD, do PT, com o governo do estado e com os nossos deputados pra gente fazer uma base forte pra Canavieiras voltar a trilhar um caminho correto. Canavieiras é um pote de ouro que está enterrado porque os filhos de Canavieiras não usufruem dessas riquezas. Precisamos unir a oposição pra gente dar uma condição melhor para a população.

Pauta Blog // O que a população pode esperar de uma possível gestão de Edmar Luz?
Edmar Luz // Trabalho, dedicação e amor. Tenho amor por Canavieiras e pelas pessoas. O bem maior que nós temos no município são as pessoas. Então, quero cuidar de gente. Eu tenho essa missão! Creio que é uma missão que Deus me deu de vir para Canavieiras. Eu quero cuidar da nossa gente e farei o meu melhor com as bênçãos de Deus para cuidar do povo de Canavieiras.

➡️ “Não estou na política por vaidade, mas porque tenho um projeto para a cidade e acredito nesse projet”

➡️ “A pessoa de Paulo Carvalho [prefeito], eu respeito muito, mas a administração, hoje, é pífia”

➡️ “Canavieiras vive um caos administrativo, onde você tem um número de funcionários que ultrapassa qualquer índice, tem cerca de 80% de contratações indevidas”

➡️ “A gente vive um clima muito desconfortável e a cidade está tensa com a atual administração”

➡️ “São seis meses desse caos administrativo e a cidade não vai suportar mais quatro anos”

➡️ “Em Canavieiras, nós temos três grandes problemas: a saúde pública, a geração de emprego e os problemas de infraestrutura”

➡️ “Eu falo de constituirmos uma equipe pra realizar um atendimento humanizado porque as pessoas precisam ser acolhidas nas unidades de saúde e ser tratadas com respeito”

➡️ “Na geração de emprego, nós precisamos iniciar o processo de agroindustrialização”

➡️ “Canavieiras é um pote de ouro que está enterrado porque os filhos de Canavieiras não usufruem dessas riquezas”

➡️ “Quero cuidar de gente. Eu tenho essa missão! Creio que é uma missão que Deus me deu de vir para Canavieiras”

"Acho que a situação por lá está ficando complicada porque até apoio de morto querem", destacou Lúcio Vieira

Leia em: 3 minutos

Este Pauta Blog conversou com o ex-deputado federal e presidente de honra do MDB na Bahia, Lúcio Vieira Lima. O experiente político falou sobre as movimentações políticas para o pleito de 2024 e sobre o anúncio do partido de que pretende apoiar a pré-candidatura de Geraldo Simões (PT) a prefeito de Itabuna.

Lúcio enfatizou a decisão do MDB baiano, mas salientou que a legenda depende do posicionamento do PT itabunense: 📌“O MDB tem o desejo de apoiar, mas Geraldo precisa resolver o imbróglio dele com o PT. O apoio do MDB depende do PT de Itabuna porque ele tem que dizer, internamente, se vai oficializar Geraldo como candidato ou não. A militância tem que dizer se quer o candidato ou não”.

Questionado sobre as declarações dadas pelo presidente do PSD de Itabuna, Alcântara Pellegrini, sobre a possibilidade de Simões desistir do pleito para apoiar o prefeito Augusto Castro (PSD), Lúcio provocou: 📌“Antes, diziam que Geraldo estava morto! Acho que a situação por lá está ficando complicada porque até apoio de morto querem, mas isso aconteceu depois das conversas do MDB com Geraldo. Essa entrevista de Alcântara mostra que eles mudaram de opinião porque estão querendo o apoio do morto. Eu nunca vi querer apoio de morto! Esse é um reconhecimento de que o morto está vivo!”.

Irreverente, Vieira Lima disse que, caso Augusto decida se aliar a Geraldo para compor a chapa, será bem recebido: 📌“Se Augusto quiser ser vice de Geraldo, não tem problema, não! Se ele for vice, com certeza, Geraldo não vai fazer o que ele fez com Guinho. Vai ter gabinete, funcionário e tudo!”.

O ex-deputado federal comentou, também, que apoiar a tentativa de reeleição de Augusto não significa, necessariamente, apoiar a base aliada, pois, segundo ele, não existe unidade no atual cenário: 📌“Se tem alguém que não está unindo a base ou que está fora da base, é o prefeito [Augusto Castro]. O vice dele é do União Brasil e já anunciou que vai ter o apoio do PSDB. Está cada vez mais difícil os aliados do prefeito sustentarem um discurso de que Geraldo não terá legenda no PT. O primeiro obstáculo é que teriam que se unir ao prefeito por causa da base, mas, com o tempo, mostrou-se que, se tem alguém que não une a base, é o prefeito. O secretariado dele votou [em 2022] em Neto”.

Ao comentar sobre a provável pré-candidatura do deputado estadual Fabrício Pancadinha (Solidariedade), Lúcio disse que o mérito não é do político, mas do desejo de mudança da população: 📌“Pancadinha está segurando na pesquisa pelo histórico de oposição dele a Augusto. Não é porque ele é bom! Com o descaso de Augusto, ele sobe na pesquisa. Geraldo precisa ser oposição a Augusto e ser competente pra dar jeito em Itabuna. A situação dele se parece com a de Lula. Lula estava mal, foi preso e tudo, mas, como o povo estava interessado em recuperar a credibilidade internacional que é fundamental para recuperar o Brasil, Lula era melhor”.

Ao defender o nome de Geraldo para prefeito de Itabuna, o presidente de honra do MDB da Bahia alegou que o motivo ultrapassa a política: 📌“Geraldo quer mostrar que tem compromisso com o povo, com a cidade e com a sua gente. Ele quer encerrar a sua carreira política, mas não como alguém que foi derrotado porque diziam que ele fez isso ou aquilo. A motivação da pré-campanha dele é mais nobre. Nesse momento, precisa do apoio estadual ou federal e Geraldo é compadre de Lula. Não estou dizendo que, se Geraldo não for candidato, Lula vai perseguir Itabuna, mas estou dizendo que, havendo proximidade, você facilita”.  

📷 Foto de Reprodução/Redes Sociais

Manoel Porfírio elogia prefeito Augusto Castro e ex-prefeito Geraldo Simões, mas diz que vai apoiar atual gestor até o final

Leia em: 3 minutos

Este Pauta Blog conversou com o vereador licenciado e atual presidente da Fundação Marimbeta, Manoel Porfírio (PT). O político reconhecido por sempre falar o que pensa abriu o jogo sobre o pleito de 2024 e sobre as alianças firmadas até agora, além de declarar apoio e amor incondicionais ao único partido ao qual já foi filiado.

Para Porfírio, a realidade de Itabuna melhorou muito desde que o prefeito Augusto Castro (PSD) foi eleito e, por isso, a base aliada não pode titubear em apoiar a tentativa de reeleição no próximo ano. Ao declarar que “se apaixonou pelo governo de Augusto”, o vereador disse que pretende caminhar com o aliado até o final.

Manoel teceu bastante elogios à história do ex-prefeito Geraldo Simões (PT), mas disse que esse não é o momento dele ser pré-candidato outra vez. O vereador confessou que gostaria que o valor de Simões fosse reconhecido pela legenda para que, assim, ele passasse a compor o governo do presidente Lula (PT).

No final da entrevista, Porfírio relembrou a contribuição importante do ex-prefeito Vane (Republicanos) e do ex-vereador e atual secretário de Promoção Social, Júnior Brandão, enquanto eram filiados ao Partido dos Trabalhadores. Para o vereador, a dupla foi injustiçada dentro da sigla.

Confira algumas declarações do vereador e secretário Manoel Porfírio em entrevista ao Pauta Blog:

➡️ “Não é fácil ser petista! Eu sou feliz em ser petista. Meu partido é extraordinário!”

➡️ “Sou um homem preparado pra tudo. É melhor fazer política para mudar a vida do povo”

➡️ “Política não é para interesse pessoal, tem que ser pelo interesse coletivo”

➡️ “Estamos sendo capazes de respirar por causa da gestão financeira de Augusto, o que muitos duvidavam”

➡️ “Minha conexão com o povo, vocês nunca vão tirar!”

➡️ “Alguém errou! Já era pra o PT ter mais vereadores em Itabuna”

➡️ “A história de Geraldo Simões impulsiona os sonhos do PT, mas Itabuna é diferente”

➡️ “Não se pode apagar a história de ninguém. Geraldo foi prefeito, deputado e secretário da Codeba”

➡️ “Tenho um carinho muito especial por Geraldo. Eu não vou jogar a história de Geraldo no lixo”

➡️ “Queria que ele não fosse pré-candidato, mas ocupasse um lugar de destaque no governo Lula”

➡️ “Essa turma precisa conversar, francamente, com Geraldo. Geraldo é nosso patrimônio!”

➡️ “O PT é ferramenta de transformação social. O PT tem que renovar!”

📹 Assista a entrevista completa:

"A cidade está passando por um momento de muita dificuldade em que a gente vê um governo de improviso. A cidade está um caos!", destacou Jackson Moreira

Leia em: 5 minutos

Este Pauta Blog entrevistou o servidor público federal aposentado e presidente do PT de Itabuna, Jackson Moreira. O ex-funcionário da Ceplac (Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira) militou ao lado do ex-prefeito Geraldo Simões (PT) na década de 80 e, durante os dois mandatos do petista, integrou a gestão nos cargos de diretor do departamento do material de patrimônio e diretor de recursos humanos.

O presidente do PT itabunense assegurou que a pré-candidatura de Simões a prefeito em 2024 está ganhando mais força com o passar do tempo: 📌“Geraldo é pré-candidato do PT. Como nós temos um processo até a eleição, nós podemos ter pré-candidatos de outros membros da federação. Nesse primeiro momento, estamos discutindo com a sociedade organizada, com outros partidos, com outras pessoas e militantes, além de figuras proeminentes na sociedade. Diante do caos e do problema enfrentado por Itabuna na Educação, no transporte, no saneamento básico, na mobilidade urbana, em vez da pré-candidatura de Geraldo ser negociada ou não, ela toma cada vez mais força considerando as qualidades dele para liderar o processo de resgate da nossa cidade, haja vista os dois mandatos profícuos que Geraldo teve em Itabuna, onde ele se destacou muito”.

O petista salientou, inclusive, o posicionamento do MDB baiano, que já deu indícios de que vai abraçar a pré-candidatura de Geraldo: 📌“A direção do MDB está comprometida com a candidatura de Geraldo a prefeito. O MDB é um partido histórico na Bahia e no Brasil. Ele é o partido responsável pela redemocratização no Brasil e, na Bahia, em particular, dentre outras coisas, uma das grandes virtudes do partido e dos irmãos Vieira Lima é assumir compromissos e manter esses compromissos, muito diferente de outras figuras que, aquilo que se fala sentado, não se garante de pé”.

Segundo Jackson, Geraldo é a pessoa que reúne as condições necessárias para “consertar” a situação em que o município se encontra na gestão de Augusto Castro (PSD): 📌“A cidade está passando por um momento de muita dificuldade em que a gente vê um governo de improviso. Nós não vemos um governo que reúna condições de ofertar à população serviços de qualidade e do que nós precisamos. Nós vemos dificuldades e deficiências em todas as áreas. Temos um transporte público caótico com 45 ônibus que quebram todos os dias. Os postos médicos de Itabuna encontram-se de forma precária e não oferecem um serviço de qualidade. As pessoas que procuram o serviço reclamam que não há materiais básicos para curativos, não há medicamentos e outras coisas. A educação é outra grande dificuldade. A cidade está um caos!”.

Questionado sobre a declaração dada pelo presidente do PSD de Itabuna e secretário de Esportes e Lazer, Alcântara Pellegrini, de que Simões poderia desistir da pré-candidatura para apoiar Augusto, Jackson foi enfático: 📌“[Chance] é zero! A necessidade da candidatura de Geraldo é em função do desastre em que Itabuna se encontra, onde nada funciona. Essa situação atual da cidade é que leva Geraldo a manter a pré-candidatura”.

Em entrevista à TVI, Pellegrini disse, também, que a Direção Nacional do Partido dos Trabalhadores poderia incitar a desistência da pré-candidatura a partir do reconhecimento da contribuição do PSD nas eleições de 2022, mas Jackson disse que desconhece essa possibilidade e alfinetou o adversário político: 📌“Eu acho que onde Alcântara milita, ao longo da vida, ele não tem conhecimento de pessoas que garantem aquilo que falam. Geraldo está aberto ao diálogo com qualquer pessoa, mas o momento do diálogo pra gente discutir candidatura já passou. Hoje, a pré-candidatura de Geraldo é uma realidade e, além disso, nós firmamos um compromisso político-partidário com o MDB, que é de muita importância. Alcântara foi infeliz em algumas coisas. Na entrevista, ele disse que a direção-geral do partido vai intervir, mas isso é porque o histórico de Alcântara vem do carlismo, onde, na verdade, ‘manda quem pode e obedece quem tem juízo’, diferentemente do Partido dos Trabalhadores, que é um partido plural e as pessoas têm direito ao voto. É por isso que ele fala que a direção-geral pode interferir, mas, lá, nós temos liberdade e capacidade para deliberar sobre os nossos destinos. Eu vou enviar para Alcântara uma deliberação do diretório nacional do Partido dos Trabalhadores, onde é citada a necessidade de, em cidades com mais de 100 mil habitantes, a estimulação de candidaturas próprias. Isso não é interferência nem obrigatoriedade, mas um indicativo de como o partido se comporta”.

O presidente do PT de Itabuna também criticou Alcântara por ele ter declarado que Jackson e Geraldo tem feito críticas desonestas à atual gestão: 📌“Nós sempre fizemos críticas construtivas porque nós queremos o melhor para a cidade. Desonesto mesmo é gastar R$ 10 milhões no Ita Pedro e manter um restaurante popular fechado há 974 dias. Aquele local beneficiaria 3 mil pessoas diariamente em uma cidade onde 54 mil moradores estão em fragilidade alimentar. Desonesto é dizer aos quatro ventos que vai fazer o maior programa de água da cidade e, depois, ser descoberto que esses produtos e equipamentos estão sendo feitos pelo governo do estado. Desonesto é você recuperar uma escola e ela quase desabar sobre a cabeça das crianças. Alcântara tem dito que nós fazemos críticas desonestas, mas estamos à disposição para fazer um debate público e civilizado onde nós possamos colocar tudo o que pensamos sobre a gestão e ele ter direito de apresentar o que acha”.

DÊ PLAY E ASSISTA A ENTREVISTA COMPLETA ⤵️

"Acredito que vai haver diálogo e Geraldo vai apoiar Augusto Castro nas próximas eleições", declara Alcântara sobre pleito de 2024 // 📷 Fotos Reprodução/TVI Itabuna

Leia em: 4 minutos

O presidente do PSD de Itabuna e secretário municipal de Esportes e Lazer, Alcântara Pellegrini, foi entrevistado pelo jornalista Val Cabral no programa Olho no Olho, da TVI. Durante o bate-papo, Pellegrini falou sobre a atuação do PSD no Sul da Bahia, além do cenário eleitoral para 2024 e o anúncio da pré-candidatura de Geraldo Simões (PT) a prefeito.

Alcântara disse que, apesar de estar há muito tempo no meio político, foi a identificação com o PSD que o fez se filiar à legenda. O secretário destacou, também, o alto número de eleitos pela sigla de 2020 até agora: 📌 “Temos 13 prefeitos do PSD no Sul da Bahia. Temos 78 vereadores do partido e, na maioria, os presidentes das Câmaras são do PSD. Na Bahia, temos 117 prefeitos da legenda. Isso é gestão e compromisso!”.

Questionado sobre as possibilidades de reeleição dos gestores no pleito de 2024, Alcântara citou os municípios onde acredita que há mais chances: 📌 “Jussari, onde o prefeito tem uma projeção de gestão muito boa, que já chegou a 78%. Em Itabuna, eu vejo Augusto quebrando a coisa da não reeleição por conta da responsabilidade com que ele tem feito a gestão, principalmente na parte fiscal. Ele ficou um ano e meio cuidando da gestão fiscal, limpando o nome de Itabuna em várias questões, trouxe de volta um crédito para dar um suporte a partir de agora. Temos, também, a reeleição em Itajuípe, acredito muito que a gente possa fazer. Marão tem uma folga por conta da gestão de excelência. Ele fez uma gestão muito boa, mudou a cidade. Eu digo sempre que existem duas cidades, uma antes e outra depois de Mário. Em Ilhéus, acredito muito na indicação dele porque acredito que ele tenha uma carta na manga. Em Arataca, também acredito na reeleição de Ferlú porque tem feito uma gestão de excelência”.

Ao defender a gestão do prefeito Augusto Castro, o secretário disse que a população não consegue enxergar as benfeitorias realizadas até agora: 📌 “Itabuna avalia mal a gestão. Se você colocar a mente pra funcionar, nós temos o governo Augusto Castro que entrou em um ano de pandemia, entrou salvando vidas e poucas pessoas lembram. Colocamos um Hospital de Campanha que salvou muitas vidas. As pessoas esquecem que o CEMEPI estava fechado, aí Augusto reformou e abriu. As pessoas esquecem que as mães saíam daqui pra ter filhos em outro lugar e Augusto resolveu. As escolas estavam deterioradas e ele reformou grande parte. As pessoas esquecem que havia unidades de saúde fechadas, com teto caindo e a maioria está recuperada. A Vila Olímpica estava fechada e, hoje, nós temos um complexo esportivo funcionando diariamente. As pessoas avaliam de forma errônea a gestão! Talvez seja uma falha nossa não mostrarmos corretamente o que tem sido feito. Espero que, na hora da eleição, isso tudo seja lembrado”.

Sobre o posicionamento do Partido dos Trabalhadores a respeito da estimulação de candidaturas próprias no próximo ano, Alcântara disse que acredita no reconhecimento da contribuição do PSD nas eleições do governador Jerônimo e do presidente Lula: 📌 “A direção geral do partido [PT] sabe que nós temos que fazer a reeleição de Augusto em Itabuna. Quando a direção geral ou o governador e, até mesmo, Wagner, não citam Itabuna e Ilhéus, é porque eles sabem que, em Ilhéus, Mário e o PSD foram super parceiros na eleição de Jerônimo e na condução do presidente Lula. Houve uma participação muito forte dessas duas cidades porque, em Itabuna, nós perdemos e sabíamos que seria difícil por conta do movimento Bolsonaro, que era muito forte. O governo entende isso e sabe da participação direta desses dois prefeitos nas duas eleições”.

Desde que o ex-prefeito Geraldo Simões anunciou que vai tentar ser prefeito de Itabuna novamente, surgiu a incógnita sobre o apoio da base aliada à reeleição de Augusto. Alcântara defendeu o direito do ex-gestor ser pré-candidato, mas disse que acredita que vai haver um entendimento entre as partes: 📌 “A pré-candidatura de Geraldo Simões é legítima. Ele foi prefeito duas vezes e fez uma boa gestão. Ele também foi deputado federal, secretário de Estado e deixou a sua marca. Nós temos que reconhecer que Geraldo é um bom quadro. Isso é indiscutível, mas não está no momento de Geraldo lançar uma pré-candidatura porque nós temos uma aliança com o governo do Estado, que é um governo que tem dado certo na Bahia. Se o pensamento é individualista e pensando no momento de buscar o ‘eu’, isso está errado. Nós estamos buscando o diálogo. Acredito que, até o final, vai haver o diálogo e Geraldo vai apoiar Augusto Castro nas próximas eleições”.

"Sempre ajudei a eleger vereadores, alguns representaram bem e, outras vezes, não. Para não ter mais decepções, resolvi me lançar", enfatizou Rafael Moreira

Leia em: 5 minutos

Este Pauta Blog conversou com o empresário Rafael Moreira que, nesta semana, anunciou, oficialmente, que vai ser candidato a vereador de Itabuna nas eleições de 2024. De saída do PSD e migrando para o Republicanos, Moreira afirmou que não tem “lados políticos” e que mantém uma boa relação com os que governam porque quer “o melhor para a cidade hoje e sempre”.

CONFIRA A ENTREVISTA COMPLETA ⬇️

Pauta Blog // Quem é Rafael Moreira?
Rafael Moreira // Sou nascido e criado em Itabuna. Sempre fui ligado e sempre gostei muito de política. Com a maturidade que tenho hoje, vi a necessidade de, realmente, lançar a pré-candidatura. Sou empresário na cidade, gero emprego e renda no município e gosto de Itabuna porque moro aqui por opção. Gosto daqui e tenho vontade de ajudar na área pública.

Pauta Blog // Qual é o seu histórico na política itabunense?
Rafael Moreira // Fui coordenador do Procon aos 22 anos de idade assim que me formei. Sempre ajudei nas campanhas políticas de Fernando Gomes e Capitão Azevedo, e com vereadores também porque sempre ajudei na formatação de chapas. Sempre deu certo e, hoje, chegou o momento de estar à frente disso porque, às vezes, a gente se decepciona com quem elege porque ninguém pensa igual a ninguém. Para não ter mais decepções, resolvi me lançar e fazer o que é bom para a cidade. Fui candidato a deputado em 2018 em um momento de fragilidade porque tinha acabado de perder meu pai e foi uma forma de me tornar uma pessoa mais conhecida. Foi bom na época na construção do que sou hoje em Itabuna.

Pauta Blog // Por que tomou a decisão de se candidatar a vereador?
Rafael Moreira // Ao longo do tempo, sempre ajudei a eleger vereadores, alguns representaram bem e, outras vezes, não. Infelizmente, algumas ações não condizem com o que penso, mas, para não me decepcionar mais, me lancei para tentar ganhar e fazer o que é melhor para a cidade.

Pauta Blog // Qual é o partido que vai te receber para 2024?
Rafael Moreira // Estou indo para o Republicanos, mas sou do PSD atualmente.

Pauta Blog // A saída do PSD representa uma ruptura com o governo do prefeito Augusto Castro?
Rafael Moreira // Não tenho nada contra Augusto porque acho que o governo tem coisas boas e coisas ruins, assim como todo governo. Um exemplo positivo foi o reajuste fiscal em relação à Itabuna voltar a ter certidões. Achei o empréstimo sem entender como vai funcionar e isso foi um ponto negativo, mas todo governo tem coisas assim. A questão partidária é política e, no Republicanos, é para ter autonomia e conhecimento para montar e ajudar o partido. Estou chegando para somar e ter mais candidatos a vereadores pelo partido Republicanos.

Pauta Blog // Com quem você vai marchar em 2024?
Rafael Moreira // Eu tenho uma relação boa com todos os lados. Eu me relaciono bem tanto com o governo do estado como com o “carlismo”. A gente precisa unir pessoas, não lados políticos. Eu estou aqui para somar, não vou estadualizar campanha. Quero seguir o planejamento para conseguir colocar meu pensamento nas atitudes da Câmara e fazer Itabuna crescer e avançar mais. Não adianta só criticar, a gente precisa mostrar o caminho.

Pauta Blog // Como está a construção da sua base pensando no próximo ano?
Rafael Moreira // Está caminhando bem. Nesse momento, é fase de construir apoios da sociedade e lideranças que a gente já vem tratando há anos. Estou contente e animado com a receptividade da população. Não é só no centro, mas nos bairros, então estou muito feliz em relação a isso.

Pauta Blog // Quais são as suas propostas para Itabuna?
Rafael Moreira // A gente precisa rever a questão tributária. A gente precisa fazer uma proposta para atrair mais pessoas para a nossa cidade e não deixar de prestigiar quem já está aqui. Itabuna tem um potencial muito grande. Aqui tem um ISS absurdo e aí você chega em Vitória da Conquista, por exemplo, e o ISS é menor. A gente está em uma cidade privilegiada, às margens da BR-415 e da BR-101, então tem muita coisa pra ser feita aqui em relação ao ajuste fiscal pra atrair empresas. Nenhuma empresa vem pra cidade se não tiver um ajuste fiscal bom. Não dá pra dar tudo para quem é de fora e não valorizar quem está dentro. Itabuna precisa parar com essa mania de ser uma péssima mãe e uma excelente madrasta! Outra coisa é a infraestrutura. Eu sei que a gente não tem poder de executar, mas pode fazer projetos e pedir providências para que se façam avenidas. Itabuna só tem o semianel! Tem muito para crescer na cidade, pegar o polo logístico e crescer para o lado de Itajuípe e crescer para o lado de lá também. Não tem mais como crescer para Ilhéus, acabou! Mas, para isso, precisamos buscar parcerias. Precisa cobrar o transbordo, também, porque a licitação foi feita assim e o serviço de ônibus está muito ruim. Essas coisas, a gente precisa cobrar, legislar com competência e ouvir a sociedade porque a gente legisla para o povo e não para si próprio.

Pauta Blog // Diante dos nomes que vão tentar a prefeitura de Itabuna no próximo ano, já tem alguém com quem você vai marchar?
Rafael Moreira // Ainda estou esperando pra avaliar todas as propostas. Por enquanto, estou focado na candidatura e, após ver os projetos e avaliar os que mais condizem com o que penso, aí terei uma direção. Hoje, costumo dizer que o eleitor tem dois votos, o de prefeito e o de vereador, e eu vou pedir só o meu por enquanto.

Pauta Blog // Deixa uma mensagem para os eleitores itabunenses.
Rafael Moreira // Itabuna é minha paixão. Eu moro aqui porque gosto do povo e da cidade. Quero que Itabuna prospere e cresça ainda mais, eu só desejo sorte para a cidade. Tomara que a população tenha os anseios atendidos e que tudo melhore realmente. Feliz aniversário para a cidade e que tudo seja melhor que sempre.

Prefeito Augusto Castro disse que governo municipal já realiza ações de combate à fome, mas programa vai ser intensificado

Leia em: 2 minutos

O governador em exercício, Geraldo Júnior (MDB), estará em Itabuna nesta 3ª feira (11.abril) para apresentar as estratégias do programa estadual Bahia sem Fome. Na cidade, Geraldinho vai ser recepcionado pelo prefeito Augusto Castro (PSD), aliado político da base do governo da Bahia.

Este Pauta Blog conversou com o gestor, que salientou que ações de combate à fome já vêm acontecendo em Itabuna: “Nós já temos uma ação grande na área da secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza. As obras são muito importantes, mas combater a fome e a desigualdade é fundamental para qualquer governo. O governo da Bahia vai lançar, aqui em Itabuna, esse programa e a gente tem feito, também, uma política de assistência e promoção social através dos nossos equipamentos. Tem o auxílio que conseguimos implementar em nosso governo, o Auxílio Enchente, a distribuição das cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade, assim como aconteceu na Semana Santa com 20 mil famílias sendo beneficiadas, assim como no período do Natal com a cesta natalina”.

Para Augusto Castro, o momento é ideal para reforçar a necessidade de ajudar as pessoas em situação de vulnerabilidade: “Isso é fundamental para o município e para o Estado trabalharem no combate à fome. Vamos aderir, também, a esse programa fundamental, que vai ajudar as pessoas. Com esse reforço do programa Bahia Sem Fome, a gente vai ampliar essa máquina e queremos inaugurar, até o dia da cidade, o Restaurante Popular, que faz uma grande diferença na vida das pessoas e vai continuar fazendo”.

"Sei das limitações e tenho pago o preço que a sociedade cobrou de mim através do Judiciário com muita altivez e dignidade", declara Geddel

Leia em: < 1 minuto

O ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB) concedeu entrevista ao site Toda Bahia e comentou sobre o atual cenário político baiano. Questionado sobre qual papel pretende exercer a partir de agora, Geddel declarou que vai ser uma liderança partidária que sempre vai opinar quando procurado dentro do partido ou pelo governador Jerônimo Rodrigues (PT).

O site quis saber, no entanto, se, com a vitória do petista, Geddel aceitaria exercer algum cargo público: “Nem pensar, nem pensar. É o que eu digo: já exerci todas as funções que a generosidade de Deus permitiu. Agora é seguir outro rumo, outra estrada, sem me desvencilhar daquilo que gosto, que é contribuir de alguma forma quando for procurado para dar minha opinião política”.

Ainda durante a entrevista, Geddel declarou não ter interesse em disputar nenhum cargo político: “Não. Eu vou militar na política, que é a paixão da minha vida, mas sei das limitações e tenho pago o preço que a sociedade cobrou de mim através do Judiciário com muita altivez e dignidade. Nada me inibe. Se me constrangem, eu constranjo. Se me agridem, eu agrido. Se me xingam, eu xingo. Mas não pretendo voltar. Acho que tenho uma contribuição a dar na articulação política, com a experiência fruto da dor e da alegria e de toda capacidade que acumulei de olhar a floresta toda e, a partir daí, dar minhas contribuições quando for instado a dar”.

Vereador Danilo da Nova Itabuna pelo União Brasil, em seu primeiro mandato

Leia em: 7 minutos

O Pauta Blog conversou com o vereador de Itabuna, Danilo da Nova Itabuna (União Brasil), sobre a atual parceria com o ex-prefeito de Itajuípe e candidato a deputado estadual, Marcone Amaral (PSD), e a declaração de apoio à reeleição de Paulo Magalhães (PSD) como deputado federal. Danilo disse que Marcone tem potencial para ser um grande líder regional e que Paulo tem sido mais atuante em Itabuna que o governador Rui Costa (PT).
Confira a entrevista completa:

Pauta Blog // Por que o senhor resolveu apoiar a candidatura de Marcone Amaral a deputado estadual?
Danilo da Nova Itabuna // É muito simples falar de Marcone porque Marcone é um ser humano simples e a simplicidade dele nos transmite um olhar de esperança. O cenário da nossa região está esquecido há muito tempo porque nós não temos representatividade no estado com deputados da nossa cidade. Marcone nasceu em Poções, foi morar em Itajuípe muito jovem, estudou em Itabuna e começou a carreira como jogador no Itabuna, se tornou um profissional e voltou para Itajuípe. Quando ele voltou para Itajuípe, foi para estar próximo da família e dos amigos, mas viu a necessidade de Itajuípe ter um gestor e uma pessoa que, realmente, cuidasse da cidade. Marcone entrou na campanha para prefeito em 2016 com 3% na pesquisa contra 68%. Mesmo assim, ele conseguiu ganhar a eleição e transformar aquela cidade, além de dar dignidade para aquele povo. Itajuípe não é um céu, mas está caminhando para, daqui a 4 ou 5 anos, ser uma grande cidade. Você chega no posto de saúde, tem médico, nas escolas tem merenda e ensino de qualidade. Essas coisas eu admiro em Marcone! Ele tem a vida estabilizada, mas abriu mão de curtir a aposentadoria para cuidar de gente, estar no dia a dia com famílias, levantando bandeiras, brigando pelas pessoas e por sua terra. Marcone, hoje, é a melhor opção para o Sul da Bahia. Eu acredito que, eleito, ele vai conseguir que os prefeitos tenham responsabilidade com o dinheiro público para somar nessa região.

Pauta Blog // Qual é a marca de Marcone como gestor em Itajuípe?
Danilo da Nova Itabuna // Nos últimos 45 dias, eu estive muito próximo de Marcone. Eu já andei com vários políticos e tive minha vida desde os 14 anos envolvido com política, mas eu nunca vi um ser humano de luz como aquele rapaz. Quando você pega um cara que se torna prefeito da cidade e não coloca nenhum parente na prefeitura e nunca ganhou propina de empresas! Eu andando com Marcone na Cinquentenário, tem pessoas que prestam serviço em Itajuípe e ele não conhece os fornecedores. Sabe o que é isso? Responsabilidade com o dinheiro público! É isso que nós queremos! Estou aqui sendo vereador, mas isso vai passar, mas eu quero um gestor na cidade que cuide do povo, que chame a responsabilidade, e Marcone é um ser humano com um coração diferenciado. Você não vê ele atacando ninguém nem falando mal de ninguém! Você nunca vai vê-lo querendo ser melhor que ninguém, ele só quer fazer a coisa certa. É o que ele sempre fala: “Vamos ser transparentes com as coisas do povo porque o que é do povo, a gente tem que dar para o povo”. Marcone não dá cesta básica em semana de eleição, tem um cadastro para aquelas famílias. Uma coisa que me marcou em Itajuípe foi eu conversando com uma pessoa e a pessoa falou: “Meu filho vai para a escolinha de futebol, treina, o município dá uma chuteira e, todo mês, eu ganho uma cesta básica”. A criminalidade em Itajuípe vinha crescendo de uma forma muito grande e ele conseguiu trazer as crianças para o esporte, fortalecendo a família e dando comida para quem tem fome. Isso me emociona em Marcone! Eu me sinto tranquilo falando de Marcone e queria ter essa tranquilidade para falar de todos os políticos que eu conheci, mas eu não tenho. Eu tenho certeza de que Marcone, como deputado, vai fazer a diferença.

Pauta Blog // Caso Marcone seja eleito, o que o senhor acha que ele vai levar de bom para Itabuna?
Danilo da Nova Itabuna // Marcone conheceu 40 países e tem uma visão totalmente diferente de muitas pessoas que passaram pela nossa região. Ele vai representar essa região de uma forma tão grande que não dá para pontuar a maior obra que ele pode conseguir. Não estou aqui dizendo que ele vai mudar Itabuna, mas ele vai apresentar a nossa região para o mundo. Itabuna vai estar nas maiores reuniões, a pauta de Itabuna vai mudar, a pauta de Buerarema vai mudar, Ilhéus vai ter o turismo reconhecido internacionalmente, um sheik da Arábia vai estar sentado ouvindo falar de Ilhéus, pessoas da Europa vão ouvir falar de nós. Nós temos um grande potencial no cacau, no turismo, e é isso que é preocupação! Marcone vai gerar emprego na região porque conhece os grandes e vai buscar isso. Ele gosta de dar emprego! Ele gosta de ver o povo trabalhando! Ele vai buscar indústrias para a nossa região e tenho certeza disso. Marcone está caminhando para se tornar o maior líder regional do Sul da Bahia!

Pauta Blog // Na última sessão realizada na Câmara de Itabuna, o senhor disse que estaria disposto a renunciar o mandato caso surgisse um candidato a deputado melhor que Marcone. O senhor sustenta esse posicionamento?
Danilo da Nova Itabuna // Eu renuncio o mandato! Em Itajuípe, tinha atraso de salários, escolas desgraçadas, não tinha creches, ruas com buracos e cheias de lixo. Marcone acabou com tudo isso e deu dignidade ao povo de Itajuípe! Não é história, não! Então, me mostrem aqui na região quem é que fez isso! Me mostrem quem é que tem a capacidade de, em 5 anos, transformar uma cidade. Você não vê um ato de corrupção no governo de Marcone. Você não vê escândalo! A enchente do ano passado acabou com a cidade e, em 90 dias, ele refez a cidade. Itabuna não conseguiu até hoje! A região não tem nenhuma cidade que se reergueu com tanta rapidez como Itajuípe. Isso é gestão e ser humano! É você não pensar na política, mas nas pessoas! Quando eu falo que eu desafio, por que ninguém vai? Nós não temos ninguém tão preparado como Marcone! Eu desafio todos os fornecedores que prestam serviço em Itajuípe a dizer que já viu corrupção de Marcone, mas não tem! Eu ando no dia a dia com Marcone e vejo a preocupação dele com o dinheiro público e com as pessoas mais necessitadas. Marcone não está em política para ser ladrão de dinheiro público! Ele está na política para ajudar as pessoas, gerar emprego e renda e dar dignidade ao povo. Estávamos caminhando no Bairro Novo Horizonte, ele viu esgoto a céu aberto e disse: “Isso é desumano! Isso aqui não é política, é humanidade!”. Marcone é diferente e Itabuna vai ter um grande líder! Vai ser referência no Catar, na Europa, no Rio, em São Paulo, em Salvador e aonde chegar. Itabuna tem um potencial muito grande que nós, itabunenses, não sabemos, mas, Marcone na Assembleia, essa região vai se desenvolver tanto que ninguém vai entender o que aconteceu.

Pauta Blog // Uma vez eleito deputado, Marcone pode ser candidato a prefeito de Itabuna?
Danilo da Nova Itabuna // Não tem ele querer, não! Quem precisa é a gente! Aí já não é mais a vontade de Marcone. Se Marcone, um dia, olhar para Itabuna, que eu não acredito que ele queira isso, mas, se um dia, Itabuna tivesse um gestor como Marcone, em 4 anos não resolveria tudo, mas levaria a cidade 70% para outro patamar. Marcone faria história em Itabuna! Você pode até dizer “esse cara é louco”, mas Marcone sairia de prefeito de Itabuna para disputar qualquer cargo na Bahia e ganharia a eleição. Muitas pessoas questionam que Itajuípe é pequena, mas o dinheiro que vai para lá também é pouco.

Pauta Blog // O senhor crê na possibilidade dele se candidatar à prefeitura de Itabuna?
Danilo da Nova Itabuna // Marcone é muito humano e, se o povo, realmente, continuar necessitando de um grande líder, ele pode ser o futuro prefeito de Itabuna. Que não seja em 2024 ou 2028, mas, um dia, Deus vai colocar um gestor em Itabuna como Marcone Amaral e é isso que eu mais peço a Deus. Tem que colocar em Itabuna um gestor com sentimento pelo povo pobre, pelos bairros periféricos, que a gente coloque asfalto onde tem cascalho, que a gente dê dignidade, que a mãe de família chegue no posto e tenha remédios, que a criança chegue na escola e tenha alimentação e ensino de qualidade, e Marcone é esse homem que pode transformar Itabuna.

Pauta Blog // O senhor declarou apoio à candidatura de Paulo Magalhães faltando poucos dias para as eleições. Por que a demora e por que a escolha pelo nome dele?
Danilo da Nova Itabuna // Eu não foquei na eleição para deputado federal porque eu quero muito o voto regional. Esse voto é muito forte e eu preciso levantar essa bandeira como eu tenho levantado, mas, hoje, poucos candidatos da nossa cidade têm chances para se eleger. Paulo é um forasteiro que mais vive em Itabuna. Nos últimos 8 anos, Paulo trouxe para Itabuna mais de R$ 25 milhões de emendas, então eu conversando com ele, ele me mostrou o que tem feito por Itabuna. Eu não me vendi para Paulo como muitos se vendem por aí! Eu tô indo para Paulo com o reconhecimento do que ele está trazendo para nossa cidade. Eu quero é isso para nossa cidade, eu não quero nada de Paulo, não! Fui lá para dizer que estava do lado dele pelo que ele está fazendo por Itabuna. Reconheço o trabalho que Augusto tem feito hoje e agradeço, primeiramente, a Deus, e depois a Paulo. Se não fosse Paulo aí, isso aí estaria um mangue! Paulo Magalhães ajudou mais que o governador.

Pauta Blog // O senhor afirma que o deputado federal ajudou mais a cidade que o próprio governador do estado?
Danilo da Nova Itabuna // No momento, sim! No momento, Paulo Magalhães tem sido mais útil que Rui Costa para Itabuna. Ou o prefeito vai mentir? Eu não consigo enxergar isso. Paulo é peça fundamental dentro da gestão Augusto Castro porque tem colocado dinheiro e buscado recursos para Itabuna, então acho que, nesse momento, eu tinha que reconhecer isso. Eu não tenho pregado isso a vida toda? Existem muitas pessoas boas, mas o voto de Paulo é de reconhecimento.

Júnior Brandão: "A avaliação que eu faço é que o trabalho aumentou muito, mas trabalhar é bom e faz parte da vida da gente. Dou graças a Deus por essa oportunidade de experiência de serviço".

Leia em: 5 minutos

O Pauta Blog conversou com o professor universitário, educador físico, ex-vereador de Itabuna, ex-secretário de Governo e atual secretário municipal de Educação, Júnior Brandão (Rede). O profissional falou sobre os avanços à frente da secretaria após 3 meses de gestão e sobre os desafios enfrentados desde que assumiu o cargo. Para Júnior, “o trabalho aumentou muito, mas trabalhar é bom e faz parte da vida da gente”.

Confira a entrevista completa ⬇️

Pauta Blog // Atualmente, qual é o maior desafio à frente da secretaria de Educação?
Júnior Brandão // O maior desafio que a pasta tem, hoje, é de voltar 100% da presencialidade dos nossos mais de 19 mil estudantes. Nós temos 62 escolas com 100% de presencialidade, mas ainda temos 26 unidades educacionais que, devido a pandemia e atraso no processo licitatório para contratação de uma empresa, a gente está efetuando as revitalizações visando o retorno o mais rápido possível do total de estudantes. A intenção é dar mobilidade, segurança mínima, conforto no sentido de que os sanitários estejam funcionando adequadamente, parte elétrica com segurança no trabalho, parte da estrutura de cobertura das escolas perfeitamente revisadas para que não tenha nenhum tipo de acidente. Naturalmente, além da questão da presencialidade, outros projetos vão acontecendo na secretaria. Entrei na pasta há 3 meses com 36 escolas e, hoje, a gente está com 62, então a intenção é chegarmos as 89 e, dentro desse número, a gente ainda tem uma que será entregue, que é a Escola Conjunto Cachoeira, na área da Fazenda Progresso. Essa escola é fruto de uma parceria feita através de um movimento chamado “Amigos do Sul da Bahia”. Foi cedida a casa de um trabalhador e esse grupo, que conta com pessoas de outros países, fez a reforma, construiu o banheiro e a prefeitura vai entrar com o mobiliário e com os professores.

Pauta Blog // Como estão os índices de evasão escolar nesse período pós-pandemia?
Júnior Brandão // É interessante porque o número matrículas na rede municipal, a cada semana, tem aumentado. Com o retorno dessas 62, muitos pais que estavam fazendo um sacrifício muito grande para manter os filhos em pequenas escolas particulares, eles estão trazendo os filhos de volta para as escolas municipais. Isso dá mais responsabilidade para quem está dirigindo as escolas públicas no sentido do acolhimento dessas pessoas. Além disso, nós aderimos a um programa do governo federal, que é a “busca ativa”, ou seja, ao detectarmos que temos alunos matriculados nas escolas, mas que não retornaram depois do retorno presencial, uma equipe vai até a localidade ou faz contato telefônico para tentar trazer o aluno que não apareceu na escola ainda. Isso acaba combatendo a evasão escolar. Estamos com a merenda regular, que é outra coisa que atrai o estudante. Estamos muito confiantes de que vamos encerrar o ano letivo com mais estudantes do que quando começamos, o que é algo interessante. Se nossas escolas estiverem mais estruturadas, em 2023, a gente pode ultrapassar os mais de 20 mil estudantes na nossa rede municipal.

Pauta Blog // Entre essas escolas mencionadas, estão contempladas as da zona rural?
Júnior Brandão // Sim! Estamos muito felizes porque o prefeito Augusto Castro determinou que todo o mobiliário novo também seja colocado nas escolas do campo. A gente precisa de um olhar para as escolas do campo e estamos tendo. A felicidade dessas escolas em receber um computador novo para os trabalhos burocráticos tem sido muito interessante. O prefeito determinou que a prefeitura adquirisse um lote de 100 computadores novos porque já tínhamos muitas escolas com computadores ultrapassados, então já estamos distribuindo e tem sido muito positivo. O transporte escolar também está funcionando com 5 vans e 5 ônibus, quer seja levando o aluno do campo para a escola ou da escola para o campo. Inclusive, nessa locomoção do aluno do campo para a cidade, a gente também transporta os alunos da rede estadual que estão no Ensino Médio, então esse diálogo com o governo do estado, através do NTE 5 tem sido muito interessante.

Pauta Blog // Faça um resumo do que é a secretaria municipal de Educação.
Júnior Brandão // A secretaria de Educação, hoje, é uma secretaria que tem que trabalhar com um público de cerca de 2 mil servidores, então é uma quantidade até maior que de algumas prefeituras menores do país. É preciso estar atento à questão da valorização e, graças a Deus, com o piso nacional com o reajuste de 33,24%, deu uma valorizada nesses profissionais. Os servidores receberam, também, pouco mais de 10% de revisão anual, além da revisão no ticket. A gente está lutando para não atrasar o vale transporte porque temos servidores e professores que moram fora de Itabuna, então, há muito tempo, a prefeitura disponibiliza o vale para eles. Temos um grupo de servidores que fez o concurso, mas mora em outras cidades e recebem o vale para que venha trabalhar em Itabuna e retorne. A gente tinha uma visão micro de ter gestado uma escola e, de uma hora para outra, ter que gestar um sistema de Educação tem sido desafiador. A equipe que está na secretaria tem dado 100% de nossa energia para que a gente possa avançar. 

Pauta Blog // O senhor já foi vereador de Itabuna e, agora, faz parte da gestão municipal. Em sua opinião, é mais fácil legislar ou executar?
Júnior Brandão // São duas tarefas diferentes. Estive como legislador e, em dados momentos, fui da base do prefeito. Eu ajudava Vane quando foi prefeito e cheguei a ajudar Geraldo Simões quando ele foi prefeito. No caso de Fernando Gomes, eu ajudei em uma parte e depois senti que eu não podia mais continuar na base e fui para a oposição. Enquanto secretário e ex-vereador, tenho recebido questionamentos de vereadores com pedidos de providências e a gente tenta esclarecer e responder. Tem alguns que não entram com requerimento, mas ligam e eu sempre tenho atendido. A gente tenta atender vereadores, Ministério Público e Conselhos municipais. A gente é cobrado pelo Legislativo, mas também pela sociedade como um todo. Estou com sono reduzido porque a preocupação é grande para a gente atender a todas as demandas. A avaliação que eu faço é que o trabalho aumentou muito, mas trabalhar é bom e faz parte da vida da gente. Dou graças a Deus por essa oportunidade de experiência de serviço.

Professor universitário, educador físico, ex-vereador de Itabuna, ex-secretário de Governo e atual secretário municipal de Educação, Júnior Brandão (Rede).

Notícias mais lidas

Outros assuntos