//

Leia em: < 1 minuto

O senador Jorginho Mello (PL-SC) anunciou pelas redes sociais hoje (17.janeiro), que foi diagnosticado com Covid-19. Segundo o parlamentar, é a segunda vez que ele contrai a doença. O senador disse que tem sintomas leves e que continuará trabalhando em isolamento.

“Amigos, testei positivo para a covid-19 pela segunda vez. Estou apenas com sintomas leves, tudo tranquilo, graças a Deus. Mas o trabalho continua, ainda que remotamente”, publicou Jorginho.

A LISTA DOS INFECTADOS DE 2022 SÃO ⤵️
Esperidião Amin (PP-SC), dia 3 de janeiro;
Weverton (PDT-MA), dia 5 de janeiro;
Kátia Abreu (PP-TO), dia 9 de janeiro;
Luis Carlos Heinze (PP-RS), dia 10 de janeiro;
Marcelo Castro (MDB-PI), dia 11 de janeiro;
Fabiano Contarato (PT-ES), dia 12 de janeiro;
Mecias de Jesus (Republicanos-RR), dia 12 de janeiro.

//

Leia em: < 1 minuto

O ex-ministro e pré-candidato à Presidência pelo Podemos, Sergio Moro, anunciou que testou positivo para a Covid-19 hoje (14.janeiro). “Como havia tomado as três doses de vacina, estou sem sintomas”

O ex-juiz disse que vai cumprir protocolos de isolamento.

//

A ampliação da campanha representa importante avanço na estratégia de proteção coletiva

Leia em: < 1 minuto

A Secretaria de Saúde de Ilhéus, informa que a vacinação contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos seguirá as recomendações da Comissão Intergestores Bipartite da Bahia. Conforme a Sesau, a estratégia contempla a aplicação do imunizante da Pfizer, aprovado pela Anvisa para este público. No ato da vacinação, a criança deverá estar acompanhada da mãe, do pai ou de um responsável legal e apresentar CPF, cartão do SUS, bem como caderneta de vacinação, se tiver. É necessário que o adulto apresente documento de identificação com foto.

A Prefeitura destaca que os pontos de imunização, horários e o cronograma serão divulgados nos próximos comunicados. A chegada das doses aos postos de saúde do município depende da logística do Ministério da Saúde, responsável pela distribuição das vacinas aos estados. A ampliação da campanha representa importante avanço na estratégia de proteção coletiva contra a Covid-19, visto que quanto mais pessoas são imunizadas, menores são os riscos de contaminação e agravamento de casos da doença. 

Quer saber de outras notícias? Siga-nos no Instagram @pauta.blog.br.
Leia em: 2 minutos

A primeira remessa de vacinas contra a Covid-19 destinadas às crianças de 5 a 11 anos chegará à Bahia nesta 6ª feira (14.janeiro). Serão 75 mil doses, o que corresponde a apenas 5% do total de doses necessárias para imunizar o público-alvo baiano, estimado em cerca de 1,5 milhão, com a primeira dose.

O planejamento é que as doses comecem a ser enviadas para os municípios após a emissão do parecer do INCQS/Fiocruz (Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde), previsto para ser divulgado às 14h, e conclusão da reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), programada para a manhã desta sexta-feira.

As vacinas serão encaminhadas para as regionais de saúde no interior do estado em aeronaves da Casa Militar do Governador e do Grupamento Aéreo da PM. Logo em seguida, os imunizantes serão distribuídos para os municípios, que são responsáveis pela operacionalização da vacinação. 

Quer saber de outras notícias? Siga-nos no Instagram @pauta.blog.br.

Damares apresenta sintomas leves e cumpre o isolamento em casa

Leia em: < 1 minuto

A Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, foi diagnosticada com a Covid-19. O comunicado foi feito ontem (12.janeiro), juntamente com as informações de que ela apresenta sintomas leves e passa bem.

Damares já tomou as duas doses do imunizante contra a doença. Está, atualmente, de férias do Ministério e tinha previsão de retornar às atividades já na próxima semana. Agora, vai aguardar o resultado negativo do exame RT-PCR para voltar ao trabalho.  

LEIA TAMBÉM ⤵️

Mecias de Jesus testa positivo para a Covid-19 e já é 7º senador infectado em 2022

Cerca de 1,2 milhão de doses do imunizante serão distribuídas para Estados e DF nos próximos dias

Leia em: 2 minutos

As primeiras doses pediátricas de vacinas Covid-19 para imunização de crianças de 5 a 11 anos chegaram ao Brasil hoje (13.janeiro). O lote de 1,2 milhão de doses da Pfizer (Comirnaty) será distribuído para estados e Distrito Federal nos próximos dias, de forma proporcional ao número de crianças em cada unidade da Federação. A imunização desse público não será obrigatória e deve começar pelo grupo prioritário, como crianças com comorbidades e deficiências permanentes.

Essa é primeira remessa das 4,3 milhões de doses pediátricas da farmacêutica americana que devem ser entregues ao Governo Federal ainda em janeiro. O primeiro voo, operado por um Boeing 767 da LATAM Cargo, pousa no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). Após o desembarque, as doses são encaminhadas para o Centro de Distribuição do Ministério da Saúde em Guarulhos (SP), onde são submetidas aos processos de controle de qualidade e temperatura.

Ao todo, o Ministério da Saúde já encomendou 20 milhões de doses dos imunizantes. A previsão é que todas sejam entregues no primeiro trimestre. Além das unidades de janeiro, 7,3 milhões devem ser entregues em fevereiro e outras 8,4 milhões em março.

A inclusão de crianças no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO) foi anunciada na última semana. Para 2022, o Governo Federal assinou um contrato para aquisição de mais de 100 milhões de doses da Pfizer.

Para a imunização desse público será necessária a autorização dos pais. No caso da presença dos responsáveis no ato da vacinação, haverá dispensa do termo por escrito. A orientação da Pasta é que os pais procurem a recomendação prévia de um médico antes da imunização.

O esquema vacinal para crianças terá o intervalo de oito semanas. O imunizante tem dosagem e composição diferentes da que é utilizada na dose para os maiores de 12 anos. A vacina para crianças será aplicada em duas doses de 0,2 mL (equivalente a 10 microgramas). A tampa do frasco da vacina virá na cor laranja, para facilitar a identificação pelas equipes de vacinação e também pelos pais, mães e cuidadores que levarão as crianças para serem vacinadas.

Ao todo, o Governo Federal distribuiu mais de 390 milhões de doses de vacinas Covid-19. Dessas, mais de 335 milhões foram aplicadas, sendo 161,8 milhões de primeira dose e 144,8 milhões de segunda dose ou dose única da vacina. Além disso, mais de 16 milhões de pessoas receberam a dose de reforço ou adicional contra a Covid-19. 

📷 Foto de Myke Sena

LEIA TAMBÉM ⤵️

Mecias de Jesus testa positivo para a Covid-19 e já é 7º senador infectado em 2022

//

Senador apelou a todos que reforcem os cuidados e tomem a vacina

Leia em: < 1 minuto

O senador Mecias de Jesus (Republicanos-RR) informou por meio de uma rede social, ontem (12.janeiro), que testou positivo para a covid-19. O parlamentar de 60 anos também disse que já tomou as duas doses da vacina contra a doença e se recupera bem em casa, onde está cumprindo isolamento.

“Devido ter tomado as duas doses da vacina estou bem e com sintomas leves. Permanecerei em minha residência, em Boa Vista, respeitando o protocolo de isolamento e seguindo todas as orientações médicas”, explicou.

Também pelas redes sociais, Mecias de Jesus pediu às pessoas que reforcem os cuidados e se vacinem contra a covid-19.

A LISTA DOS INFECTADOS DE 2022 SÃO ⤵️
Esperidião Amin (PP-SC), dia 3 de janeiro;
Weverton (PDT-MA), dia 5 de janeiro;
Kátia Abreu (PP-TO), dia 9 de janeiro;
Luis Carlos Heinze (PP-RS), dia 10 de janeiro;
Marcelo Castro (MDB-PI), dia 11 de janeiro;
Fabiano Contarato (PT-ES), dia 12 de janeiro; 

LEIA TAMBÉM ⤵️

Brasil recebe primeiras doses pediátricas da vacina Covid-19 da Pfizer

//

Leia em: < 1 minuto

O Estado da Bahia se posicionou contrário à retomada da temporada de cruzeiros no país. A exposição foi feita pela secretária de Saúde do Estado, Tereza Paim, e pelo secretário de Turismo do Estado, Maurício Bacellar, durante uma reunião, realizada de forma virtual, com representantes do Governo Federal e dos setores de saúde e de turismo de estados e municípios que recebem os navios.

Tereza Paim pontuou a atual situação que o país vem enfrentando com o aumento de casos de Covid-19 e também um surto de Influenza. “Além da explosão de casos dessas doenças, ainda estamos enfrentando na Bahia problemas por conta das chuvas, que levou mais de 175 municípios a decretar estado de emergência”. A secretária ainda destacou que 6 casos da variante Ômicron foram identificados em pessoas que estavam em navios atracados no porto de Salvador.

O secretário de Turismo reafirmou o posicionamento exposto pela secretária de Saúde. “Só é possível retomar qualquer atividade quando houver protocolo que atenda o atual cenário. Por enquanto não temos isso”, afirmou.

📷 Foto de Mateus Pereira/GOVBA

Fundação Oswaldo Cruz possui IFA suficiente para produzir mais de 20 milhões de doses da vacina Covid-19 100% brasileira

Leia em: 2 minutos

As primeiras doses da vacina Covid-19 100% nacional começarão a ser aplicadas nos braços dos brasileiros na primeira semana de fevereiro. A informação foi dada pelo secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, na tarde de hoje (12.janeiro). De acordo com ele, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) já possui Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) suficiente para produzir mais de 20 milhões de doses da vacina 100% brasileira. O registro do insumo foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na última 6ª feira (7).

“Este é um passo que o Brasil dá na autossuficiência das vacinas contra a Covid-19 e para também, quem sabe, passar a ser um exportador de vacina e um supridor desse insumo para toda a América Latina. Vimos no começo do ano passado o quão importante é investir no parque industrial de saúde no Brasil. Esse passo sinaliza a independência para a produção desse insumo, que se mostrou fundamental no enfrentamento à pandemia”, afirmou.

Até o momento, as mais de 120 milhões de doses da vacina Astrazeneca distribuídas e aplicadas durante a Campanha de Vacinação contra a Covid-19 foram produzidas na Fiocruz com IFA importado. A produção do IFA em solo brasileiro só foi possível porque em junho de 2021, Astrazeneca e Fiocruz assinaram um contrato para a transferência da tecnologia. Para aprovar o IFA 100% brasileiro, a Anvisa fez diversos estudos de comparabilidade, analisando se a vacina teria o mesmo desempenho que a desenvolvida no exterior.

Como resultado, os estudos comprovaram que o insumo mantém a mesma eficácia do produto importado. Desde maio de 2020, a Fiocruz vem produzindo diversos lotes testes que foram submetidos a análises da Anvisa, que já havia feito a Certificação de Boas Práticas de Fabricação do novo insumo, o que garante que a linha de produção cumpre com todos os requisitos necessários para a garantia da qualidade do IFA.

“A vacina com o nosso IFA passou por vários processos de controle de qualidade, quando na semana saiu a aprovação da agência reguladora e a liberação para a fase final de distribuição. O imunizante já está incorporado ao Sistema Único de Saúde e o brasileiro mostrou que tem uma cultura de se vacinar. Mais de 90% do público-alvo já tomou a primeira dose e mais de 80% tomou a segunda dose. Diante disso, a produção da vacina em solo brasileiro vai suprir essa demanda”, finalizou. 

📷 Foto de Myke Sena

//

Queiroga declarou que governo federal vai dar suporte aos estados e municípios para que não haja uma nova crise

Leia em: 2 minutos

Nesta 4ª feira (12.janeiro), o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, atribuiu o aumento dos casos de Covid-19 no país às festas de fim de ano. Disse, ainda, que essas celebrações não foram estimuladas pelo governo federal.

Segundo Queiroga, ainda nesta semana, o governo vai se posicionar, oficialmente, sobre a política para a aprovação dos autotestes, o que vai ampliar a capacidade de testagem por meio de exames a serem adquiridos em farmácias.

Ainda de acordo com o titular da pasta da saúde, houve uma reunião com o Ministro da Economia, Paulo Guedes, para discutir o suporte que vai ser ofertado aos estados e municípios caso haja aumento da sobrecarga no sistema hospitalar. Queiroga admitiu, também, que a situação só não é pior graças ao avanço da vacinação contra a doença: “Sabemos que os indivíduos que não têm o esquema vacinal completo têm mais chances de desenvolver formas graves da doença. (…) “Há estados lá com baixo nível de aplicação de segunda dose e da dose de reforço. É preciso ampliar no Pará, Maranhão, Amapá, em Roraima, no Tocantins e em Manaus”. 

Quer saber de outras notícias? Siga-nos no Instagram @pauta.blog.br.

Notícias mais lidas

Outros assuntos