//

Dados foram apresentados em pesquisa realizada pela USP e Instituto Adolfo Lutz

Leia em: < 1 minuto

De acordo com informações da Agência Brasil, 95,2% dos casos da Covid-19 na cidade de São Paulos são causados pela variante Delta. O estudo foi feito pelo Instituto de Medicina Tropical da USP e pelo Instituto Adolfo Lutz.

A análise foi feita a partir do sequenciamento do vírus em novos casos durante a última semana, quando foram detectados 573 infectados com a variante delta. Desde julho, quando a variante começou a circular na cidade, já foram identificados 2.494 casos.

Já foram aplicadas 16,9 mil doses de vacinas contra o novo coronavírus na cidade, o que garantiu imunização completa (com duas doses ou dose única) para 71,4% da população com mais de 18 anos.

Boulos é o escolhido pelo PSOL para concorrer nas urnas em 2022

Leia em: < 1 minuto

O PSOL confirmou Guilherme Boulos como pré-candidato a governador de São Paulo para as eleições de 2022. Boulos ficou em segundo lugar nas eleições municipais em 2018 e teve a pré-candidatura aprovada no congresso estadual do PSOL ontem, domingo (12.setembro).

Boulos está no centro da articulação política de apoio ao Partido dos Trabalhadores no próximo ano e é considerado um nome forte para caminhar ao lado do ex-presidente Lula na corrida presidencial. Crítico ferrenho do presidente Bolsonaro, ele promete ajudar o petista a montar uma oposição forte e incisiva.

Mesmo sendo indicado pelo PSOL, tudo indica que o PT deve decidir quem realmente será o nome da oposição em São Paulo. Pode ser que o ex-prefeito, Fernando Haddad (PT), assuma a corrida pelo Palácio dos Bandeirantes.

LEIA TAMBÉM ⬇️

📌 Entrevista: “Tudo vai depender da decisão do grupo”, declara Erasmo Ávila sobre possível pré-candidatura a deputado

Expulso do DEM após brigar com ACM Neto, presidente nacional da sigla, Rodrigo Maia ganha cargo no governo João Doria (PSDB) // Foto de Divulgação/Governo de SP

Leia em: 2 minutos

João Doria (PSDB), governador de São Paulo, confirmou na hoje (19.agosto) que o deputado federal Rodrigo Maia (expulso do DEM e sem partido – RJ) será nomeado amanhã, 6ª feira (20.agosto) Secretário de Projetos e Ações Estratégicas do Governo de São Paulo.

O ex-Presidente da Câmara dos Deputados será responsável por agilizar os projetos de desestatização, acelerando as parcerias público-privadas e as concessões em andamento do Governo de São Paulo.

“A experiência do Rodrigo Maia à frente da Câmara fortaleceu nele a capacidade de dialogar com governos, sociedade civil e setor produtivo, com eficiência e credibilidade. Todas as reformas que passaram sob sua liderança só foram possíveis por causa do diálogo, do senso de urgência e do olhar estratégico de quem sabe o que é verdadeiramente importante para o país”, disse Doria.

O Governador de São Paulo lembra que Maia, durante o seu mandato como presidente da Câmara, foi essencial para manter o equilíbrio do Estado Democrático de Direito e evitar rupturas institucionais.

Doria observou também que, sob a coordenação de Rodrigo Maia, no Congresso, os brasileiros assistiram projetos vitais ao desenvolvimento do país serem aprovados, como o Teto de Gastos, a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista, o Marco do Saneamento, a Lei da Terceirização, o Novo Ensino Médio e o novo Fundeb.

O tucano é pré-candidato à Presidência da República em 2022 e corre em campanha no PSDB para receber a indicação do partido para disputar as eleições no ano que vem, Doria enxerga em Maia um nome que agrada os campos político e econômico. Além disso, o deputado deixou a Presidência da Câmara como um dos principais opositores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), desafeto também de Doria.

Rodrigo Maia tem 51 anos e está em seu sexto mandato como deputado federal. E já foi Secretário de Governo da Prefeitura do Rio de Janeiro de 1997 a 1998.

Acompanhe o Pauta Blog pelo Instagram e/ou mande-nos uma mensagem pelo WhatsApp: (73) 8869-7877.

//

Responsáveis atuarão no acompanhamento de protocolos sanitários

Leia em: < 1 minuto

O governo de São Paulo vai contratar 20 mil pais ou responsáveis de estudantes em situação de vulnerabilidade social da rede estadual paulista para atuarem nas escolas. O programa Bolsa do Povo/Educação vai pagar uma bolsa mensal de R$ 500 para que os pais ou responsáveis trabalhem nas escolas. Eles vão atuar principalmente no acompanhamento de protocolos sanitários, para ajudar a garantir o retorno presencial seguro para estudantes e funcionários.

A jornada de trabalho será de 4 horas por dia e vai ocorrer até dezembro. As inscrições acontecem de 19 a 31 de julho e podem ser feitas pelo site do Bolsa do Povo, clicando na aba Educação. Para se inscrever será necessário o número de Registro do Aluno (RA).

Segundo o governo de São Paulo, o objetivo desse programa é auxiliar as famílias a superar os desafios educacionais e financeiros provocados pela pandemia e ampliar o envolvimento de toda a comunidade escolar, reforçando vínculos entre alunos, professores e servidores da educação e gerando novos postos de ocupação.

Para participar do programa, é necessário ser responsável legal pelo estudante da rede estadual de ensino de São Paulo, estar desempregado há pelo menos três meses, ter entre 18 e 59 anos de idade e morar próximo da unidade escolar. Um dos critérios preferenciais é estar cadastrado no CadÚnico.

Após as inscrições, os candidatos vão ser entrevistados na unidade de ensino indicada. As contratações vão começar em 16 de agosto.

//

Houve explosões e troca de tiros entre bandidos e policiais

Leia em: < 1 minuto

A Polícia Civil investiga um ataque a uma joalheria e a dois mercados, em Jarinu, cidade a 75 km de São Paulo, na madrugada desta 3ª feira (13.julho).

De acordo com a Polícia Militar, homens fortemente armados com fuzis e explosivos se espalharam em vários pontos da cidade.

Durante a ação, eles explodiram uma empresa de joias. Houve troca de tiros entre a PM e os bandidos, que conseguiram fugir. Ninguém ficou ferido.

Os criminosos atearam fogo em veículos na principal estrada que dá acesso ao local para dificultar o acesso e a ação da polícia.

O barulho de tiros e explosões foi ouvido na pequena cidade de 30 mil habitantes. Equipes do Grupo de Ações Táticas, Grupo de Operações Especiais e da Delegacia de Investigações Gerais de Jundiaí ainda estão no local, assim como a perícia. Com informações da Agência Brasil.

//

O Instituto Butantan iniciou as obras para a construção de uma nova fábrica de soros com linha de produção completa, na qual será possível elaborar inclusive soros em pó

Leia em: < 1 minuto

O Instituto Butantan iniciou as obras para a construção de uma nova fábrica de soros com linha de produção completa, na qual será possível elaborar inclusive soros em pó, e para a edificação do Museu da Vacina, novo espaço voltado à divulgação científica.

O Centro Avançado de Produção de Soros terá 6,6 mil metros quadrados e cinco pavimentos, e deve ficar pronto em 2023. Quando entrar em operação, a fábrica absorverá, em uma única planta, a produção de todos os 12 tipos de soros que o instituto produz, e fornece ao Ministério da Saúde, contra toxinas de animais peçonhentos e micro-organismos.

Com investimentos de R$ 34,5 milhões, a fábrica contemplará desde o processamento do plasma até o envasamento dos frascos e terá um liofilizador. O aparelho vai permitir que os produtos líquidos do Butantan sejam desidratados e transformados em pó, mantendo as propriedades neutralizantes mesmo sem refrigeração. “Isso fará com que os soros estejam mais acessíveis, principalmente em regiões inóspitas onde os acidentes com animais peçonhentos são muito comuns”, explica a gerente do Núcleo de Produção de Soros, Fan Hui Wen.

Os soros são produzidos a partir da inoculação dos antígenos do veneno, toxina ou vírus em cavalos, o que resulta na produção de anticorpos hiperimunes. O plasma onde estão esses anticorpos é coletado e submetido a processamento industrial, utilizando métodos físico-químicos, purificado, formulado e envasado.

//

Data foi antecipada para a próxima 2ª feira

Leia em: < 1 minuto

A capital paulista antecipou para a próxima 2ª feira (7.junho) a vacinação contra a Covid-19 das lactantes com comorbidades e que estejam amamentando bebês de até 1 ano. A estimativa é vacinar 28 mil pessoas.

O secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, disse que, para esse público, além do comprovante da comorbidade e de residência no município de São Paulo, será necessária a apresentação da certidão de nascimento do bebê, até 12 meses de idade.

Assim como os demais grupos contemplados na imunização, as lactantes poderão receber o imunizante nas 468 unidades básicas de Saúde (UBS), AMA/UBS Integradas e nos dez mega postos implantados na cidade. Quem precisar tomar a segunda dose deve procurar uma das UBSs da capital. Para a primeira dose serão utilizados os imunizantes da Pfizer e da Oxford/AstraZeneca.

“Não há restrição de vacinas a serem administradas nas lactantes, diferentemente das grávidas e puérperas”, ressaltou o secretário.

A Secretaria Municipal da Saúde recomenda que a ida aos locais de vacinação aconteça de maneira gradual, evitando aglomerações nos postos, e com o pré-cadastro no site Vacina Já preenchido, para agilizar o tempo de atendimento. Basta inserir dados como nome completo, CPF, endereço completo, telefone e data de nascimento para concluir o cadastro. Da Agência Brasil

//

Paciente faleceu no Pronto Atendimento II do Hospital São Mateus

Leia em: 2 minutos

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), confirmou hoje (18) a primeira morte de uma pessoa com covid-19 que não conseguiu ser atendida na cidade por falta de vaga em leitos de unidades de terapia intensiva (UTI). Ela morreu no Pronto Atendimento II do Hospital São Mateus, na zona leste da capital. “Uma pessoa que faleceu sem conseguir ser atendida na cidade de São Paulo”, em entrevista coletiva concedida no início desta tarde (18).

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informou que o paciente era Renan Ribeiro Cardoso, 22 anos, que faleceu no Pronto Atendimento São Mateus II no dia 13 de março, após complicações por covid-19.

Segundo o relatório médico obtido pela Agência Brasil, Renan era obeso e apresentava desconforto respiratório. Ele deu entrada no hospital no dia 11 de março, às 19h3. Ele foi inserido na Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (CROSS) no dia seguinte, quando foi iniciada uma busca por leito de internação. “Paciente ficou sob cuidados da nossa equipe médica e de enfermagem enquanto aguardava a liberação de um leito pelo Cross”, diz o relatório médico.

Por volta das 16h do dia 13 de março, ele apresentou piora em seu quadro clínico. A vaga no Cross só surgiu às 17h38 do dia 13 de março. Mas Renan, infelizmente, morreu momentos antes, às 17h19.

Isso indica que a cidade já está enfrentando o pior momento em seu sistema de saúde, próxima a um colapso. A cidade tem 88% de seus leitos de UTIs ocupados. “É a pior crise sanitária do país”, destacou o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, que participou da coletiva na prefeitura.

Segundo o prefeito, há 475 pacientes cadastrados hoje na Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (CROSS) à espera de uma vaga por UTI na capital paulista. Ontem esse número estava em 395. “É um momento de extrema dificuldade”.

Notícias mais lidas

Outros assuntos