Dupla confessou que cometeu o crime e foi encontrada com objetos ligados ao latrocínio

Leia em: < 1 minuto

Na tarde de ontem (25.janeiro), uma guarnição da Rondesp Sudoeste conseguiu prender dois suspeitos de terem cometido o latrocínio contra o técnico em Enfermagem, André Chagas, de 26 anos. O crime aconteceu no início deste mês em Vitória da Conquista, mas a dupla foi capturada no município de Poções.

De acordo com a polícia, os suspeitos estavam com uma motocicleta que possuía as mesmas características da que foi utilizada no dia do crime. Ainda segundo a polícia, os homens confessaram que participaram do crime e, com eles, foram encontrados capacetes e roupas utilizados no dia.

Os suspeitos, a motocicleta e a arma encontrada foram apresentados do Distrito Integrado de Segurança Pública de Vitória da Conquista.

//

Cadela foi baleada pelo homem após se soltar da coleira e latir para as galinhas do suspeito

Leia em: < 1 minuto

O Ministério Público estadual denunciou um homem suspeito de maltratar uma cadela no município de Poções em novembro do ano passado. De acordo com a denúncia, uma mulher passeava com o animal na rua quando ele escapou da coleira e correu em direção às galinhas.

Foi então que o homem, proprietário das galinhas, sacou uma arma e disparou várias vezes contra a cadela. Ainda segundo a denúncia, o animal teve cerca de 49 ferimentos decorrentes de projéteis conhecidos como ‘’chumbinho’’.

O suspeito foi denunciado por cometer, duas vezes, o crime tipificado no artigo 32 da Lei 9.605/1998 ao praticar ato de abuso, maus tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.

MP apontou diversas irregularidades na realização do concurso da prefeitura

Leia em: < 1 minuto

A Justiça e o Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia suspenderam o concurso público que iria preencher vagas e formar cadastro reserva para o município de Poções, no sudoeste baiano. As decisões atenderam a uma recomendação do Ministério Público estadual, que apontou irregularidades no processo do concurso.

De acordo com a ação civil pública movida pelo MP, as irregularidades causaram dano ao patrimônio público no valor de R$ 442.890,00. A ação pediu, então, o ressarcimento dos danos, a condenação ao pagamento de danos morais coletivos, aplicação das sanções previstas na lei anticorrupção e realização de novo concurso público.

As investigações começaram após o Ministério Público receber diversas notícias relatando, entre outras irregularidades, entrada de candidatos portando celulares, deslocamentos dos candidatos para o banheiro portando celulares, falta de cadernos de provas impressos suficientes, fotocópia de provas no momento da aplicação, ausência de participação da OAB no certame de procurador e aprovação de candidatos e parentes que, supostamente, possuem vínculos com a gestão do município.

Notícias mais lidas

Outros assuntos