"Se Edylene for a vice, Neto vai ganhar porque ela é um dos maiores quadros da política baiana", disse Coronel em entrevista à rádio

Leia em: < 1 minuto

Na manhã de hoje (2.agosto), o senador Angelo Coronel (PSD) concedeu entrevista à rádio Salvador FM e surpreendeu a todos com declarações sobre o cenário de sucessão estadual. Aliado do governador Rui Costa (PT), Coronel disse que acredita em uma vitória de ACM Neto (União Brasil) se Edylene Ferreira (Republicanos) for escolhida como candidata a vice-governadora.

Para Coronel, o nome de Edylene é o que vai pesar na vitória da chapa de Neto: “Se [Edylene] for [a vice], Neto vai ganhar porque ela é um grande quadro, é um dos maiores quadros da política baiana”.

Edylene Ferreira é vereadora do município de Serrinha e presidente licenciada da União dos Vereadores da Bahia (UVB). Recentemente, declarou ao site Política Livre que está pronta para encarar o desafio caso seja escolhida: “Eu estou disposta e me sinto preparada para trabalhar pelo desenvolvimento da Bahia e colaborar com o projeto de ACM Neto. Estou pronta para cumprir essa missão e vou me dedicar ao máximo pelo nosso estado”.

Ainda durante a entrevista, o senador foi enfático ao dizer que Rui só procura os aliados na época das eleições, ou seja, criticou o modo do petista se relacionar com os pares. Não é de agora que se comenta que Coronel não estaria satisfeito com a base aliada e, por isso, não estaria comparecendo aos eventos da candidatura de Jerônimo Rodrigues (PT). Com informações do Política Livre.

📷 Fotos de divulgação/Redes Sociais
Leia em: < 1 minuto

Nesta semana, passou a circular nos bastidores a informação de que o senador Angelo Coronel (PSD) poderia apoiar a pré-candidatura de ACM Neto (União Brasil) ao governo do Estado. Vale ressaltar que Coronel faz parte da atual base aliada do governo e tal apoio significaria uma grande ruptura.

O burburinho surgiu simplesmente pelo fato do senador não ser uma figura frequente nos eventos da pré-candidatura de Jerônimo Rodrigues (PT). Outras pessoas que, assim como ele, não estão disputando nenhum cargo neste ano, têm comparecido aos eventos para “levantar a moral” de Jerônimo, mas esse não parece ser o caso do veterano.

Ao site Políticos do Sul da Bahia, o senador afirmou que não existe essa possibilidade: “Essa informação não passa de fake news. Não sou candidato, meus dois filhos que são candidatos, Diego Coronel a federal a Ângelo Coronel Filho a estadual e estão na campanha de Jerônimo”.

Coronel não tem sido visto nos eventos da pré-candidatura de Jerônimo Rodrigues.

Matheus Vital é editor de Política do Pauta Blog.

Leia em: 5 minutos

🤝 Augusto Castro vai votar em Lula

Após muitas especulações sobre as eleições gerais deste ano, o prefeito de Itabuna, Augusto Castro (PSD), declarou, ao Pauta Blog, que vai apoiar a pré-candidatura do ex-presidente Lula (PT) ao Palácio do Planalto. De acordo com o gestor, essa é uma decisão tomada pelo grupo ao qual ele pertence e, portanto, deve ser seguida.

Questionado pelo Pauta Blog sobre as declarações de apoio proferidas pelo senador Otto Alencar (PSD) e se seguiria os posicionamentos, Augusto foi enfático: “Sim, claro! O senador Otto é o nosso líder do PSD na Bahia, nós temos diversos deputados estaduais, federais e o senador Angelo Coronel. Eu sou liderado pelo senador Otto Alencar e nós estamos no mesmo projeto”.

⚙️ A engenharia de Rui Costa (1)

O renomado colunista do jornal O Globo, Lauro Jardim, revelou a engenharia de Rui Costa (PT) para tentar se candidatar ao Senado nas eleições de outubro. Aumente a taxa de hormônio da atenção e se ligue 🔽..

⚙️ A engenharia de Rui Costa (2)

Segundo Lauro, a intenção era que Rui Costa e o vice-governador João Leão (PP) renunciassem ao governo da Bahia no dia 2 de abril. Depois, ambos seriam candidatos ao Senado, Rui como titular e Leão como suplente. Dizem os petistas que, caso Lula vença as eleições em outubro, o Correria vai ser ministro e, assim, o Bonitão assume a vaga. Acompanhe!

⚙️ A engenharia de Rui Costa (3)

Ainda segundo Lauro, para amansar Otto Alencar, já que o mesmo disse que a intenção é se reeleger como senador, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) teria que renunciar. Daí, o presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) assumiria o cargo interinamente até que a Alba elegesse, por via indireta, Alencar para o cargo. Pegou a visão?

😤 Equação maluca (1)

Nessa equação maluca de Rui, o senador Jaques Wagner (PT) não conseguiu acompanhar o raciocínio e deu “calundu” dizendo que continua na pré-candidatura rumo ao Palácio de Ondina, onde morou entre os anos de 2007 e 2014.

😤 Equação maluca (1)

Jaques Wagner e Otto Alencar estão nos EUA tomando um banho de sal grosso, pois a equação ficou sem prumo e, até agora, sem resolução.

🤯 Bate-cabeça

Nesse bate-cabeça, entrou Davidson Magalhães (PcdoB), aliado de Rui e secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, que declarou ao site O Tabuleiro: “Acho difícil a manutenção da candidatura de Jaques Wagner”. Se quem é da base e da cozinha do atual governo, não acredita mais…imagine o resto, hein?

🤓 Prefeito com prestígio

O prefeito de Arataca, Ferlú Mansur (PSD), vai recepcionar o deputado federal Otto Filho (PSD) e a deputada estadual Fabíola Mansur (PSB) no próximo domingo (20.fevereiro). Um prefeito do interior trazendo dois deputados de uma vez só. Aí tem moral!

Ferlú demonstra, também, que a ligação com o senador e líder do PSD na Bahia, Otto Alencar, vai muito além da política.

⚫ Luto!

O diretor de planejamento da Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa), José Silva e Santos, perdeu a mãe nesta 6ª feira (18.fevereiro). Dona Alice Silva e Santos, de 96 anos de idade, faleceu de causas naturais. Nossos sentimentos a José e toda a família pela perda irreparável. Deus conforte os corações de vocês!

🥅 Falhou

O presidente da Ficc (Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania), Aldo Rebouças, vinha sendo cotado para assumir a direção do partido Podemos na cidade. No entanto, as últimas informações vindas de Salvador dizem que ‘entrou água’ na negociação. Falhou nas contas?

💙 Só love 

O vereador Danilo da Nova Itabuna (UB) estava com os pés na oposição, mas o prefeito Augusto Castro descobriu o problema dele. O gestor chegou, inclusive, a declarar durante o discurso na abertura dos trabalhos do Legislativo que “o problema de Danilo é máquina”. Logo, providenciou o envio delas para o bairro Nova Itabuna e o edil anda orando para não chover e elas serem levadas para outro local. Resumindo a relação atual: “Só love!”. Até quando?

🥊 Na canela

Outra situação envolvendo o vereador Danilo é que ele só para de “GRITAR” quando resolvem o problema. Mas, dessa vez, durante a última sessão realizada na Câmara, o edil foi na canela do superintendente de Serviços Públicos, Sousa Lino, e detonou: “Eu acho que Augusto [prefeito de Itabuna] tem que exonerar esse rapaz pra ver se a nossa cidade melhora”. Dica: Não seria melhor substituí-lo por um engenheiro civil que entenda da coisa?

😨 De mal com a educação

Prefeito que não prioriza educação, deveria ser cassado pela Câmara de Vereadores. Isso, claro, se existisse uma lei. Os professores da rede pública municipal de Coaraci protestaram pelas ruas da cidade por melhorias salariais.

Segundo a categoria, o prefeito Jadson Albano (PP) não paga o reajuste do piso salarial desde 2019 e, agora, resolveu negociar com os profissionais, mas se recusa a pagar o atual piso e ofereceu apenas 13% de reajuste. Uma vergonha para não dizer que o gestor é mal educado.

👎 Mola mestra 1

É pra ficar estarrecido a falta de responsabilidade da Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia) com os empresários prejudicados pelas chuvas do mês de dezembro. Se não podem cumprir com aqueles que são a mola mestra da cidade, por que prometem?

O empréstimo emergencial anunciado pelo órgão, até o momento, não passa de uma simples promessa NÃO CUMPRIDA.

👎 Mola mestra 2

A falta de transparência é o que dói. Dizem isso, dizem aquilo e, até hoje, NADA. São quase 60 dias desde a enchente e NADA. É culpa do secretário? É culpa do governador? Não. A culpa é dos empresários que tanto precisam e, praticamente, imploram por ajuda para voltar a movimentar a mola mestra da economia itabunense. Ingratidão deveria ser crime!

LEIA TAMBÉM NO PAUTA BLOG ⤵️

ANÁLISE❗ O governador correria que anda a passos de tartaruga

//

Conselheiros do TCE apontaram irregularidades na gestão de Coronel à frente da Alba

Leia em: < 1 minuto

O senador Ângelo Coronel (PSD) foi multado pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) em R$ 20 mil reais. A multa é referente ao período em que Coronel era deputado estadual e foi presidente da Alba (Assembleia Legislativa do Estado da Bahia) durante o ano de 2018.

De acordo com os conselheiros do TCE, foram encontradas irregularidades como o aumento de 20,28% dos gastos com Reda (Regime Especial de Direito Administrativo) em relação ao exercício anterior, acúmulo ilegal de cargos por servidores da Alba, descumprimento da ordem cronológica de pagamentos a credores e transferências indevidas de recursos para a Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa (Assalba) através de subvenções sociais.

Rodrigo Pacheco, Angelo Coronel, o prefeito de Rio, Eduardo Paes e Gilberto Kassab, presidente nacional do partido

Leia em: < 1 minuto

O advogado Rodrigo Pacheco, atual presidente do Senado Federal, é a mais nova aposta do PSD (Partido Social Democrático). “Comunico que, nesta data, tomei a decisão de me filiar ao PSD, a convite de seu presidente”, disse Pacheco.

Com a filiação, o PSD passa a contar com os três senadores que representam Minas Gerais: Antônio Anastasia, Carlos Viana e Pacheco. No Senado Federal, o PSD passa a ter 12 senadores, a segunda maior bancada da Casa.

O senador da Bahia, Angelo Coronel, esteve no evento e declarou: “Temos certeza de que o ingresso de Pacheco na família PSD representa a consolidação de uma terceira via forte para a disputa em 2022”.

O evento de oficialização da pré-candidatura de Rodrigo Pacheco foi manhã deste sábado (23.outubro), no Rio de Janeiro.

LEIA TAMBÉM ⤵️

José Oduque, Pancadinha, PT de Itabuna, Augusto Castro, Câmara de Itabuna, Augustão, DEM-e-PSL de Itabuna, Capitão Azevedo e Charliane Sousa, Dr. Mangabeira, Isaquias Queiroz

//

Leia em: 2 minutos

Vou até deixar de lado o forte rugido do leão contra a soberba do lulopetismo baiano, adepto fervoroso de que o PT deve passar mais oito anos no comando do Palácio de Ondina.

Os lulominions querem Wagner eleito para o terceiro mandato como governador da Boa Terra. Se elegendo, será candidato à reeleição. Que coisa, hein! O engraçado é que o PT se queixava do domínio do PSDB no Estado de São Paulo. Agora faz a mesma coisa na Bahia. Não quer “largar o osso”, como diz a sabedoria popular.

Os dois integrantes mais rebeldes da base aliada, entusiasmados seguidores de que é hora do PT ceder, são João Leão (PP) e Angelo Coronel, respectivamente vice-governador e senador pelo PSD.

João e o Coronel, em toda entrevista, não perdem a oportunidade de dizer que o PT precisa calçar as sandálias da humildade e reconhecer que chegou o momento de recuar e aceitar um nome para encabeçar a majoritária de outra agremiação partidária.

O PT só enxerga o PT, o próprio umbigo. O petista-mor, ex-presidente Lula, assim que deixou a prisão, onde passou 580 dias, declarou que “o PT é partido de receber apoio e não de apoiar”.

E mais: ao sair da cadeia, se libertando do calvário, Lula condicionou as alianças com o PT à defesa do movimento “Lula Inocente”, que substituiu o “Lula Livre”. Lembro que o governador Rui Costa se posicionou contrário a vincular qualquer acordo político a tais exigências, o que terminou deixando o chefe irritado. Afinal, era uma afronta, um desafio ao “manda quem pode, obedece quem tem juízo”.

Leão e o Coronel parecem acreditar naquele ditado do povo que diz que “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”.

Ledo engano. O lulopetismo só enxerga o seu lado. Os incomodados que procurem outro caminho, uma lavagem de roupa.

O que chama mais atenção nessa composição da chapa majoritária é o cruzar dos braços do PSB, aceitando ser uma mera peça decorativa na sucessão estadual. A legenda socialista sequer é citada nas articulações. A preocupação do petismo com a sigla é zero. É como se o PSB estivesse dominado.

O ano eleitoral de 2022 vai ser marcado por muito teatro, ingratidão, cinismo e traição. 


Marco Wense é Analista Político

*A análise do colunista não reflete, necessariamente, a opinião de Pauta.blog.br

//

Leia em: 3 minutos

O polêmico e inquieto senador Angelo Coronel (PSD) volta a preocupar o lulopetismo com suas declarações sobre a sucessão estadual de 2022.

Toda vez que o Coronel é entrevistado, as atenções do mundo político ficam voltadas para o parlamentar, que diz o que tem vontade de dizer, sem fazer arrodeios e usar subterfúgios. O Coronel vai direto ao assunto. Não tem conversinha mole assentada em evasivas e muito cinismo.

A mais recente rebeldia diz respeito à composição da chapa governista para a disputa do cobiçado Palácio de Ondina. O Coronel, ao propor uma majoritária com o PT fora da cabeça e sem a vaga para o Senado, deixa o lulopetismo irritado, tiririca da vida, cuspindo fogo.

Nos bastidores, longe dos holofotes e do povão de Deus, os petistas debocham do Coronel. Alguns até insinuam que o senador não está em boas condições mentais. Tem também os que caem na risada com suas declarações. Para o lulopetismo, a candidatura do também senador Jaques Wagner ao governo da Boa Terra é favas contadas. E a do governador Rui Costa para o Senado da República só depende dele. O resto é oba-oba. Na hora da onça beber água, todos darão suas mãos à palmatória.

Acontece que Angelo Coronel não é uma Lídice da Mata (PSB), que faz o que o PT quer, mesmo tendo sua sobrevivência política ameaçada, como aconteceu na eleição de 2018, quando teve que deixar sua natural candidatura à reeleição para o Senado e correr atrás de uma eleição à Câmara dos Deputados.

PSB e PCdoB são legendas que não entram na pauta do lulopetismo nas discussões sobre a sucessão do governador Rui Costa. São tidas como siglas obedientes, incapazes de qualquer ato que contrarie as articulações do PT. As reivindicações e os interesses legítimos do PSB e do PCdoB são sempre deixados para depois.

Já disse aqui, por mais de duas ou três vezes, que só tem uma maneira do senador Otto Alencar, presidente estadual do PSD, encabeçar a majoritária: o PT fechar um acordo nacional com o PSD em torno da candidatura de Lula ao terceiro mandato presidencial. A causa menor, Wagner candidato, abriria mão para a maior, a candidatura do petista-mor.

O Coronel quer Otto como candidato, João Leão como senador e o PT indicando o vice da chapa. E Rui Costa? E Jaques Wagner? Ambos, pensando na causa maior, a eleição de Lula, acatariam a sugestão do Coronel, evitando assim uma eventual debandada do PP do vice-governador João Leão para o grupo de ACM Neto (DEM).

O lulopetismo não confia em João Leão sentado na cadeira de governador com a desincompatibilização de Rui para disputar o Senado. E o fato de Leão ser do PP, legenda aliada do presidente Bolsonaro, tida como a fiel da balança de um pedido de impeachment, faz com que essa desconfiança fique mais acesa.

No mais, esperar a próxima entrevista do Coronel. Não será nenhum espanto, muito menos uma surpresa, se o “sem papas na língua” vier a defender uma majoritária sem o PT.

PS – Não tem como ACM Neto desistir de disputar a sucessão de Rui Costa. Seria seu antecipado enterro político, sucumbindo de vez suas futuras pretensões políticas. Vale lembrar que Neto desistiu na eleição de 2018. Ser taxado de “fujão” não é uma boa coisa. Outro ponto é que o ex-prefeito de Salvador sabe que a rejeição a Bolsonaro na Bahia é grande e tende a crescer mais ainda, o que faz afastá-lo do bolsonarismo. Neto só tem dois caminhos em relação à sucessão presidencial: ou Mandetta, se sair candidato, obviamente pelo DEM, ou apoiar Ciro Gomes (PDT). Com efeito, o ex-ministro da Saúde, quando questionado sobre a possibilidade de ser vice do pedetista, não consegue disfarçar que pensa na hipótese. 


Marco Wense é Analista Político

*A análise do colunista não reflete, necessariamente, a opinião de Pauta.blog.br

Os deputados Robinson Almeida e Paulo Rangel, ambos do PT

Leia em: 3 minutos

Os deputados Robinson Almeida e Paulo Rangel, ambos do PT, criticaram veementemente o senador Ângelo Coronel (PSD) por votar a favor da privatização da Eletrobrás, no Senado Federal, ontem 5ª feira (17.junho). Coronel não seguiu a posição dos senadores Jaques Wagner (PT) e Otto Alencar (PSD), que votaram contra a Medida Provisória 1031, defendida pelo governo Bolsonaro, que deve encarecer, segundo especialistas, em até 20% a conta de energia e oferecer riscos de apagão no Brasil. Os deputados também alertam para a insegurança hídrica que a privatização provocará no Vale do São Francisco e em todo Nordeste.

“Ao votar a favor da privatização da Eletrobras e da Chesf, Coronel traiu a confiança dos eleitores que o elegeram pra defender os interesses do povo trabalhador, dos ribeirinhos e dos baianos mais simples, que não podem pagar mais caro pela energia. Privatizar a Eletrobrás é um crime contra o Brasil e contra nossa soberania energética”, afirmou Robinson Almeida, que é engenheiro eletricista. “O voto dos senadores Wagner e Otto contra a privatização da Eletrobras e da Chesf honra a Bahia. Já o voto de Coronel a favor da privatização envergonha a Bahia no senado”, endossou Paulo Rangel, que é funcionário da Chesf.

“Coloca em perigo o uso múltiplo das águas, em especial a utilização do Rio São Francisco, que é o provedor da Chesf. Coloca em risco o abastecimento de água pra consumo humano, consumo animal e a irrigação dos pequenos produtores rurais”, observa Rangel.

O senador da Bahia, Ângelo Coronel, do PSD

Os parlamentares também alertam que a medida apoiada por Coronel, associada a política econômica de Bolsonaro, ultraliberal, vai fazer com que a conta de luz fique mais cara como está o preço da gasolina, do gás de cozinha e mesmo da cesta básica.

“Tudo disparou por causa dessa política econômica nociva de Bolsonaro para o Brasil e, sobretudo, para os mais pobres, que ganham em real e tem seu custo de vida pago em dólar. Nosso projeto político é contra essa plataforma, esse projeto que produz desigualdade, que traz de volta o fantasma da fome e que dilápida o patrimônio nacional. Por isso, Coronel ao votar pela privatização da Eletrobrás, com esse projeto de Bolsonaro, envergonha a Bahia e trai os baianos”, enfatizam os deputados em nota.

A MP que prevê a privatização da Eletrobras recebeu 42 votos a favor e 37 contra. O texto agora volta à Câmara dos Deputados. Ele precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional até 22 de junho, ou perde a validade.

ELETROBRAS
Maior empresa de energia elétrica da América Latina e sexta empresa mais lucrativa do Brasil, a Eletrobras registrou lucro líquido de R$ 6,4 bilhões em 2020. A expectativa de lucro da empresa em 3 anos é de R$ 30 bilhões. A estatal está avaliada, sem as linhas de transmissão, em R$ 370 bilhões, mas o governo Bolsonaro projeta vende-lá por R$ 25 bilhões.

A estatal começou a ser projetada no governo do presidente Getúlio Vargas, em 1954, com a criação das Centrais Elétricas Brasileiras. A proposta, contudo, enfrentou grande resistência da classe política da época e só foi efetivada 7 anos mais tarde, quando o presidente Jânio Quadros assinou a Lei 3.890, autorizando a constituição da Eletrobras. A instalação da estatal aconteceu no ano seguinte, já no governo do presidente João Goulart.

Leia em: 6 minutos

🔨 O carpinteiro Jaques Wagner

O senador Jaques Wagner, no programa Frequência Política, disse aos radialistas Binho Shalon e João Matheus que a união em prol da corrida ao Palácio de Ondina com PT-PSD-PP já é “prego batido e ponta virada”.

É impressionante a lábia de Wagner, caso esta união seja selada (novamente), já que o senador Ângelo Coronel (PSD) vem levantando a bandeira do senador Otto Alencar (PSD) para concorrer ao Governo da Bahia.

Não vem sendo diferente com o vice-governador do estado, João Leão (PP), que já mandou o recado: “quero ser governador”.

Parece que o carpinteiro Wagner 🔨 bateu o prego, mas esqueceu de “virar a ponta” na lábia.

Wagner tenta um novo “front” contra o grupo de ACM, porém, desta vez, enfrentará o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto.

Responsável pela derrota do carlismo na Bahia em 2006, Wagner terá a missão de conter a “exaustão” do PT, que já governa o estado há 15 anos.

🔍 Serpa “miou” como candidato a deputado

O ex-secretário de Trânsito de Itabuna, o tenente-coronel Serpa, estará assumindo a Superintendência de Trânsito de Ilhéus, a convite do prefeito Marão (PSD).

Com isso, deixará de concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa. E apoiará a primeira-dama de Ilhéus, Soane Galvão. E para federal, Serpa já firmou com a atual deputada e professora Dayane Pimentel.

O tenente-coronel chegou a ser convidado pelo Dr. Isaac Nery (pré-candidato a deputado federal) para fazer uma dobradinha pelo Partido Republicanos, mas Serpa “miou”🔍.

Bebeto está contando os dias 📆

Jaques Wagner, senador, vai concorrer ao Governo da Bahia. Com isso, abrem-se as portas do Senado para o vice-prefeito de Ilhéus, Bebeto Galvão (PSB).

Já imaginou o sul da Bahia com um senador da República, hein?

Bebeto está assim: dorme com a calculadora, contando os dias, e acorda sonhando.

👀 Cosme Resolve (ainda?) irado com o secretário Almir Melo

O prefeito Augusto Castro (PSD) ‘resolveu’ apagar o incêndio entre o vereador Cosme Resolve (PMN) e o secretário Almir Melo. O prefeito atendeu a alguns pedidos do vereador, mas o mesmo só agradeceu mesmo ao prefeito e à primeira-dama Andrea Castro.

Cosme chegou a se irar com o secretário Almir Melo em uma sessão na Câmara, no mês passado.

Relembre aqui ⤵️

Vereador Cosme Resolve dispara a “metralhadora” contra o secretário Almir Melo Jr.

👀 Sem firulas, ele corre para não perder a patente do “Resolve”.

💣 Fio desencapado na Câmara de Ilhéus

O vereador Luca Lima, do PSDB, está em vias de desencapar o fio de acusação. Três ex-servidoras do seu gabinete o acusam de praticar “rachadinha”.

Tá com cara de que vai dar curto-circuito.

Efeito ‘Barrichello’ ⏰

Após 6 dias de atraso, a Prefeitura de Arataca divulgou o resultado parcial dos candidatos aprovados no Processo Seletivo. Fez jus àquele ditado: demorou, mas saiu.

Deve voltar em 2022 📖

Quase dois anos sem aulas presenciais: tanto nas escolas particulares, quanto nas públicas. É triste, pois TUDO pode estar aberto, MENOS as escolas. Quem arcará com este ‘delay’ educacional? Como sempre…quem carrega o país nas costas: o povo e os jovens!

Bolsonaro no Patriota❓

Segundo o presidente do partido, Adilson Barroso: “Bolsonaro ficou de dar a resposta entre 10 e 15 dias”.

O nome “Patriota” foi dado pelo presidente Bolsonaro. Será que ele também dará as coordenadas no partido, caso se filie? Não duvide.

A conferir!

Ou leva, ou vai embora! 👂

Sobre o voto impresso, o Ministro Luís Roberto Barroso disse: “Já passou o tempo de golpes, quarteladas, quebras da legalidade constitucional. Ganhou, leva. Perdeu, vai embora”.

Charliane ‘beija a camisa’

A ex-vereadora pelo PTB de Itabuna, Charliane Sousa, e ex-candidata a prefeita pelo MDB, chegou chegando à nova sigla: o PCdoB.

Daí, um amigo que conhece a alma e as profundeza da legenda disse: “Tá no time, tem que beijar a camisa”. Diga aí, se não filosofou?!

O arranjo está montado: Charliane quer uma vaga na Assembleia Legislativa. Porém, esta música tá com cara de 2024.

Problemão para o prefeito de Buerarema

Vinícius Ibrann (DEM), prefeito de Buerarema, tem um problemão a resolver.

Isto porque o TCM determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual contra o prefeito. O “pepino” é para que seja apurada uma possível prática de ilícito na contratação da “Pousada Sulamérica” e do “Hotel Royal”, ambos localizados em Itabuna.

O Tribunal de Contas dos Municípios disse que as contratações ocorreram “sem apresentação de qualquer justificativa plausível para tanto”.

Foi gasto em 2017 uma ‘bagatela’ de R$ 73 mil em serviços de hospedagem. Ao prefeito Vinícius Ibrann, foi imputada uma multa de R$ 7 mil.

Procurado, o prefeito disse: “vou verificar aqui com a equipe de contabilidade e jurídico”.

💥 Colbert “sisudo” com o governador Rui Costa

Disse Colbert Martins (MDB): “Enquanto isso, lideranças políticas do Governo do Estado em Feira são cegas, surdas e mudas. Fazem de conta que tá tudo normal”. O prefeito de Feira de Santana tá “sisudo” com Rui.

  // Luiza Trajano e Dilma Rousseff são amigas e o PT tenta garimpar a empresária para formar a chapa com Lula. Ex-presidente, quer, porque quer, um/a empresário/a como vice. Porém, Trajano já descartou. Agora, estão correndo atrás do empresário Josué Gomes, dono do grupo têxtil Coteminas e candidato ao comando da Fiesp.

  // Um jornalista perguntou ao senador Otto Alencar: Bolsonaro tem feito duros ataques à CPI da Covid. É sinal de desespero? Otto respondeu: “Se ele ficar calado, está doente”. Que estocada!

  // Há quem diga que a faixa de capitão na Secretaria de Esportes de Itabuna poderá ter um novo dono. O certo até agora é: onde há fumaça, há fogo.

  // Exclusivo: nós, do Pauta.Blog, entrevistamos o ex-prefeito de Itabuna, Geraldo Simões (PT). Não perca, pois GS ‘jogou ácido’! Amanhã, aqui no blog.

Envie a sua sugestão de pauta: [email protected]

//

Os senadores: Jaques Wagner (PT) e Angelo Coronel (PSD)

Leia em: 3 minutos

Dos três senadores que representam a Bahia no Congresso Nacional, só Otto Alencar não deixou nenhuma dúvida sobre sua posição em relação à CPI da Covid-19. O presidente estadual do PSD vem tendo uma atuação combativa na Comissão Parlamentar de Inquérito.

Os outros dois senadores, Jaques Wagner (PT) e Angelo Coronel (PSD), caminham em direção oposta a de Otto, deixando o eleitor na incerteza sobre o posicionamento de ambos em relação à CPI, que tem como precípua função apurar as responsabilidades das autoridades diante da terrível crise sanitária e humana.

O ex-governador Jaques Wagner, pré-candidato a um terceiro mandato como chefe do Palácio de Ondina no pleito de 2022, foi contra a instalação da CPI. O detalhe que chama mais atenção é que Wagner ainda não deu uma explicação pública sobre sua decisão, fugindo do assunto como o diabo da cruz.

É evidente que Wagner vai ser questionado durante a campanha eleitoral. Seus adversários na disputa pelo comando do governo do Estado vão querer saber por que o petista ficou contra a CPI, recusou a ser signatário da petição para sua instalação no Senado da República.

Obviamente que Wagner, com toda sua experiência, tido como um articulador político ágil e perspicaz, não iria tomar uma decisão dessa envergadura sem primeiro conversar com o ex-presidente Lula, que até as freiras do convento das Carmelitas sabem que trabalha nos bastidores, longe dos holofotes e do povão de Deus, contra o impeachment de Bolsonaro.

Ora, não é interessante para o lulopetismo ter outro adversário no segundo turno que não seja Bolsonaro. O raciocínio é o mesmo pelo outro lado. Ou seja, o bolsonarismo quer também Lula no segundo round eleitoral. Tanto Lula como Bolsonaro perdem para Ciro Gomes, presidenciável do PDT, que é o nome mais viável da terceira via, do movimento “Nem Lula, Nem Bolsonaro”, que já corresponde a 60% do eleitorado que não querem os extremos, nem o “mito” da esquerda e, muito menos, o “mito” da direita, nem a volta de um passado marcado por escândalos de corrupção e nem um governo que despreza, desdenha o mundo da ciência, muitas vezes debochadamente.

O senador Angelo Coronel não assinou a nota da CPI da Covid-19 sobre o pronunciamento de ontem, quarta-feira, 2, em cadeia de rádio e TV, do presidente Jair Messias Bolsonaro, que o fez em decorrência não só do bom trabalho da CPI, que vai de vento em popa, com depoimentos firmes e explosivos, como dos protestos nas ruas contra o negacionismo, que é o maior parceiro da pandemia.

Não tem como fugir das obviedades e dos inquestionáveis argumentos da nota da CPI sobre a “inflexão” de Bolsonaro. “Veio com um atraso de 432 dias, desde 24 de março do ano passado, quando o presidente classificou a Covid como uma “gripezinha”, também em um pronunciamento em rede nacional de TV”, diz um trecho da nota.

Para os parlamentares que assinaram o documento, o atraso de 432 dias é “desumano” e “indefensável”. A nota lembra que “o governo não se empenhou na compra de 130 milhões de doses da CoronaVac e da Pfizer, o que seria suficiente para imunizar cerca de metade da população vacinável do Brasil”. O governo deixou de comprar as vacinas em 2020. A coronaVac por birra política com o governador de São Paulo João Doria (PSDB) e ideológica com a China.

Os senhores senadores signatários da nota são da opinião de que “embora o pronunciamento do presidente sinalize com recuo no negacionismo, esse reposicionamento vem tarde demais”. Lamenta a perda de tantas vidas e dores que “poderiam ter sido evitadas”.

Além de Jaques Wagner, tem agora Angelo Coronel precisando tornar público os motivos que fizeram com que não assinasse a nota da CPI da Covid-19.

Vale lembrar que a pandemia do cruel, devastador e impiedoso novo coronavírus, reforçado na sua crueldade pelas novas variantes, caminha a passos largos para triste marca de 600 mil óbitos, vidas humanas sendo ceifadas pela terrível covid-19, que tem como maior aliado o negacionismo, o desdém com o mundo científico. 


Marco Wense é Analista Político

*A análise do colunista não reflete, necessariamente, a opinião de Pauta.blog.br

Notícias mais lidas

Outros assuntos