Lista patrimonial contém dois apartamentos que custam poucos mais de R$ 19 mil cada

Leia em: 2 minutos

O ex-presidente da República e atual candidato à recondução ao cargo, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), declarou um patrimônio avaliado em R$ 7.423.725,78 ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Dentro desse valor, estão incluídos imóveis, veículos, investimentos, dinheiro em contas correntes e construções.

O que mais chama a atenção na lista patrimonial, no entanto, é a presença de dois apartamentos custando apenas R$ 19.167,34 cada. Será que essas humildes residências fazem parte do programa social “Minha Casa, Minha vida”? Além dos apartamentos, está listado um terreno que vale apenas R$ 2.733,45.

Será que o ex-presidente se livrou dos imóveis suntuosos para concorrer às eleições deste ano sendo “gente como a gente”? Do jeito que o país está, o trabalhador brasileiro vive se equilibrando para honrar os compromissos e vai ver que Lula também quis sentir na pele o que é ser pobre de verdade.

É estranho pensar que um homem considerado um dos maiores líderes políticos brasileiros tenha adquirido imóveis a preço popular. O fato é que, em ano eleitoral, vale tudo (ou quase) para conquistar o eleitorado. Lulinha “paz e amor”, como ele mesmo se intitula, pode estar mais marqueteiro do que nunca! 

LEIA TAMBÉM NO PAUTA BLOG ⬇️

Sivaldo Reis e Manoel Porfírio, Capitão Azevedo e Maria Alice, Isaac Nery, Mangabeira, Guinho, Zé Alberto, Erasmo Ávila, Almir Melo Júnior, Sousa Lino e Danilo da Nova Itabuna, Israel Cardoso e Diego Pitanga, Kaiá da Saúde e Thales Silva

Senador Jaques Wagner e o Jerônimo Rodrigues, candidato a governador da Bahia

Leia em: < 1 minuto

O ex-presidente Lula (PT) quer emplacar e liquidar a eleição ainda no primeiro turno rumo ao Palácio do Planalto. Segundo a colunista Andréia Sadi, uma ala do Partido dos Trabalhadores defendia o acordo com o União Brasil, mas, para avançar, era necessário retirar a candidatura de Jerônimo Rodrigues (PT) a governador da Bahia.

A negociação ia de vento em popa, mas foi travada pelo cacique, ex-governador do estado e atual senador da República, Jaques Wagner (PT), que não cedeu. Já o governador Rui Costa (PT) pegou a carapuça e classificou o enredo como um ato de “desespero” da ala do União Brasil, ou seja, do pré-candidato ACM Neto.

Como é desespero se as negociações avançaram com o aval de Luiz Inácio Lula da Silva? Por ora, ninguém dá sinais de que vai ceder. O acordo pode até ter sido travado, mas a sangria política ficou na Bahia.

Já no cenário nacional, o jogo segue com Lula numericamente à frente do presidente Jair Bolsonaro (PL) em todas as pesquisas divulgadas até agora.

📷 Foto de divulgação/Redes Sociais

PF considera que situação de Lula é considerada de risco máximo

Leia em: < 1 minuto

Desde a última sexta-feira (22.julho), agentes da Polícia Federal reforçaram a segurança do ex-presidente Lula (PT) durante os atos de pré-campanha eleitoral. Após a homologação da pré-candidatura à Presidência, foi firmado um acordo para que o petista seja acompanhado de perto pela PF a fim de garantir que ele esteja seguro.

Além da Polícia Federal, agentes do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) estão acompanhando Lula já que, como qualquer ex-presidente, ele tem direito à proteção do órgão. A situação do pré-candidato foi considerada pela PF como nível de risco máximo por ele ser conhecido por muitas pessoas e já ter recebido ameaças.

📷 Foto de reprodução Facebook
Leia em: < 1 minuto

A cantora Anitta utilizou as redes sociais para dizer que apoia a pré-candidatura do ex-presidente Lula (PT) à Presidência. Por meio do Twitter, a rainha do funk declarou: “Não sou petista e nunca fui, mas, neste ano, estou com Lula”.

A declaração, é claro, fez os petistas vibrarem e postarem mensagens mencionando a cantora. O pré-candidato a vice-governador da Bahia, Geraldo Júnior (MDB), usou a hashtag #AnittaLulou para comemorar o posicionamento da artista.

//

Leia em: < 1 minuto

O ex-presidente Lula chegou a Salvador por volta das 15h30min, desta 6ª feira (1°.julho). Neste sábado, o pré-candidato à presidência da República caminhará junto com Jerônimo Rodrigues no Desfile Cívico do Dois de Julho nas ruas do centro da capital baiana. Às 10h30min, o ex-presidente participa de um grande ato aberto ao público na Arena Fonte Nova.

O governador Rui Costa (PT), o senador Jaques Wagner (PT) e os pré-candidatos a vice-governador, Geraldo Júnior (MDB), e ao senado, Otto Alencar (PSD), participaram da recepção a Lula e Geraldo Alckmin (PSB).

📷 Foto de Ricardo Stuckert/Divulgação

Paulinho é presidente nacional do Solidariedade e um dos principais líderes sindicais do país // Foto de reprodução do Twitter

Leia em: < 1 minuto

O deputado federal e presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, utilizou as redes sociais para anunciar que a legenda vai apoiar o ex-presidente Lula (PT) na tentativa de retornar ao Palácio do Planalto. Paulinho é metalúrgico e presidente nacional da Força Sindical.

De acordo com o líder sindical, a união é para priorizar os trabalhadores do país: “Acreditamos nesta união para trazer mais dignidade aos trabalhadores e a todos os brasileiros”.

//

Doria era aliado de Bolsonaro em 2018

Leia em: < 1 minuto

Nesta 5ª feira (28.abril), o ex-governador de São Paulo e pré-candidato a presidente, João Doria (PSDB), concedeu entrevista ao portal Uol e admitiu que está aberto ao diálogo com o ex-presidente Lula (PT). Ontem (27.abril), o político já havia declarado que “Lula e Bolsonaro não são parecidos porque Lula tem passado e eu o respeito”.

O que causa estranheza na declaração de Doria é que ele sempre foi um crítico ferrenho do PT e, em 2018, era aliado às ideias do presidente Jair Bolsonaro (PL). Como política se faz com muita conversa e pensando nos interesses futuros, o ex-governador tem demonstrado arrependimento mesmo depois de ter utilizado a popularidade de Bolsonaro (BolsoDoria) para se promover. Que coisa, hein?!

Publicitário Sidônio Pereira pode assumir campanha de marketing de Lula nos próximos dias

Leia em: < 1 minuto

Dirigentes do PT estariam insatisfeitos com o trabalho do marqueteiro Augusto Fonseca, até então, responsável pela campanha de marketing do ex-presidente Lula (PT) ao Palácio do Planalto. Pensando nisso, outros nomes já começaram a ser cogitados em caráter de urgência para garantir que, do início ao fim, a tentativa de reconduzir o petista ao cargo de presidente dê certo.

O publicitário baiano Sidônio Pereira, que esteve à frente da campanha de Fernando Haddad (PT) em 2018, é um dos nomes mais fortes para assumir o cargo. Ele já atuou, também, nas campanhas do governador Rui Costa (PT) e do senador Jaques Wagner (PT) e, de acordo com o site Metrópole, já foram iniciadas as negociações para que o profissional tome as rédeas da campanha.

Pensando nos resultados das últimas pesquisas de intenção de voto, não é difícil entender a preocupação do PT com a atuação do marqueteiro. Antes, Lula era líder das pesquisas com folga, mas, ultimamente, o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem “encostado” e pode representar uma verdadeira pedra no sapato da esquerda. Engajamento já!

Encontro vai definir data oficial do lançamento da chapa Lula-Alckmin

Leia em: < 1 minuto

Aconteceu hoje (8.abril) uma reunião que oficializou a pré-candidatura do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSB), à vice-presidência da República. A oportunidade serviu para ajustar os últimos detalhes para a oficialização da chapa Lula-Alckmin para concorrer às eleições de outubro.

Além de Alckmin e do ex-presidente Lula (PT), o encontro contou com a participação do presidente do PSB, Carlos Siqueira, e da presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann. O grupo vai definir uma data para apresentação da dupla como pré-candidatos a presidente e vice-presidente.

📸 Foto de Ricardo Stuckert

"Vamos ter que tirar! Isso não pode ser motivo de bravata, tem que ser motivo de construção", assegura Lula sobre decisão de tirar militares do governo // Foto de Ricardo Stuckert

Leia em: < 1 minuto

Durante um encontro na sede da Central Única dos Trabalhadores nesta segunda-feira (4.abril), o ex-presidente Lula falou sobre a presença de quase 8 mil militares em cargos comissionados do governo e garantiu que vai precisar tirá-los das funções caso vença o pleito de outubro. Não é de agora que o petista critica a presença de militares em cargos que deveriam ser destinados às pessoas que prestam concursos.

Para Lula, essa é uma das maiores necessidades ao assumir a cadeira de presidente: “Nós vamos ter que começar o governo sabendo que vamos ter que tirar quase 8 mil militares que estão em cargos de pessoas que não prestaram concurso. Vamos ter que tirar! Isso não pode ser motivo de bravata, tem que ser motivo de construção”.

Notícias mais lidas

Outros assuntos