Leia em: < 1 minuto

O ex-ministro da Cidadania, João Roma (PL), em entrevista à Rádio Princesa FM, de Feira de Santana, afirmou que o ano de 2023 será dedicado à estruturação do partido presidido por ele na Bahia visando não somente as eleições municipais de 2024, mas também as eleições gerais daqui a quatro anos.

Roma não descartou a possibilidade de sair candidato a prefeito de Salvador no próximo pleito. “Essa possibilidade de ser candidato a prefeito de Salvador não pode ser descartada, mas hoje nos cabe pensar a Bahia como um todo, tanto para as eleições municipais quanto para as eleições gerais daqui a quatro anos. Naturalmente precisamos encontrar quais as melhores alternativas para o futuro da Bahia”, comentou Roma.

Reis quer reeleição e Roma pode se tornar pedra no sapato se decidir ser candidato a prefeito de Salvador

Leia em: < 1 minuto

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (União Brasil), pelo visto, já está mirando as eleições municipais de 2024. Na tentativa de fortalecer a base e chegar firme para buscar a reeleição, Reis se reuniu com o deputado federal, ex-ministro da Cidadania e ex-candidato a governador, João Roma (PL).

A reunião da dupla, até então, tem duas justificativas para ter acontecido. De um lado, há quem diga que Bruno e Roma tiveram um encontro pessoal e outros afirmam que emissários foram enviados pelo prefeito para tentar selar um acordo de paz e colaboração com o deputado.

O que está confirmado é que Bruno está tentando evitar, a qualquer custo, que Roma seja candidato à prefeitura de Salvador em 2024. O grupo bolsonarista quer um representante do atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), comandando a capital baiana e isso ofuscaria, diretamente, a reeleição de Reis.

Para evitar a candidatura de Roma, o grupo do atual prefeito soteropolitano estaria disposto, inclusive, a oferecer a titularidade de alguma secretaria municipal para o grupo do PL. As informações são do Metro1.

João Roma, João Lages Rocha e Doutora Raissa Soares são os novos comandantes da legenda

Leia em: < 1 minuto

O deputado federal, ex-ministro da Cidadania e ex-candidato ao governo da Bahia, João Roma, assumiu hoje (7.novembro) a presidência do diretório estadual do PL na Bahia. Além de Roma, João Lages Rocha e Doutora Raissa Soares assumem os cargos de vice-presidentes.

Roma deve permanecer no cargo de presidente da legenda até 2024. O mandato como deputado federal encerra em janeiro de 2023. Com informações do site Bahia Notícias.

📷 Foto de Reprodução/Facebook
Leia em: 2 minutos

O deputado federal João Roma (PL) considera lastimável o ativismo e a escolha de lado que tem sido demonstrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na condução do processo eleitoral no Brasil. “É lastimável observar coisas tão bizarras, tão fora da curva dentro de um processo eleitoral, quando deveríamos justamente buscar estar aprimorando, avançando nessas questões eleitorais”, comentou Roma, em entrevista, na manhã desta 5ª feira (27.outubro), à Rádio Jaraguar, em Jacobina.

Em entrevista à Rádio Nova Brasil FM, de Salvador, logo após a entrevista à Jaraguar, Roma foi questionado sobre o mesmo tema. “O que está ocorrendo hoje no Brasil com Alexandre de Moraes à frente do TSE é justamente dois pesos e duas medidas na legislação. As decisões são claramente inclinadas para um dos candidatos. E mais: ele simplesmente não permite a fiscalização, a transparência e, com episódio da exoneração, da demissão do funcionário do TSE, vê-se com clareza a sensação de um dolo do tribunal no quesito dessa denúncia”, disse Roma, referindo-se à representação apresentada pela campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL), mostrando que o candidato do PT, Lula, teve mais de 150 mil inserções em rádios a mais, principalmente no Nordeste e na Bahia.

O deputado federal salientou que a denúncia é facilmente materializada com informações que hoje são fáceis de se obter. “É muito fácil obter uma clipagem do que foi veiculado ou não e com isso você deixa os candidatos com diferença, com diferença de armas em um processo eleitoral gigantesco como esse. Então você vai superando os limites do absurdo em relação a isso”, reiterou o parlamentar.

"Está dado o apoio a ACM Neto mesmo sem ter tido nenhum contato", declara João Roma ao dizer que o objetivo é derrotar o PT

Leia em: < 1 minuto

Ontem (6.outubro), o deputado federal e ex-candidato a governador da Bahia, João Roma (PL), participou de um evento político em Vitória da Conquista, no sudoeste do estado, ao lado dos senadores eleitos Damares Alves (Republicanos) e Magno Malta (PL). Na ocasião, o ex-ministro da Cidadania pediu votos para que ACM Neto (União Brasil) seja eleito o próximo governador do estado.

Durante a campanha que antecedeu o 1º turno, Roma e Neto – que já foram aliados políticos no passado -, trocaram várias farpas públicas, mas, agora, Roma disse que o objetivo é derrubar o PT: “Na Bahia, eu não ficaria satisfeito em ocupar uma posição de neutralidade, pois eu acho que o líder político tem que saber que caminhos tomar e para onde seguir. Então, naturalmente, como durante toda a campanha, eu coloquei que o nosso adversário é o PT na Bahia e no Brasil. Portanto, eu não estarei com o PT, logo, isso significa o apoio a ACM Neto, está dado o apoio ao candidato ACM Neto mesmo sem ter tido nenhum contato”.

//

Bolsonaro elogiou os 10% de votos conquistados por Roma ao concorrer ao governo da Bahia

Leia em: < 1 minuto

Em entrevista coletiva concedida no final da manhã de hoje (4.outubro), o presidente Jair Bolsonaro (PL) garantiu que pretende manter João Roma (PL) no cargo de ministro da Cidadania caso seja reeleito no 2º turno. Roma, que também é deputado federal, se afastou do Ministério para concorrer ao cargo de governador da Bahia.

Ainda na coletiva, Bolsonaro elogiou o desempenho de Roma na corrida até o Palácio de Ondina: “Foi uma campanha realizada com a sola do sapato e sem recursos, mas os 10% de votos conquistados são um grande capital eleitoral”.

Mesmo ficando apenas em 3º lugar na briga pelo governo do Estado, Roma saiu no lucro porque vai manter o cargo de ministro em uma eventual reeleição de Bolsonaro e, de quebra, conseguiu eleger a esposa, Roberta Roma (PL), para o cargo de deputada federal.

ACM Neto lidera em todos os cenários com grande vantagem em relação a Jerônimo Rodrigues

Leia em: < 1 minuto

Em novo levantamento realizado pelo instituto Paraná Pesquisas, o candidato a governador, ACM Neto (União Brasil), aparece na liderança absoluta para vencer as eleições ainda no primeiro turno. A pesquisa divulgada hoje (19.setembro) pelo Bahia Notícias aponta que o ex-prefeito de Salvador tem 51,2% da preferência do eleitorado.

O resultado de ACM Neto é o dobro em relação ao segundo colocado, Jerônimo Rodrigues (PT), que aparece com 24,5%, seguido de João Roma (PL) com 10,4%. Os demais postulantes, somados, têm 2,5%.

Levando em consideração apenas os votos válidos, a vantagem de Neto é ainda maior. Neste cenário, o candidato do União Brasil chega a, aproximadamente, 58% das intenções de voto enquanto o ex-secretário da Educação do estado aparece com 27,7%.

No cenário espontâneo, quando não são apresentados os nomes dos candidatos, a pesquisa mostra que ACM Neto mantém o dobro de vantagem sobre o candidato do PT. O ex-prefeito de Salvador aparece com 31,5% contra 14% de Jerônimo.

A pesquisa ouviu 1540 eleitores em 70 municípios baianos entre os dias 14 e 18 de setembro de 2022. O levantamento tem margem de erro de 2,5% e um intervalo de confiança de 95%. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral com o número BA-02288/2022.

Dados vão ser coletados entre os dias 22 e 24 de agosto

Leia em: < 1 minuto

A Rádio Metrópole, com sede em Salvador, encomendou ao Instituto Datafolha uma pesquisa de intenção de votos para os cargos de governador e senador na Bahia. Os dados vão ser coletados entre os dias 22 e 24 de agosto e 1.008 eleitores vão ser consultados.

Os entrevistadores são pessoas treinadas pelo Instituto com o objetivo de realizar o levantamento da forma mais segura e transparente possível. O nível de confiança na pesquisa é de 95% e a margem de erro prevista é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Entre o eleitorado que vai participar da pesquisa, estão homens, mulheres, jovens, idosos, pessoas com nível superior completo, analfabetas, além de componentes de várias classes sociais. Os municípios participantes da pesquisa vão ser escolhidos por meio de um sorteio.

ACM tem 14, Jerônimo 7, Roma 4 e Kleber Rosa 3

Leia em: < 1 minuto

O ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (União Brasil), conseguiu aliar 14 siglas para concorrer ao cargo de governador da Bahia no pleito de outubro. A federação formada pelos partidos PSDB e Cidadania é apoiada pelo Republicanos, PP, PDT, PTB, Podemos, PSC, DC, PRTB, União Brasil, Solidariedade, PROS e PMN.

Já o ex-secretário estadual de Educação, Jerônimo Rodrigues (PT), está sendo apoiado por 7 legendas. A federação PT, PCdoB e PV tem o aval do PSB, PSD, Avante e MDB.

O ex-ministro da Cidadania e deputado federal, João Roma (PL), tem 4 partidos torcendo pela vitória dele na disputa pelo Palácio de Ondina. São eles: PMB, Patriota, PL e PROS.

O professor Kleber Rosa (Psol) está na federação formada pelo Psol e pela Rede e tem o apoio do UP.

ACM Neto, Jerônimo Rodrigues, João Roma e Kleber Rosa

Leia em: < 1 minuto

De acordo com dados coletados no site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), os candidatos mais abastados financeiramente e que concorrem ao governo da Bahia são ACM Neto (União Brasil) e a vice dele, Ana Coelho (Republicanos). O ex-prefeito de Salvador declarou ter R$ 41.718.572,69 enquanto a empresária tem R$ 26.512.503,48, ou seja, a dupla soma mais de R$ 68 milhões contabilizando dinheiro, imóveis, investimentos e participações societárias.

No caso de Jerônimo Rodrigues (PT), o valor declarado pelo ex-secretário estadual de Educação é de R$ 512.216,13 incluindo imóveis e aplicações. Já o vice na chapa e ex-vereador de Salvador, Geraldo Júnior (MDB), declarou a quantia de R$ 143.523,59 entre aplicações e veículos.

O ex-ministro da Cidadania e deputado federal João Roma (PL) disse ao TSE que tem R$ 5.561.182,61 entre imóveis, veículos, aplicações e participações societárias. Em contrapartida, a enfermeira e vice na chapa, Leonídia Umbelina (PMB), não declarou nenhum bem.

O professor Kleber Rosa (Psol) declarou a quantia de R$ 309.000,00 referentes a um imóvel e um automóvel. O companheiro de chapa dele, Ronaldo Mansur (Psol), declarou o valor de R$ 1.737,55 em ações.

Neto e Ana tem imóveis, investimentos e participações societárias.

Notícias mais lidas

Outros assuntos