Valdemar foi preso por posse ilegal de arma de fogo

Leia em: < 1 minuto

O presidente do PL nacional, Valdemar Costa Neto, foi preso nesta quinta-feira (8.fevereiro) por posse ilegal de arma durante uma operação da Polícia Federal. A prisão aconteceu depois que o armamento foi encontrado na casa do político durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão.

Costa Neto tem uma casa no mesmo prédio onde funciona a sede do partido, em Brasília. O local também foi visitado pelos agentes da PF.

A operação Tempus Veritatis tem o objetivo de investigar o ex-presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), e aliados dele pelo suposto planejamento de um golpe de Estado após a derrota nas eleições de 2022.

Mais de 70 policiais federais cumpriram diversos mandados nesta quarta-feira

Leia em: < 1 minuto

Nesta quarta-feira (17.janeiro), a Polícia Federal deflagrou uma operação contra crimes de mineração ilegal no norte baiano. Mais de 70 policiais cumpriram mandados de prisão preventiva, de prisão internacional e de busca e apreensão em Salvador, Campo Formoso, Jaguarari, Oliveira dos Brejinhos e Petrolina.

O objetivo da operação foi desarticular um grupo criminoso que, segundo as investigações, vem praticando crimes de mineração ilegal, usurpação de bens da União, porte ilegal de explosivos e associação criminosa armada, em conjunto com diversos garimpeiros locais e estrangeiros.

As investigações revelaram, ainda, que os proprietários de uma fazenda em Jaguarari, local com diversos pontos de garimpo, organizavam e permitiam a extração de quartzo verde na propriedade rural por garimpeiros da região, sem qualquer autorização da Agência Nacional de Mineração (ANM) ou licença ambiental. Em seguida, o mineral era exportado para a China, através do Porto de Salvador, em contêineres.

Os investigados responderão pelos crimes de mineração ilegal, usurpação de bens da União, porte ilegal de explosivos e associação criminosa armada. As penas, somadas, ultrapassam 15 anos de prisão.

15 policiais do COT e um helicóptero vão ser enviados para Salvador

Leia em: < 1 minuto

A Polícia Federal da Bahia vai receber um reforço de efetivo ainda hoje (15.setembro) por causa da morte de um agente durante uma operação no Bairro de Valéria, em Salvador. Uma equipe de 15 policiais do Comando de Operações Táticas (COT) de Brasília e um helicóptero vão chegar à capital baiana até o final da tarde.

A morte do agente federal aconteceu depois que os policiais se depararam com cerca de 40 criminosos armados de fuzis dentro de uma área de mata. O grupo se preparava para tentar retomar uma área durante uma guerra pelo domínio do tráfico na região.

O policial Lucas Caribé foi atingido com um disparo de fuzil na cabeça e não resistiu aos ferimentos. Ele era baiano e tinha 42 anos de idade. O corpo será cremado.

Lucas Caribé foi atingido durante uma troca de tiros entre a polícia e membros de uma facção criminosa // 📷 Reprodução

Leia em: 2 minutos

Nesta sexta (15.setembro), o agente da Polícia Federal, Lucas Caribé Monteiro, lotado no Grupo de Pronta Intervenção (GPI) da Bahia, morreu durante uma operação no Bairro Valéria, em Salvador. Lucas foi atingido durante uma troca de tiros entre a polícia e membros de uma facção criminosa.

Outros dois policiais ficaram feridos durante a ação e foram levados para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não foram divulgados detalhes sobre o estado de saúde deles. Até o momento, também há a confirmação de quatro suspeitos mortos no confronto.

Lucas Caribé ingressou na Polícia Federal em 2013, sendo, inicialmente, lotado na Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio e ao Tráfico de Armas e, em seguida, na Delegacia de Repressão a Entorpecentes. Passou a integrar, em 2019, a Superintendência Regional da Polícia Federal na Bahia e, atualmente, compunha o quadro de policiais do GPI.

O Diretor-Geral substituto da Polícia Federal, Gustavo Paulo Leite de Souza, decretou luto oficial de três dias pela morte do agente. 

LEIA TAMBÉM NO PAUTA BLOG ⤵️

URGENTE❗ Secretário de Turismo de Ilhéus, Fábio Júnior é conduzido à delegacia após ameaçar esposa

Funcionária foi quem percebeu que portão havia sido arrombado pelo grupo

Leia em: < 1 minuto

Na madrugada desta quinta-feira (14.setembro), criminosos tentaram invadir a casa do ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), localizada no Bairro de Indianópolis, em São Paulo. No momento da tentativa de invasão, Haddad estava em casa.

Quando chegou para trabalhar, uma funcionária foi quem percebeu que o portão havia sido arrombado. Ao conferir imagens de câmeras de segurança, Haddad constatou que uma motocicleta parou na porta da casa e o condutor desceu para arrombar o portão. Ainda nas imagens, é possível ver quatro homens armados descendo de um carro, passando pelo portão e indo embora.

Durante a manhã, policiais federais foram até o local para realizar uma perícia e capturar as imagens na tentativa de identificar os criminosos. As investigações serão conduzidas pela Polícia Federal de São Paulo.

Cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos hoje em Belmonte

Leia em: < 1 minuto

A Polícia Federal deflagrou nesta terça (12.setembro) a Operação Pavio para desarticular um grupo criminoso especializado em fraudar licitações. Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão em Belmonte, na região extremo sul.

Com o material apreendido, a PF pretende detalhar ainda mais a extensão dos danos ao patrimônio público, eventualmente, estendendo a investigação para outros envolvidos, bem como localizar o caminho trilhado pelo dinheiro desviado.

Os envolvidos responderão pelos crimes de corrupção ativa e passiva e fraudes licitatórias. As penas, somadas, chegam a 20 anos de reclusão.

Nove mandados de busca e apreensão foram cumpridos em cidades da Bahia e do Piauí

Leia em: 2 minutos

Na manhã de hoje (24.agosto), a Polícia Federal deflagrou a Operação Arcanum para desarticular uma organização criminosa especializada em obter valores, indevidamente, do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP).

Cerca de 40 policiais federais cumpriram nove mandados de busca e apreensão em oito municípios da Bahia e do Piauí. A investigação foi desenvolvida pelo Núcleo de Repressão aos Crimes Cibernéticos da Delegacia de Polícia Federal de Barreiras e identificou um esquema criminoso que realizava a contratação fictícia de funcionários por prefeituras municipais para fraudar o recebimento de indenizações e rendimentos do PIS e do PASEP.

As apurações demonstraram o cadastramento fraudulento de vários trabalhadores rurais da região, em vínculos de emprego urbano com entidades públicas, gerando direitos trabalhistas e sociais percebidos, irregularmente, em evidente prejuízo ao fundo mantenedor do PIS/PASEP, composto por recursos federais.

Os envolvidos são investigados pelos crimes de estelionato majorado, inserção de dados falsos em sistemas de informações e participação em organização criminosa, sendo que as penas somadas podem atingir o patamar máximo de 28 anos de reclusão. 

PF cumpriu 24 mandados de busca e apreensão e 14 mandados de suspensão de servidores

Leia em: 2 minutos

Nesta quinta (17.agosto), a Polícia Federal deflagrou a Operação Expurgo com o objetivo de desarticular um grupo criminoso especializado em fraudar licitações. Foram cumpridos 24 mandados de busca e apreensão, 14 mandados de suspensão de servidores públicos, além de outras medidas judiciais em Teixeira de Freitas, Prado, Medeiros Neto, Santa Cruz Cabrália, Porto Seguro, Mucuri, Itapebi e Belmonte. No Espírito Santo, os mandados foram cumpridos em Vila Velha e São Mateus.

Durante cerca de um ano de investigação, a Polícia Federal identificou a atuação de dois grupos empresariais que utilizavam pessoas jurídicas para fraudar a concorrência e a lisura dos certames. O prejuízo estimado, até o momento, está em cerca de R$ 5 milhões, mas o grupo movimentou R$ 92 milhões em contas bancárias.

Um extenso trabalho de análise identificou elementos e pessoas interpostas utilizadas para a corrupção de servidores públicos e ocultação patrimonial. Ainda como resultado da análise, foram identificados os servidores públicos que se beneficiavam da prática.

Com o material apreendido durante a operação, a PF pretende detalhar, ainda mais, a extensão dos danos ao patrimônio público e estender a investigação para outros envolvidos, além de localizar o caminho trilhado pelo dinheiro desviado, terminando por extinguir dos quadros funcionais os servidores que se deixaram seduzir pelas práticas ilícitas.

Os envolvidos responderão por corrupção ativa e passiva, assim como fraudes licitatórias. Juntas, as penas podem chegar a mais de 20 anos de reclusão.

Material estava escondido em caminhão que passava pela BR-116

Leia em: < 1 minuto

Na noite de ontem (9.agosto), uma operação conjunta das polícias Federal e Rodoviária Federal resultou na apreensão de uma tonelada de entorpecentes em Vitória da Conquista. Ao todo, foram 960 quilos de maconha e pouco mais de 36 quilos de cocaína.

A apreensão aconteceu depois que as equipes abordaram um caminhão na BR-116. O motorista, assim que percebeu a chegada das guarnições, abandonou o veículo e fugiu. Até o momento, ele não foi encontrado.

Foi o cão farejador K9 Kaleo que identificou que as drogas estavam no compartimento de carga do veículo. A ocorrência foi registrada na delegacia de Polícia Federal de Vitória da Conquista.

Mandados de prisão temporária e de busca e apreensão foram cumpridos em Salvador

Leia em: < 1 minuto

Nesta 4ª feira (26.julho), a Polícia Federal, com o apoio do Ministério Público estadual e da Polícia Militar, deflagrou uma operação para desarticular uma organização criminosa de tráfico internacional de drogas. Foram cumpridos um mandado de prisão temporária e um mandado de busca e apreensão em Salvador.

A Operação Doze Malas é um desdobramento da investigação que levou à prisão de oito passageiros no aeroporto de Fortaleza em 30 de abril deste ano. As investigações da PF apontaram indícios de que as amostras de droga contidas nas bagagens dos presos tinham a mesma característica química.

A investigação apontou, ainda, a participação de uma mulher de 27 anos no crime. Ela estaria vinculada a uma organização criminosa ligada ao tráfico internacional e teria sido a responsável, inclusive, por cooptar os réus presos, tendo organizado a viagem deles para Lisboa, em Portugal.

A investigada pode responder pelo cometimento dos crimes de tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico de drogas. As investigações continuam com a análise do material apreendido.

Notícias mais lidas

Outros assuntos