Medida passa a valer a partir da próxima sexta-feira, dia 25

Leia em: < 1 minuto

Após uma reunião realizada ontem (22.novembro), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu retomar a obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção facial contra a Covid-19 em aeroportos e aviões. A medida passa a valer a partir da próxima sexta-feira (25.novembro).

A decisão foi adotada apor causa do atual cenário epidemiológico da doença no país, que aponta crescimentos dos casos da doença e surgimento de uma nova cepa da variante Ômicron. Além disso, a proximidade das festas de final de ano e férias escolares também foram colocadas como condicionantes pelo diretor da Anvisa.

Segundo a Anvisa, a obrigação do uso de máscaras vai ser dispensada no caso de pessoas com transtorno do espectro autista, com deficiência intelectual, com deficiências sensoriais ou com quaisquer outras deficiências que as impeçam de fazer o uso adequado de máscara de proteção facial, assim como no caso de crianças com menos de três anos de idade.

Sesab está monitorando número de casos, mas situação é considerada estável

Leia em: < 1 minuto

Nesta 5ª feira (17.novembro), o governador do Estado, Rui Costa (PT), recomendou a utilização de máscaras de proteção facial contra a Covid-19 em locais fechados. A recomendação aconteceu por causa do aumento de casos da doença causados pelo surgimento de uma subvariante da Ômicron.

Apesar da recomendação, Rui descartou a possibilidade de voltar a ser obrigatório o uso do equipamento de proteção e disse, também, que a Sesab (Secretaria de Saúde do Estado) segue monitorando a situação. Além disso, o chefe do Executivo estadual comentou sobre a importância de completar o esquema vacinal e ficar protegido contra o coronavírus.

Itabuna apresenta desaceleração da transmissão do coronavírus

Leia em: 1 minuto

O Comitê Emergencial de Crise para Pandemia de Covid-19 da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) divulgou a 44ª edição do Boletim do Observatório da Epidemia do Novo Coronavírus no Sul da Bahia. O período analisado foi entre os dias 21 de janeiro e 18 de fevereiro de 2022 e pode ajudar a subsidiar a decisão relativa à mudança de fase no retorno gradual das atividades administrativas presenciais.

De acordo com a análise apresentada, ao longo da pandemia, o risco de ser infectado pelo coronavírus em Itabuna (18.024,7 casos/100.000 habitantes) foi muito superior à média estadual (9.923,2 casos/100.000 habitantes) e nacional (13,259,7 casos/100.000 habitantes). Já quanto ao risco de infecção nas duas últimas semanas (05/02 a 18/02), Itabuna (35,60 casos/100.000 habitantes/dia) apresentou valor inferior à média da Bahia (39,32 casos/100.000 habitantes/dia) e a do Brasil (58,78 casos/100.000 habitantes/dia). Além disso, na comparação com as duas semanas anteriores (22/01 a 04/02), o município registrou desaceleração da transmissão (-17,9 %).

Em relação ao risco de morrer em decorrência da Covid-19 ao longo do período da pandemia, Itabuna apresentou coeficiente de mortalidade (347,2 óbitos/100.000 habitantes) superior à média nacional (303,8 óbitos/100.000 habitantes) e estadual (193,3 óbitos/100.000 habitantes). Já nas duas últimas semanas (05/02 a 18/02), a cidade (0,23 óbitos/100.000 habitantes/dia) apresentou valor inferior à média da Bahia (0,34 óbitos/100.000 habitantes/dia) e do Brasil (0,41 óbitos/100.000 habitantes/dia). Para concluir, na comparação com as duas semanas anteriores (22/01 a 04/02), houve variação positiva (+16,7%).

Deputados alegam que chegada da variante Ômicron piorou situação da pandemia

Leia em: < 1 minuto

Em sessão extraordinária realizada terça (22.fevereiro), a Alba (Assembleia Legislativa do Estado da Bahia) aprovou a renovação do reconhecimento do estado de calamidade pública em 40 cidades devido à pandemia da Covid-19. Os projetos de decreto legislativo foram apresentados pelos parlamentares e têm validade até o dia 30 de junho com efeito retroativo a janeiro.

De acordo com a justificativa apresentada pela mesa diretora, apesar dos esforços do governo do estado e dos gestores municipais para atenuar os efeitos da pandemia, a situação voltou a ficar grave com a chegada da variante Ômicron no Brasil.

A lista com os nomes dos 40 municípios contemplados com a renovação pode ser consultada no site da Alba.

Leia em: 2 minutos

Nos últimos dias, aumentou o número de pacientes que chegam ao Hospital Manoel Novaes, em Itabuna, com sintomas gripais e têm o diagnóstico positivo para o novo coronavírus. De acordo com a diretora técnica, a médica Fabiane Chávez (foto), 80% dos pacientes que dão entrada na Unidade Covid estão infectados com o vírus.

Diante desse cenário, está cada vez mais difícil encontrar uma vaga em um dos 13 leitos regulados no hospital materno-infantil, pela Secretaria de Saúde do Estado, para atendimento exclusivo a pacientes positivados para a Covid-19. Hoje, são 10 vagas na enfermaria e outras três na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e todas estão ocupadas, conforme Fabiane Chávez.

GESTANTES COM TESTE POSITIVO
Fabiane Chávez acrescenta que outra constatação é o aumento no número de gestantes com testes positivos para o novo coronavírus. A médica alerta que é uma situação delicada porque, às vezes, não encontra leitos em hospitais para internação dessas mães, pois o número de vagas para adultos foi reduzido no sul da Bahia.

Outro agravante é que também cresceu a quantidade de pacientes internados com doenças como gripe. Muitos dessas crianças estão se recuperando em leitos obstétricos no Pronto Socorro. “O paciente apresenta os sintomas da gripe e, cinco seis dias depois, apresenta pneumonia grave”, informa a médica.

A diretora técnica observa que, geralmente, esse paciente fica internado por mais tempo na UTI pediátrica convencional e, quando sai, fica até 20 dias em leito de enfermaria. “Nestes anos todos de profissão, nunca tinha presenciado uma situação como esta, com aparecimento simultaneamente da pneumonia e derrame pleural, e nessa época do ano que não é comum”, afirma.

Sesab orienta que medidas sanitárias continuem sendo adotadas pela população

Leia em: < 1 minuto

De acordo com informações divulgadas pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) nesta 2ª feira (7.fevereiro), a cada 100 testes de detecção da Covid-19 realizados pelo Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública), 70 apresentam resultado positivo. Esse percentual, no dia 1º de janeiro, era de apenas 6,55%, o que significa que houve um aumento de 974,5% no número de casos positivos em pouco mais de um mês.

Pelo Twitter, a Sesab reiterou a importância de manter as medidas restritivas para o combate à pandemia, assim como a adoção de medidas simples que podem minimizar a disseminação da doença: “Medidas simples podem ajudar a minimizar o contágio do coronavírus e, também, de outras síndromes gripais: complete a sua imunização, continue usando máscara, evite aglomerações e higienize as mãos”.

Aras foi diagnosticado com a doença pela segunda vez

Leia em: < 1 minuto

De acordo com informações divulgadas pela Procuradoria-Geral da República ontem (2.fevereiro), o procurador-geral da República, Augusto Aras, testou positivo para a Covid-19.

Essa é a segunda vez em que ele é diagnosticado com a doença, mas a Procuradoria divulgou que ele está assintomático. Aras vai ficar afastado do gabinete por recomendação médica, no entanto, vai continuar trabalhando de forma remota.

A Ômicron foi identificada em 46 amostras

Leia em: 2 minutos

O boletim epidemiológico deste sábado (29) registra 31.884 casos ativos de Covid-19 na Bahia. Esse é o maior número casos ativos registrado no estado durante toda a pandemia, ultrapassando os 30.221 casos do dia 13/07/2020.

Nas últimas 24 horas também foram registrados 8.125 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,60%), 5.898 recuperados (+0,46%) e mais 13 óbitos. Dos 1.355.500 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.295.709 já são considerados recuperados e 27.907 evoluíram para óbito.

VARIANTE ÔMICRON REPRESENTA MAIS DE 71% DOS CASOS
Em nova rodada de sequenciamento genético, o Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia detectou a variante Ômicron em 71% das amostras coletadas em janeiro deste ano. Do total de 64 sequenciamentos concluídos nesta sexta-feira (28), a Ômicron foi identificada em 46 amostras. Já a variante Delta foi detectada em 16 amostras e uma amostra teve resultado inconclusivo.

São 27 mulheres e 19 homens, com a faixa etária variando entre 3 e 86 anos. Os casos foram identificados em residentes dos seguintes municípios: Alcobaça, Camacan, Candeias, Candido Sales, Castro Alves, Conceição do Coité, Conceição do Jacuípe, Eunápolis, Feira de Santana, Ilhéus, Itabela, Itabuna, Itamaraju, Itambé, Itaparica, Itapetinga, Jacobina, Jequié, Lauro de Freitas, Lençóis, Monte Santo, Mucugê, Mucuri, Pintadas, Poções, Pojuca, Prado, Remanso, Riacho de Santana, Ribeira do Pombal, Salvador, Santa Cruz Cabrália, Santo Estevão, Serrinha e Ubaitaba.

LEIA TAMBÉM NO PAUTA BL0G ⤵️

ANÁLISE❗ Uma foto diz mais que mil palavras, não é, Enderson Guinho, Augusto Castro e Paulo Magalhães?

Leia em: < 1 minuto

O boletim epidemiológico de hoje (26) registra 23.985 casos ativos de Covid-19 na Bahia, número superior a todos os registros de 2021. Anteriormente, o estado só havia atingido patamar maior em 02 de julho de 2020, quando foram alcançados 24.068 casos ativos.

Os dados ainda podem sofrer alterações devido à instabilidade do sistema do Ministério da Saúde. A base ministerial tem, eventualmente, disponibilizado informações inconsistentes ou incompletas.

VACINAÇÃO
Até o momento temos 11.063.130 pessoas vacinadas com a primeira dose, 263.710 com a dose única, 9.356.997 com a segunda dose e 2.202.272 com a dose de reforço. Do público de 5 a 11 anos, 33.206 crianças já foram imunizadas.

Afastamento de trabalhadores contaminados pela Covid-19 deve ser de 10 dias

Leia em: < 1 minuto

Nesta 3ª feira (25.janeiro), o Ministério da Saúde publicou uma portaria na qual diminui o período de afastamento do trabalho por infecção pelo coronavírus para 10 dias. Anteriormente, o prazo era de 15 dias corridos em caso de suspeita e/ou confirmação da Covid-19.

O texto foi assinado em conjunto com o Ministério do Trabalho e Previdência e determina, ainda, que, se o trabalhador apresentar um resultado negativo no exame RT-PCR, o prazo pode diminuir para 7 dias. A redução também vale para os casos suspeitos desde que o trabalhador esteja sem apresentar febre há 24 horas, sem tomar remédios antitérmicos e apresentar melhora dos sintomas respiratórios.

Ainda de acordo com a portaria publicada hoje, no caso dos trabalhadores com 60 anos ou mais ou que apresentem condições clínicas de risco para desenvolvimento de complicações da covid-19, eles devem receber atenção especial e o trabalho remoto deve ser uma medida alternativa para evitar a contaminação.

As empresas, por sua vez, devem prestar informações sobre formas de prevenção da doença, como o distanciamento social, e reforçar a necessidade de procedimentos de higienização correta e frequente das mãos. A disponibilização de recursos para a higienização das mãos próximos aos locais de trabalho, incluindo água, sabonete líquido, toalha de papel descartável e lixeira, ou sanitizante adequado para as mãos, deve ser imprescindível.

Notícias mais lidas

Outros assuntos