Juíza deu prazo de 24 horas para que materiais sejam removidos

Leia em: < 1 minuto

Uma juíza da 64º Zona Eleitoral de Guanambi determinou que sejam retirados todos os outdoors referentes ao presidente Jair Bolsonaro (PL) que foram espalhados pela cidade. De acordo com a decisão, houve irregularidade de propaganda eleitoral e, por esse motivo, o material precisa ser removido dentro do prazo de 24 horas.

Inicialmente, a Justiça pediu explicações ao Partido Liberal, responsável pela contratação da empresa que colocou as peças publicitárias, mas, como isso não aconteceu, a juíza determinou que os responsáveis por fixar os cartazes sejam obrigados a remover os outdoors.

✏️ Com informações do site Achei Sudoeste.  📷 Foto WhatsApp/Achei Sudoeste

Ednaldo Ribeiro elogiou o trabalho desempenhado pelo presidente e pelo pré-candidato a governador da Bahia

Leia em: < 1 minuto

O prefeito da cidade de Cruz das Almas, Ednaldo Ribeiro (Republicanos), esteve em Brasília e posou ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PL) e do ministro da Cidadania e, possivelmente, pré-candidato a governador da Bahia, João Roma (PL).

Nas redes sociais, o prefeito elogiou o trabalho desempenhado pela dupla: “Na Presidência da República com o nosso presidente Jair Bolsonaro, que tem feito muito pelo Brasil, e também com o nosso brilhante ministro da Cidadania João Roma, que se afasta hoje do ministério, com vistas a concorrer às eleições deste ano. Meu amigo João Roma representou tão bem os baianos no governo federal e nos orgulha muito”.

"Começa hoje a nossa caminhada por uma jornada que foi Deus que abriu e a gente está cumprindo essa ordem", declara Dra Raíssa sobre decisão de disputar o Senado

Leia em: < 1 minuto

Nesta 4ª feira (23.fevereiro), o ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), e a médica e ex-secretária de saúde de Porto Seguro, Dra Raíssa Soares (PL), se encontraram com o presidente Jair Bolsonaro (PL) em Brasília. A reunião serviu para definir a chapa majoritária para as eleições de outubro deste ano.

De acordo com um vídeo divulgado por Dra Raíssa nas redes sociais, o encontro definiu que João Roma vai, realmente, ser pré-candidato ao governo da Bahia e ela será pré-candidata ao Senado Federal. O objetivo, segundo a médica, é “defender os interesses da Bahia”.

Ainda segundo a médica, os últimos meses foram enfrentados com dificuldade porque ela adquiriu inimigos políticos, mas não vai desistir: “Diante de tudo o que vivi nesses últimos dois anos lutando para cuidar de vidas, infelizmente, criei inimigos por ideologia política. Muitos me perguntaram e pediram que continuasse lutando pelo povo baiano e eu vou continuar lutando”.

DÊ PLAY E ASSISTA A PALAVRA DA DRA RAÍSSA SOARES ⤵️

"Serei um soldado de Jair Bolsonaro na Câmara", declara Netinho nas redes sociais

Leia em: < 1 minuto

O cantor baiano Netinho confirmou hoje (19.janeiro) que é pré-candidato a deputado federal. Ele utilizou as redes sociais para anunciar a decisão: “Após refletir bastante, decidi aceitar o convite da minha amiga Carla Zambelli e anuncio que sou pré-candidato a Deputado Federal pela Bahia”.

Ainda na publicação, Netinho afirmou que vai marchar ao lado do atual Chefe do Executivo: “Eleito, serei um soldado de Jair Bolsonaro na Câmara e defenderei o povo baiano seguindo os valores Deus, Pátria, Família e Liberdade”. 

Quer saber de outras notícias? Siga-nos no Instagram @pauta.blog.br.

Entre as acusações, presidente foi acusado de ter cometido crimes contra a humanidade

Leia em: < 1 minuto

O presidente Jair Bolsonaro foi acusado de ter cometido, ao menos, dez crimes durante a pandemia da Covid-19. As acusações constam no relatório final da CPI que apura a atuação do Governo Federal desde o início da crise sanitária. O relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB), leu o relatório nessa quarta-feira.

Entre as acusações, os senadores entenderam que o Chefe do Executivo cometeu crimes contra a humanidade. Segundo Calheiros, Bolsonaro teria agido contra o Tratado de Roma nos casos do colapso do oxigênio em Manaus, nas investigações envolvendo a operadora Prevent Senior e nas apurações de crimes contra povos indígenas.

No mesmo relatório, feito ao longo dos últimos 6 meses, há indicações de que o presidente teria cometido infrações previstas no Código Penal e violado a lei que estipula os crimes de responsabilidade do presidente da República.

O relatório será votado pela CPI na próxima semana e, logo depois, será encaminhado ao Ministério Público Federal.

Privatização da empresa vai ser tema de reunião com equipe econômica

Leia em: < 1 minuto

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) declarou ontem (15.outubro), que sente vontade de privatizar a Petrobras. A declaração foi dada durante entrevista à Rádio Novas de Paz e ocorre em meio às polêmicas sobre as sucessivas altas de preços nos valores dos combustíveis.

De acordo com Bolsonaro, o assunto pode ser pauta de uma reunião com a equipe econômica: “Eu já tenho vontade de privatizar a Petrobras. Vou ver com a equipe econômica o que a gente pode fazer porque, o que acontece? Eu não posso, não é controlar, não posso melhor direcionar o preço do combustível, mas quando aumenta, a culpa é minha. Aumenta o gás de cozinha, a culpa é minha, apesar de ter zerado o imposto federal”.

Nesta semana, o ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu que o governo possa vender ações da petroleira estatal em momento de valorização dos papéis para distribuir parte dos ganhos à população mais vulnerável.

Apesar de ser contra o impeachment, Neto disse que é contra a postura do governo em relação à pandemia

Leia em: < 1 minuto

Na manhã de hoje (4.outubro), o presidente nacional do DEM e pré-candidato a governador da Bahia, ACM Neto, disse, em entrevista ao UOL, que é contra o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Ao justificar o posicionamento, Neto disse que o ambiente do país não é favorável ao impeachment do presidente: “Não defendo o impeachment. Da mesma forma que não defendo nenhum discurso de golpe. Não existe hoje ambiente político objetivo no país favorável ao impeachment. Não existe nenhuma hipótese de um ambiente pró-impeachment. É um discurso que não constrói”.

Mesmo assim, o presidente do DEM fez duras críticas à administração do governo em relação à pandemia da Covid-19: “Eu tenho desde o início da pandemia assumido uma postura muito crítica ao governo em relação ao combate à pandemia. Agir sempre em defesa da vida. Não hesitei em adotar medidas. Jamais tolerei a postura negacionista do governo. Eu fico muito à vontade porque se tem alguém que foi crítico e não deixou de falar fui eu”.

Vale lembrar que Neto é filiado ao DEM que, em breve, vai se unir ao PSL, antigo partido de Bolsonaro, para formar a maior sigla do país: o União Brasil. A nova legenda pretende, inclusive, apresentar uma terceira via nas eleições de 2022 como alternativa ao PT e a Bolsonaro.

//

Lula mantém a vantagem sobre Bolsonaro e demais candidatos

Leia em: < 1 minuto

Em nova pesquisa divulgada pelo IPEC (Inteligência em Pesquisa e Consultoria) ontem (22.setembro), o ex-presidente Lula (PT) continua mantendo a vantagem em relação ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A pesquisa mostra que o petista tem 48% das intenções de votos contra 23% de Bolsonaro e 8% de Ciro Gomes (PDT). João Doria (PSDB) e Luiz Henrique Mandetta (DEM) são citados por 3% dos entrevistados. Brancos e nulos somam 10%. Ao todo, 4% não sabem ou preferiram não responder. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Já na pesquisa espontânea, que não apresenta os nomes dos candidatos, Lula manteve os mesmos 38% de junho e Bolsonaro subiu de 20% para 21%, enquanto Ciro é lembrado por 2% dos eleitores. Um terço dos entrevistados não menciona qualquer candidato.

O IPEC entrevistou 2002 pessoas entre os dias 16 e 20 de setembro. O índice de confiança utilizado é de 95%.

//

Presidente nega intenção de agredir Poderes, mas acusa Moraes

Leia em: 2 minutos

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recuou das declarações e por meio de uma nota oficial divulgada, nesta 5ª feira (9.setembro), disse que foram o “calor do momento”.

Bolsonaro também atribui a responsabilidade de muitas divergências à atuação do ministro do STF, Alexandre de Moraes, no inquérito das fake news.

No final da nota, Bolsonaro, definitivamente, ameniza a situação e muda o tom adotado nos últimos dias.

Leia a nota na íntegra:

No instante em que o país se encontra dividido entre instituições é meu dever, como Presidente da República, vir a público para dizer:

1. Nunca tive nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes. A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar.

2. Sei que boa parte dessas divergências decorrem de conflitos de entendimento acerca das decisões adotadas pelo Ministro Alexandre de Moraes no âmbito do inquérito das fake news.

3. Mas na vida pública as pessoas que exercem o poder, não têm o direito de “esticar a corda”, a ponto de prejudicar a vida dos brasileiros e sua economia.

4. Por isso quero declarar que minhas palavras, por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum.

5. Em que pesem suas qualidades como jurista e professor, existem naturais divergências em algumas decisões do Ministro Alexandre de Moraes.

6. Sendo assim, essas questões devem ser resolvidas por medidas judiciais que serão tomadas de forma a assegurar a observância dos direitos e garantias fundamentais previsto no Art 5º da Constituição Federal.

7. Reitero meu respeito pelas instituições da República, forças motoras que ajudam a governar o país.

8. Democracia é isso: Executivo, Legislativo e Judiciário trabalhando juntos em favor do povo e todos respeitando a Constituição.

9. Sempre estive disposto a manter diálogo permanente com os demais Poderes pela manutenção da harmonia e independência entre eles.

10. Finalmente, quero registrar e agradecer o extraordinário apoio do povo brasileiro, com quem alinho meus princípios e valores, e conduzo os destinos do nosso Brasil.

//

A crise entre os Poderes, pelo visto, está longe de acabar pra Bolsonaro

Leia em: < 1 minuto

Nesta 4ª feira (1º.setembro), o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) participou de um evento de entrega de Medalhas de Mérito Desportivo Militar no Rio de Janeiro e voltou a fazer declarações polêmicas.

Com a proximidade do feriado de Independência do Brasil (7 de setembro), a declaração, é claro, foi vista como mais um convite para que as pessoas realizem atos antidemocráticos nessa data.

Após entregar uma medalha ao boxeador e medalhista olímpico Hebert Conceição, Bolsonaro declarou: “Enfia a porrada, guerreiro, é isso aí. Com flores, não se ganha a guerra, não, pessoal. Quando se fala em armamento…Quem quer a paz, se prepare para a guerra”.

Notícias mais lidas

Outros assuntos